domingo, 1 de dezembro de 2013

O futuro a Deus pertence, não recorra ao ocultismo

3 comentários
Houve um tempo em que os cristãos eram diferentes, tão diferentes que serviam como “sal da terra e a luz do mundo” (Mateus 5:13-14), hoje, principalmente no meio neopentecostal, os cristãos, que são peregrinos neste mundo, pouco se diferenciam deste mundo onde estão apenas de passagem.

No artigo “Sobre o exclusivismo”(link) eu comentei que o sal é um tipo tempero e que como tal deve ser dosado na medida certa, pois, todos sabem que o sal tem o poder de modificar o sabor dos alimentos.

No passado, quando ainda não existia a geladeira, o sal era utilizado como conservante de alimentos, principalmente carne, pois, o alto teor de sal impede a contaminação e ação destrutiva dos micróbios.

Dizem que certa vez Albert Eistein debatendo a existência de Deus com seu professor ateu fez a brilhante afirmação de que a escuridão não existe, o que na verdade existe é a ausência da luz. 

A luz é uma criação divina (Gênesis 1:3) e Deus vendo que a luz era algo bom logo cuidou de separá-la das trevas (Gênesis 1:4). É como diz o ditado “filho de peixe, peixinho é”, então, se Deus é os pai das luzes (Tiago 1:17) e somos filhos de Deus devemos realmente ser a luz do mundo.

Há quem tenha a intenção de ser o “sal da terra”, mas erra na dosagem, exagera e dosa demais tornando a comida (evangelho) intragável, ou dosa uma quantidade insuficiente para promover a mudança necessária no meio onde é adicionado.

A pratica e a Palavra de Deus confirmam que devido à luz não se pode esconder uma cidade edificada sobre os montes (Mateus 5:14). Porém, em meio às trevas, de tão apagados, alguns cristãos passam despercebidos pelo mundo.

Dias atrás durante uma sessão de fisioterapia eu prestava atenção no rádio, e escutei a propaganda de uma astróloga que tem o nome de Silvana e diz que os resultados são garantidos, com direito a depoimento de clientes, do tipo: “Nela eu confio!”.

Neste final de semana jogaram em minha casa o jornal de uma igreja neopentecostal e na capa tinha uma manchete categórica “Tenha sua vitória em 40 dias”, confesso que não me dei ao trabalho de ler a matéria, e não encontrei diferenças entre o apelo do anuncio da astróloga e da manchete do jornal da tal igreja evangélica.

Recentemente um irmãozinho veio questionar sobre mães de santo, pois, ele tinha visto uma reportagem, se interessou e agendou uma consulta com uma. Na semana seguinte um amigo que já frequentou igreja evangélica me relatou a regressão que fez num ambiente espírita/umbandista.

Acabei recordando da vez que a esposa de um ministro do evangelho me perguntou se eu lia o meu signo, quando disse que não ela ficou admirada, eu não fiquei impressionado com a reação dela e nem com o fato dela consultar a astrologia do seu signo, afinal, ela, como muitos, vão à igreja e encaram a pregação como uma espécie de oráculo onde se recebe respostas para suas perguntas que anseiam o futuro.

Na mesma semana eu estava preocupado com uma cachorrinha que eu havia comprado, ela tinha 32 dias quando no impulso eu fui até outra cidade pegá-la, chegando na minha casa e pesquisando na internet me deparei com a informação de que não se deve separar um filhote da mãe e da matilha antes dos 45 dias, fiquei aflito e desesperado com a possibilidade da filhote ter problemas de saúde e morrer.

No dia seguinte já a levei no veterinário, e falei dos meus receios e do que tinha lido na internet, e ele me disse coisas diferentes do que eu havia lido,  então, eu fiquei tranquilo. Foi assim que eu experimentei o que eu mesmo tinha dito ao irmãozinho que me consultou antes de ir à mãe de santo: “às vezes somos inseguros, tudo o que precisamos é de uma palavra de incentivo que nos dê confiança para avançar, alguém que nos diga aquilo que queremos escutar, portanto, a igreja, a astrologia, a mãe de santo ou a terapia com uma psicóloga proporcionarão os mesmos resultados, pois, darão um direcionamento para seguirmos e nos deixarão seguros para avançar”.

Sejamos luz do mundo, que nossa fé e nosso proceder sejam o testemunho de um Deus que ama ao homem, um Jesus que tem poder, que salva e cura.

Sejamos sal, não nos contaminemos com as imundices deste mundo, a graça de Deus nos basta, não recorramos aos espíritos imundos que nos enganam, pois, isto é abominável aos olhos do Senhor,  não nos esqueçamos de que o inimigo de nossas almas é sujo e se traveste de anjo de luz e boas intenções para nos enganar.

Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará. (Salmos 37:5)

3 comentários:

Regina Farias disse...

Passada rapidinha ;)

Então, Mário...
Eu conheço um crente da CCB que mandou fazer um mapa astral rss Me surpreendeu porque eu o via como um cara 'crente' totalmente livre dessas crendices. Mas, bora, combinar, né? Ser da CCB e ser totalmente livre de crendices é querer demais. (Salvo raríssimas exceções, mas aí já não 'pertence' à CCB e sim a Jesus, tem diferença grande! - #prontofalei)

Enfim, as pessoas só querem ouvir aquilo que lhes é conveniente.
E o púlpito é um lugar 'bem apropriado...' Pra se dizer e se ouvir o que interessa a quem diz e a quem ouve. (Consulta gospel). Isso, sim, contamina a si e aos outros...

In Té + ;)

Abs,

R.

ronaldo santos disse...

Oque tem haver ccb com o post, senhora Regina?

ronaldo santos disse...

Pessoas deste tipo tem em qualquer lugar, te garanto que isso não é ensinado na ccb, muito pelo contrario.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação