segunda-feira, 26 de maio de 2014

Qual o prazo de validade do casamento?

4 comentários
Qual o prazo de validade do casamento?

Com base no desabafo de 8 anos sobre uma crise conjugal de um casal de irmãos em 2010 eu escrevi o artigo “Façam mais sexo” (Clique no Link).

Ontem estando na igreja enxerguei a oportunidade de complementar aquela postagem que na verdade se originou no intento daquele irmão em se divorciar.

Antes de dar a resposta à pergunta que originou esta postagem vamos analisar como ao longo do tempo a sociedade e os relacionamentos evoluíram.

Nossos avós que viveram em uma época em que 85% das pessoas moravam no campo, a forma de relacionamento era tradicional e jamais se cogitava a possibilidade de se separarem, pois, naquela época CASAMENTO ERA PRA SEMPRE. E quantas coisas as velhinhas suportaram devido ao sentimento de “responsabilidade” de manter o casamento, elas eram “Do lar” e se dedicavam exclusivamente a família.

Nossos pais viveram em outra época, onde mais de 80% das pessoas viviam nas cidades e se dedicavam ao trabalho nas indústrias, as mulheres passaram a dar apoio aos maridos, administrando o lar e a família e também resolvendo as coisas do dia a dia que seus maridos não podiam resolver devido sua jornada de trabalho, nesta época o CASAMENTO ERA PARA MANTER A FAMÍLIA.

A geração de hoje vive em uma época digital, inclusive algumas pessoas se conhecem em ambiente virtual, pela internet, redes sociais ou aplicativos de celular que permitem isso. Nesta geração a mulher também passou a ser provedora do lar, exatamente como o homem, e hoje o CASAMENTO SERVE PARA SER FELIZ, se as pessoas não se sentem felizes pedem logo o divorcio.

Vamos analisar o que disse Jesus sobre o casamento: Mas no começo, quando foram criadas todas as coisas, foi dito: “Deus os fez homem e mulher”. Por isso o homem DEIXA o seu pai e a sua mãe para se UNIR com a sua mulher, e os dois se TORNAM uma só pessoa.” Assim, já não são duas pessoas, mas uma só” (Marcos 10:6-8).

Analisemos agora as 3 ações envolvidas no ato de casar, que são os três itens em destaque nos versículos acima.

   1) DEIXAR pai e mãe: quando o casal decidir se unir em matrimonio eles devem deixar seu pai e tentar caminhar com as próprias pernas, entender que seu pai e sua mãe continuam ocupando o mesmo papel em sua vida, mas que daquele momento em diante sua família são a esposa e os seus filhos e as suas responsabilidades são principalmente com ele.

    2) UNIR se a esposa: é o período de namoro, um momento importante para que o casal se conheça melhor, testem as suas compatibilidades e se unam emocionalmente e verifiquem se os seus sonhos e planos incluem um ao outro.

    3)TORNAM se uma só carne: é o momento em que se casam e além de uma conexão emocional passam a ter uma conexão espiritual e também sexual. Algumas instituições são conservadoras demais e falar de sexo é um verdadeiro tabu, sexo não é tudo na vida do casal, mas sexo faz parte e é importante na vida do casal.

Dito estas coisas, retornemos à pergunta que deu origem a esta postagem, afinal: Qual é o “prazo de validade” de um casamento?

Como cristãos e crentes de que a Bíblia é a Palavra de Deus e a nossa única regra de fé e conduta, vejamos o que Jesus falou acerca do divorcio: Jesus saiu daquele lugar e foi para a região da Judéia que fica no lado leste do rio Jordão. Uma grande multidão se ajuntou outra vez em volta dele, e ele ensinava todos, como era o seu costume.  Alguns fariseus, querendo conseguir uma prova contra ele, perguntaram: — De acordo com a nossa Lei, um homem pode mandar a sua esposa embora? Jesus respondeu com esta pergunta: — O que foi que Moisés mandou? Eles responderam: — Moisés permitiu ao homem dar à sua esposa um documento de divórcio e mandá-la embora. Então Jesus disse: — Moisés escreveu esse mandamento para vocês por causa da dureza do coração de vocês. Mas no começo, quando foram criadas todas as coisas, foi dito: “Deus os fez homem e mulher. Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.” Assim, já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu. Quando já estavam em casa, os discípulos tornaram a fazer perguntas sobre esse assunto. E Jesus respondeu: — O homem que mandar a sua esposa embora e casar com outra mulher estará cometendo adultério contra a sua esposa. E, se a mulher mandar o seu marido embora e casar com outro homem, ela também estará cometendo adultério” (Marcos 10:1-12).

Note que Jesus afirmou que mesmo dando o divórcio, aquele(a) que divorciado vier a se casar novamente comete adultério, isto deixa claro que mesmo divorciado o casamento continua a existir.

A resposta à pergunta inicial desta postagem foi dada por Jesus no texto acima: “Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu” (Marcos 10:9), ou seja, casamento é para sempre, por isso, é muito importante o período de namoro e noivado. Você pode namorar e se separar, mas não pode se casar e separar.

Problemas e crises conjugais são normais, acredito que a maioria dos casais tem e teve estas experiências, mas àqueles que colocam Deus acima de tudo, inclusive, o casamento, sabe que Deus é o remédio para todas as doenças, que se o casal está “doente”, Deus pode curar, pois, não é o desejo de Deus que os casais se separem, o casamento é um plano que nasce no coração de Deus. 

Mas a cura de um "casal enfermo" funciona exatamente como o tratamento de um dependente químico, é necessário que o casal reconheça que está doente, estejam cientes de que existe tratamento e queiram ser curados.

Por isso, estando em crise, é bom que o casal ore bastante, de preferência juntos para que o inimigo perca a força e o Espírito Santo possa agir em suas mentes e corações. É importante também que o casal busque aconselhamento junto ao ministério da sua igreja, estes tipos de situações são mais comuns do que se imagina e os ministros muito podem ajudar no processo de reconciliação.  

Lembrando que não é porque Jesus disse o que Deus uniu o homem não deve separar, as mulheres devem aceitar qualquer tipo de violência contra ela, o homem deve ter “consideração para com suas esposas, reconhecendo que são a parte mais frágil” (1º Pedro 3:7) e se tornando uma só carne através do casamento “os maridos devem amar vossas esposas, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” (Efésios 5:25). Violência além de falta de respeito é crime e deve ser tratado como tal.


Se você é mulher e é vitima de violência doméstica CLIQUE AQUI e leia os artigos criados para tratar exclusivamente desse assunto.

4 comentários:

Regina Farias disse...

Mário,
Você disse pro cara 'faça mais sexo' e, segundo vc, aí foi que o cara quis se divorciar. Vai ver ele levou ao pé da letra. E fez mesmo mais sexo. Só que fora do 'casamento'. Aí foi que ele viu que o casamento não dava mesmo mais certo.
Rsss Só pra descontrair (Mas com um fundo de verdade)
Depois vou ler o 'linkado' ;)

Enfim...
Eu só discordo que essa frase dita por Jesus signifique que o casamento continue a existir. Não creio em um Jesus usando isso como regra inflexível.
Até porque, no caso do casamento de fachada desde o início, por exemplo, pode-se dizer que nem casamento houve!
Então, como se perpetua algo que nunca aconteceu de fato?
E assim são os milhares de casamentos arranjados, uns feitos às pressas com dois adolescentes sem nenhum preparo emocional, outros por conveniência...
Enfim, o que nunca foi casamento como algo consciente.
Outra coisa: os religiosos, principalmente os da ICAR, tendem a dizer que foi Deus que uniu. Como assim? Como saber que foi Deus? Nessas situações acima citadas ninguém me convence que foi Deus.
Tudo bem, Deus diz que casamento é 'uma só carne', ou seja: o mesmo pensamento, os mesmos ideais, a vida a dois propriamente dita onde cada um tem sua individualidade respeitada mas que vivem ambos uma mesma cumplicidade em amor, em união, em respeito mútuo. Se não tem, se nunca teve e se não há mais nada disso, então não é casamento. É máscara. É convenção social. E ninguém me convence que viver de performance, nessa hipocrisia nojenta, seja do agrado de Deus.

Beijos!

Mario disse...

Regina,

Não, neste caso eles praticamente já estavam separados, fazia anos que eles dormiam em quartos separados. Quando eu disse "façam mais sexo", eu quis dizer "ao invés de ficar caçando a razão, tenham mais momento de intimidade e companheirismo".

Beijo

Pedagogia Valdéria Ribeiro disse...

IRMÃO MARIO A PAZ DE DEUS GOSTEI MUITO DO SEU BLOG .EXCELENTES TEXTOS
PARABENS

eu disse...

Regina, veja bem, um casamento instituído pela lei de cada país ou localidade, está ligado na Terra e consequentemente ligado no céu, e validado por Deus. Portanto, uma pessoa casada, ainda que ache que é "de fachada", está casada de fato, e tal união está instituída tanto na Terra quanto no céu. Vc está querendo adaptar a Palavra de Deus à sua conveniência, pois um homem e uma mulher só se casam quando existe amor e afinidade, mas se isso se perde ao longo do tempo, ainda assim continua sendo um casamento! E quem casaria sem amar o seu parceiro? Somente um(a) louco(a)a faria tal coisa! Além disso, é pra isso que serve o período do namoro: para cada um conhecer o outro, e julgar se é o que deseja para sua vida. Segundo as palavras de Jesus, a ÚNICA forma de um casamento ser anulado, é por ocasião de um adultério por uma das partes, e mesmo assim esse não é o desejo de Deus (o perdão é primeira alternativa, antes de se cogitar a separação). A separação devido ao adultério é legítima, ainda que não desejável, porém, separação por causa de brigas, ou por "falta de química", obriga o casal a viver uma vida de CELIBATO para o resto das suas vidas, durante todos os anos que lhes restarem na Terra. A grande questão é... será que ambos conseguirão suportar as investidas do diabo, e conservar a castidade à qual são obrigados agora, por estarem separados? Ou conseguirão suportar até que uma das partes morra? Pois a única coisa que anula um casamento, sem haver adultério, é a morte de um dos cônjuges! É claro, existe também a opção de "jogar a toalha" e abraçar o mundo, daí sim, pode casar, separar, casar de novo quantas vezes quiser, mas o final disso todos nós conhecemos...

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação