terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Cristãos de aparência, e as aparências que enganam

7 comentários
Ontem estive congregado numa Igreja Batista da grande São Paulo onde tive a oportunidade de apreciar a belíssima pregação de um pastor norte-americano.

Ele falou de algo que sempre falo, não é de minha autoria e também desconheço quem seja o autor, mas é algo que sempre cito no blog, o tal “a igreja não ser uma galeria de santos e nem de pessoas perfeitas, mas é um hospital para pecadores”.

O que me chamou a atenção nesta pregação impactante foi a sinceridade deste homem que em meio a pregação ia intercalando com seu próprio testemunho pessoal, e não era daqueles testemunhos que eu estava acostumado ouvir, que era narrado por pessoas que se diziam firmes até aquele momento e acreditavam ter a capacidade de serem fiéis até o fim, foi um testemunho que nos leva a refletir e nos faz chegar a conclusão de que nada somos, mas que Deus por seu infinito amor nos aplica grande misericórdia.

E eu me identifiquei muito com o testemunho do nosso irmão, pois, assim como ele, antes da minha conversão eu tinha minha religiosidade pessoal, até o dia em que realmente me rendi ao Senhor dos senhores, me batizei e provei de uma experiência intima com Deus. Logo após o batismo recebi uma lista de ensinamentos e uma série de recomendações que eu deveria praticar na minha nova vida, regras que se seguidas traz prestigio entre os irmãos e mais adiante pode render algum cargo de liderança na igreja, comigo  ocorreu isso.

Regras que no inicio eu até via com bons olhos e achava boas para minha vida, apliquei fielmente, naquele momento foi muito bom para meu aprendizado, mas noutro momento me fez soberbo a ponto de me julgar melhor apenas pelo fato de seguir as regras e também a julgar os que não se enquadravam nelas, o tempo passa e daí começamos a enxergar que seguimos as regras não porque elas edificam o espírito e nem porque são necessárias a nossa vida cristã, mas sim porque a igreja nos transformou em modelos para outras pessoas quando nos deu um cargo.

Foi exatamente isso que vivi quando era auxiliar de jovens numa denominação evangélica, eu tinha meus conflitos no tocante algumas regras e ensinamentos da denominação, conhecia o que dizia a Palavra de Deus sobre o assunto, mas mesmo assim eu vivia as regras de modo farisaico porque eu tinha me tornado modelo para os jovens e não podia insurgir contra a doutrina. E eu não estava sendo sal e nem luz para do mundo, pois, vivia o que não cria.

O pastor com base na sua experiência cristã falou do que é e do que não é a vida crista.


Primeiro vamos ao que não é vida cristã.

- A vida cristã não é uma lista de regras a serem seguidas, vejamos: Dizemos isso por causa da confiança que temos em Deus, por meio de Cristo. Em nós não há nada que nos permita afirmar que somos capazes de fazer esse trabalho, pois a nossa capacidade vem de Deus. É ele quem nos torna capazes de servir à nova aliança, que tem como base não a lei escrita, mas o Espírito de Deus. A lei escrita mata, mas o Espírito de Deus dá a vida.” (2° Corintios 3:4-6)

- A vida cristã não é uma lista de princípios que funcionam bem, vejamos: Tenham cuidado para que ninguém os torne escravos por meio de argumentos sem valor, que vêm da sabedoria humana. Essas coisas vêm dos ensinamentos de criaturas humanas e dos espíritos que dominam o Universo e não de Cristo.” (Colossenses 2:8).

- A vida cristã não é simplesmente experiência ou capacidades, vejamos: Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino.” (1° Corintios 13:1).

- A vida cristã não é simplesmente conhecimento, vejamos: “Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé, que até poderia tirar as montanhas do seu lugar, mas, se não tivesse amor, eu não seria nada.” 1° Coríntios 13:2).

 - A vida cristã não é simplesmente generosidade, vejamos: Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada”. (1° Coríntios 13:3). 


Agora vamos ao que é vida cristã.

- A vida cristã é uma pessoa: Jesus. Vejamos: Cristo é tudo e está em todos.” (Colossenses 3:11).

- A vida cristã é um relacionamento com esta vida perfeita, vejamos: “Eu sou a videira verdadeira” (João 15:1).

- É uma união do espírito humano com o espírito de Deus, vejamos: “Vocês, porém, não vivem como manda a natureza humana, mas como o Espírito de Deus quer, se é que o Espírito de Deus vive realmente em vocês. Quem não tem o Espírito de Cristo não pertence a ele.” (Romanos 8:9).


E onde está a tal vida cristã?

- Jesus é a vida e está em todos os crentes, vejamos: Cristo é tudo e está em todos.” (Colossenses 3:11).


- A vida cristã que está em você estabelece o que é possível você ser e fazer:  Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15:5) e também “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” (Mateus 5:48).

Da mesma forma que a pregação me impactou por me fazer enxergar que naquela época eu era um cristão de aparências, espero que este texto também leve os leitores a refletir se vivem verdadeiramente uma vida cristã ou se são cristãos de aparência.

7 comentários:

HP disse...

Lindo texto Mário.

Acostumamos à vitórias, bençãos, triunfos e confundimos completamente o que Cristo nos ensinou.

Ontem mesmo tive que responder à um irmão que se vangloriava de sua interpretação de Evangelho como certa, uma vez que era "abençoado" em vários quesitos.

Poxa, o próprio Senhor Jesus disse: "Aves tem seus ninhos e raposas seus covis, mas o FILHO do Homem não tem aonde repousar a Sua cabeça”…

Ótima reflexão meu irmão.

Um abraço.

Mario disse...

HP

Comigo sempre foi o contrário, Deus me abençoava e eu bastante critico olhava pra mim e dizia: "Meu Deus, não sou digno disto".

Eu não tenho nada contra as tais regras, apenas entendi que elas nada desabonam e nada acrescentam, que não adianta seguir todas as regras e não ter Cristo no coração.

Fraterno abraço!

Regina Farias disse...

Então, Mário... Sei do que você fala. Por ter passado por isso e por ter acompanhado teu processo de libertação também.

Esse negócio de dizer que é abençoado porque tem todos os pedidos atendidos remonta a cultura judaica dos tempos de Jesus onde Ele rebatia com veemência o que diziam os fariseus a esse respeito; distanciando-se dos leprosos (estes viviam FORA dos portões das cidades) dos pobres, dos doentes, das prostitutas, enfim de todos aqueles marginalizados pela sociedade escolhida e abençoada. E ainda hoje os religiosos continuam se fazendo que não estão ouvindo o que Jesus disse e continuam determinando quem é filho de Deus pela lista de pedidos atendidos, pela numerosa família 'serva', pelos supostos sinais de Deus em suas vidas, pelo kit religioso empregado. Ficam brincando de queridinhos de Deus. Fazem a própria medida de Deus. Definem o caráter de Deus a partir das próprias doutrinas inventadas por eles. E eu é que sou herege?!

Mario disse...

Pois é Regina!

Ainda hoje existe o "muro" que mantém fora da igreja os excluídos tidos pecadores que não por acaso estão dentro da graça, mas Deus julgará a cada um pelo seu bem e seu mal.

Fique na paz!

Carina Lopes disse...

Infelizmente grande partes dos que estão dentro da igreja são crente de aparência.. Tem muito gente que bate no peito dizendo eu sou crente dessa tal denominação, mas não dá bom testemunho nenhum, muitas pessoa dizem que querem o dom de evangelizar as pessoas, mas mal sabem eles que o bom testemunho é o que traz as pessoas para graça e não apenas dizer que é crente, que a igreja dele é diferente, que não paga dizimo etc..mas testemunho que é bom nada, é pior do que um que não está na graça.

MARISA MELLO ROSSINI UZUN disse...

Olá Mario.
Eu fico pensando...Eu estava na religião, porque meus pais me levaram lá.E lá,fui batizada,e crismada fiz a 1ªcomunhãom casei era uma pessoa participante de tudo o que havia e fazia tudo com muito amor.Eu cria que Jesus era o FILHO DE DEUS,que morreu na cruz e que depois ELE ressucitou,e vive e reina.Mas o proprio SENHOR me chamou para o evangelho.Aceitei a Cristo como meu UNICO E SUFICIENTE SALVADOR.E É NELE QUE CREIO E CONFIO.
Porem, fiquei escandalizada de ver que AQUELES que se dizem do Senhor, na verdade não o são.Não vi se não grande vaidade por ocuparem alguns cargos.
Diferente da religião,pois lá há imagens de santos por todos o lugares dentro da igreja, mas aqui,cada um é idolatra de si mesmos.
Falam de Deus,como se ELE fosse QUALQUER COISA, não há testemunho de humildade,nem de fraternidade e muito menos de AMOR.Na religião que todos nós sabemos que é considerada pela Biblia A GRANDE PROSTITUTA,HÁ CERTOS PORMENORES que lá é abominação.Por exemplo, pessoas casadas, que se separam, não se casam de novo ali.
Já na Igreja do Senhor Jesus não há problema nenhum em se casar.E o proprio pastor é quem faz o casamento.Não dá pra aceitar .ELES NEGAM a PALAVRA-porque no Livro de genesis está escrito que o que Deus uniu não separe o homem.Tambem Jesus explica em Mateus 19, que somente é permitido a carta de divorcio em caso de adulterio, mas em nehum lugar na Biblia há o consentimento da parte do Eterno para o 2º casamento, salvo se a pessoa for viuva ou solteira.Então a culpa dos caamentos entre pessoas separadas
cujas esposas estão vivas ou os maridos estão vivos,é daqueles pastores que estão conduzindo essas almas para o inferno.E o que mais nós vemos dentro da Igreja do Senhor Jesus são essas terriveis coisas.IDOLATRAS, ADULTEROS,sem contar com aqueles que abusam do poder financeiro das obras em seu proprio beneficio.NÃO HÁ AMOR. NÃO HÁ.
Todos como voce mesmo disse são moldados conforme a doutrina daquele lugar.Mas ammor . . .não não há.
As igrejas tem CNPJ são empresas, que passam dos pais para os filhos.
A Renda é boa.
Ainda que naquele lugar o SENHOR levante homens cheios do Espirito para a direção ou pastorado do lugar,de meneira nenhuma esse homem é levado em consideração, pois o pupito passará para qualquer um da familia dos pastores então daquele lugar.Mesmo que essa pessoa não tenha nada de Deus.
Creio que o Senhor é quem faz tudo em todos aqueles a quem ele quer usar.ELE É DEUS,jamais SE deixará manipular pelo homem,pó da terra.Porque por mais que o homem estude, ocupe cargos disso ou daquilo,ele continuará sendo pó.

Mario disse...

Marisa, em todos os lugares, até mesmo naquela que é considerada pelas demais como a grande prostituta, e até mesmo noutras religiões tidas pagãs, existem pessoas que temem e servem verdadeiramente a Deus e praticam a verdadeira caridade e praticam o amor.

Infelizmente, sempre existiu e sempre existirá aqueles que falam uma coisa, mas fazem outra, ou seja, ensinam uma coisa e vivem outra.

Por isso, Jesus Cristo deve ser o modelo e Ele deve ser a rocha na qual fundamos nossa fé.

Fique na paz!

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação