sábado, 8 de fevereiro de 2014

Sobre a entrevista com cooperador da CCMJ (Reprodução indevida)

2 comentários
Não se julga a idoneidade de uma instituição pela má conduta de um de seus ministros/membros.

Esclareço que modo algum o texto a seguir deve ser encarado como ataque a honra da igreja Congregação Cristã Ministério Jandira (CCMJ) e nem de seus ministros, também não se quer aqui atribuir a instituição a responsabilidade pelas ações de seus ministros.

Não tinha a intenção de escrever esse texto, tentei resolver diretamente com o envolvido primeiro através de e-mail, depois por contato telefônico, porém, até o momento desta publicação o problema não havia sido solucionado, por isso da publicação.

Meu blog é licenciado com a licença “Creative Commons Atribuição 3.0 – Não Adaptada”, isto significa que a reprodução está previamente autorizada, independente de consulta, porém, exige que não haja alterações e a fonte seja devidamente citada.

O site www.cristanews.com.br , de propriedade do diácono Valbam da Silva Pereira, da CCMJ do Bairro do Limão (São Paulo – SP), é aparentemente um site de noticias cristãs, mas, pelo menos para o caso em questão, parece desconhecer totalmente as regras de isenção e imparcialidade que o bom jornalismo exige.

Seja na mídia impressa ou audiovisual, quando se transcreve uma entrevista preza-se pela fidelidade ao que foi dito pelo entrevistado, tanto é que a transcrição não corrige erros gramaticais e nem de concordância, adiciona-se parênteses na palavra transcrita propositalmente errada, exatamente do jeito que foi dita, para que não se acredite que foi erro gramatical daquele quem transcreveu a conversa, assim a transcrição reproduz com exatidão o que foi dito pelo entrevistado.

Venho por meio deste, informar que o referido site de noticias, denominado Noticias Cristãs, reproduziu o texto “CCB Jandira: visita e entrevista” violando a licença a ele atribuído.

Houve alteração do título da postagem, houve inserções/supressões indevidas a fala do entrevistado dando outro sentido ao que foi dito, ou foram adicionados outros elementos que sequer foram citados durante a entrevista pelo entrevistado,  além de omitir a fonte do texto original para confronto do leitor.

Conforme eu disse ao proprietário do site Noticias Cristãs, tanto por email quanto ao telefone, as alterações não são autorizadas e por se tratar de entrevista elas não são éticas e não refletem a verdade.

Esclareço que o cooperador entrevistado em momento algum usou o termo “Doutrina da Igreja Primitiva” fazendo referência à doutrina das Congregações Cristãs originadas no movimento pentecostal ítalo-americano, ele simplesmente afirmou que a CCBMJ segue a doutrina deixada por Jesus Cristo, como qualquer outra igreja evangélica.

Em momento algum o entrevistado afirmou que por muitos anos a Congregação Cristã no Brasil (CCB), fundada por Louis Francescon em 1910, foi à guardiã da doutrina pura e santa e nem afirmou que a CCB abandonou os “marcos”  da origem da igreja deixando de acreditar na Bíblia. Pelo contrário, o entrevistado disse que “a CCB do Brás é a obra de Deus e ninguém pode negar isso, nem mesmo podem dizer que Deus não está lá”.

O entrevistado jamais afirmou que a única diferença entre a centenária CCB e a jovem CCMJ é o fato da primeira crer em apenas parte da Bíblia e a segunda crer na inteira Bíblia. Vejamos o que ele realmente disse: “Continua tudo igual em termos doutrinários, ministérios e administrativos, a única coisa que muda é que o filho pródigo sempre é bem vindo à casa do Pai e que aceitamos e acolhemos os irmãos de outras denominações como verdadeiros integrantes da família de Cristo”.  

As alterações quase que passam desapercebidas, mas elas alteram e muito o teor da entrevista.

Enfim, o amor de um ministro pela causa da sua denominação não deve ser maior do que o amor pela verdade. Aquele que mente não está agindo "Em nome do Senhor Jesus".


Links importantes


Observação: o site Noticias Cristãs é de propriedade do diácono da CCMJ do Bairro do Limão (São Paulo – SP)

2 comentários:

Regina Farias disse...

Pra alguns que vivem de tradição oral, transmitindo acréscimos e supressões de geração em geração em nome do Senhor Jesus, essas adulterações aí são 'fichinha'.

Sendo, entretanto, excelente oportunidade de se fazer valer direitos, já que a tentativa amigável não funcionou. E prova é o que não falta.

Mario disse...

Pois é Regina, pensei isso, não se pode esperar algo diferente de alguém que estava acostumado com essas atitudes.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação