segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Sobre a língua dos anjos

2 comentários
É muito comum no meio evangélico de vertente pentecostal escutar um tal de "falar e língua dos anjos", mas isso é coisa de crente preguiçoso que não lê a Bíblia, e se deixa embalar pela canção (Monte Castelo) cantada por Renato Russo, que se inicia com o primeiro versículo de 1° Coríntios 13, e depois segue com a poesia do autor.

Na Bíblia o termo "língua" no sentido de idioma falado aparece 56 vezes, porém, nenhuma destas citações trata especificamente da língua dos anjos sendo praticada pelos próprios anjos e muito menos pelo homem.

A citação de 1° Coríntios 13:1, em que Paulo diz: "ainda que eu falasse a LÍNGUA dos homens e dos ANJOS, mas não tivesse o amor, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine", dá a entender sobre a existência de uma linguagem especifica dos anjos.

Em Marcos 16:17 é dito:  "Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas", o que de fato ocorreu conforme relatado em Atos 2:4, vejamos: "E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem", o que novamente se repete quando Pedro vai a Cesaréia (Atos 10:46), e também quando Paulo pregou em Éfeso (Atos 19:6), posteriormente, Paulo explicando sobre os dons do Espírito Santo falou sobre o dom da variedade de línguas (1° Coríntios 12:10), mais adiante sinalizou que o dom da profecia é superior o dom de línguas, pois, quem fala em línguas edifica a si mesmo e não a igreja (1° Coríntios 14: 4-5).

A manifestação em línguas, ou glossolalia como dizem os estudiosos, é um fenômeno que ocorre desde as primícias do cristianismo, é algo relacionado a variedade de idiomas conhecidos, não tem qualquer relação com a tal língua dos anjos, como vimos acima a Bíblia não mostra nenhuma vez tal linguagem sendo praticada nem por anjos e nem por homens.

É importante destacar que Paulo explicando sobre os dons do Espirito Santo também falou sobre a importância de haver interpretes na igreja para o que se diz noutras línguas, para que a igreja também seja edificada, isto raramente ocorre nas igrejas em que a glossolalia ocorrem atualmente, o que permite que muitas pessoas por vaidade possam fingir um dom que não possuem.

Enfim, aqueles que estão dentro de uma igreja evangélica de linhagem pentecostal, não devem se torturar por não manifestar em línguas, apesar dos anjos terem uma linguagem própria e o homem não conhecê-la, note que na Bíblia diversas vezes os anjos se comunicaram com os homens e não houve problema para a compreensão daquilo que era dito, isto sem a necessidade de intérpretes, com isso quero te dizer: Deus te compreende no seu próprio idioma.

Busque o dom do amor, como disse Paulo, e como copiou Renato Russo, ainda que você fale a língua dos homens e dos anjos, se não tiver o amor de nada adianta, a Bíblia também esclarece que: "Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios" (1° Coríntios 14:2).

2 comentários:

HP disse...

Perfeito!
Mas quem tá embriagado com emoções dificilmente entende que o principal dom é o amor... Tampouco compreende a função do dom de línguas...

Mario disse...

Então, e é por não entender que existem pessoas que são amorosas e misericordiosas, mas se torturam porque não foram "seladas com a promessa".

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação