segunda-feira, 12 de maio de 2014

Filho de crente, crentinho é?

0 comentários

Autor: Alceu Figueredo 
(Devocional: Um Pouco de Luz 08/05/2014)

FILHO DE PEIXE, peixinho é. Todos nós já ouvimos esta expressão quando alguém quer dizer que o filho se parece com o pai, sejam as características físicas ou outras semelhanças nos costumes, gostos ou gestos. 

As crianças em geral gostam de imitar seus pais, ou as mães no caso das meninas. Gostam de imitar os gestos, calçam os chinelos e saem arrastando pela casa, vestem as roupas e, no caso das meninas, logo cedo aprendem a cuidar da aparência na vaidade normal do sexo feminino.

Geralmente admiram a profissão dos pais; e com certa frequência abraçam a mesma carreira, em áreas como advocacia, médicos engenheiros, militares, profissionais liberais e muitas outras profissões. Os pais costumam influenciar os filhos na escolha da profissão, mas não devem decidir por eles; a escolha deve ser sempre deles. Mas uma boa orientação e apoio são normais e poderá ajudar o jovem nessa difícil escolha, ou na decisão por ocasião dos vestibulares. Mas decidir por eles, “forçar a barra”, pode criar um mau profissional e infeliz a vida toda.

Em Israel era comum os filhos aprender a profissão do pai. Jesus não só foi chamado de o “filho do carpinteiro” (Mt 13:55), profissão de seu pai adotivo, mas também de “o carpinteiro” (Mc 6:3) Provavelmente, enquanto rapazinho, deve ter trabalhado como qualquer jovem normal no acabamento de construção de casas; visto que eram feitas de pedra ou terra, mas usava-se madeira nas vigas e nas portas.

Uma das coisas que influencia os filhos a seguir os pais em relação à profissão, é a maneira feliz com que o pai encara sua profissão, e com que orgulho fala dela em casa. Outro fator é que o pai poderá orientá-lo em tudo ao longo do curso e do exercício da mesma, em razão de sua experiência.

Contudo, alguns pais possessivos e não preparados para conviver com as diferenças, têm amargado enorme decepção com seus filhos em razão de suas escolhas. Veja por exemplo um pai militar, que viveu sob a rígida disciplina, conviveu com uma doutrina conservadora, e de repente o filho segue a carreira de balé, músico de uma banda, ou outras profissões em nada desmerecedoras, mas que foge aos padrões conservadores de seus pais. É um choque cultural tremendo.

Mas filho de crente, crentinho é? Quando pequenos geralmente são; principalmente quando aprendem a imitar o pai vestindo um terninho, cumprindo os rituais do culto, e falando amém a tudo que ouve; mas quando adultos a história muda; e ai, se não foram instruídos na Lei do Senhor, se não foram ensinados a amar, se lhes foi passada a ideia de um Deus vingativo e cruel podem até se tornarem revoltados. 

Alguns que foram criados com carinho e terno amor, instruídos acerca do amor de Deus, também podem ter seus descaminhos, ninguém precisa se sentir humilhado se os filhos tomaram outros caminhos, os próprios meios-irmãos de Jesus não criam no que Ele dizia; contudo, mais tarde se tornaram fervorosos discípulos, e dois deles, Tiago e Judas, escritores Bíblicos. 

Deus abençoe pais e filhos nesta fase difícil da juventude, quando afloram problemas e decisões de toda ordem e que podem deprimir o jovem diante de um mundo competitivo; onde nem sempre prospera o melhor. Aos pais é dito: “Não provoqueis vossos filhos à ira” (Ef 6:4) [Exigindo mais do que podem]. Aos filhos: “Honra a teu pai e a tua mãe”. Ouça sempre, dê ouvidos enquanto for possível.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação