quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Você joga a boia ou deixar afogar?

13 comentários

Testemunho muito forte!

Para ser sincero, preferia nem comentá-lo, mas já que solicitado pelo irmão Max, vou dizer quais são minhas impressões.

Antes de discorrer sobre o assunto gostaria que desse uma lida nestes dois textos que publiquei já há um tempo, segue os links:






Olhe também o vídeo abaixo



Max, já leu os referidos textos?

Se sim, então me diga, em sua opinião esta irmã era convertida ou convencida? Sua fé se firmada num relacionamento verdadeiro com Deus ou em regrinhas criadas pelo homem?

Não questiono a índole e muito menos a sinceridade com que a moça citada neste testemunho servia a Deus, mas como disse no texto do segundo link, o legalismo é perigoso pelo fato que ele nos faz esquecer aquilo que Deus e o próprio Jesus Cristo fez por nós.

Se esta moça tivesse sua fé firmada nas Sagradas Escrituras e não no legalismo, ela não teria duvidas que me mesmo com seus cabelos cortados, com unha pintada e com calça comprida Deus a amava do mesmo jeito.

Esqueçamos por um instante que os usos e costumes não passam de regras criadas pelo homem que são uteis para o estabelecimento da disciplina e da ordem na igreja, ou seja, esqueçamos por um instante que não é doutrina bíblica, agora analisemos os pontos no testemunho dos quais podemos extrair lições que podem promover nosso crescimento.

Deus orienta os jovens a serem obedientes e atentos aos conselhos de seus pais, vejamos: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra” (Efésios 6:1-3).

Todos os dias o mundo desafia aos homens e mulheres que servem a Deus, o próprio Jesus foi testado quando por quarenta dias foi tentado pelo diabo no deserto (Lucas 4:2).

Ao contrario de Jesus que resistiu as tentações (Lucas capitulo 4, versículos 4, 8 e 12),   o homem e a mulher que servem a Deus estão sujeitos as fraquezas da carne que se manifesta a todos os homens. Pedro divinamente inspirado escreveu: Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor (1° Pedro 1:24).

Mesmo cientes das nossas fraquezas, enquanto crentes devemos estar atentos às palavras de Jesus, que disse: Vigiai e orai, para que não entreis em tentação” (Mateus 26:41).

Quanto ao pecado da moça, só me cabe dizer que houve sincero arrependimento, por isso, ela obteve perdão (Atos 3:19), pois, o que confessa seus pecados alcança misericórdia (Provérbios 28:1).

Somos orientados a não pecar, devemos nos esforçar para não pecar, mas “se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1° João 2:1), certamente Jesus intercedeu por esta moça e houve alegria nos céus porque ela se arrependeu (Lucas 15:7).

Quanto ao ancião que respondia a saudação da jovem com “boa tarde” ou “boa noite”, penso que é uma atitude soberba e cruel, pois, ele é tão pecador quanto à moça ou qualquer um que ler este texto (1° João 1:8), além de que Deus nos deixou o mandamento de amar ao próximo (Gálatas 5:14), a Bíblia está repleta de exemplos sobre tolerância e o modo como devemos tratar o pecador, talvez citar um deles seja o suficiente,  Jesus disse a uma adultera: “Nem eu te condeno; vai e não peques mais” (João 8:11), pois é, Jesus não ama ao pecado, mas ama o pecador arrependido... Já os homens hipócritas julgam, condenam e destratam aqueles que têm o seu pecado descoberto.

Mas é assim mesmo, o homem erra constantemente, às vezes consideram comum ou imundo o que Deus já purificou, Pedro também fez isto (Atos 10:13-15).

A mãe de moça pedir oração para sua filha que estava enferma está em conformidade com a Palavra de Deus, que diz: “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor” (Tiago 5:14), um ministro negar uma oração por alguém que está sofrendo está errado, pois, está escrito: “Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre? Cante louvores.” (Tiago 5:13).

O conflito enfrentado pelo ancião em fazer a oração e ungir a moça é semelhante ao que enfrentou Pedro quando Deus lhe mandou anunciar o evangelho para converter Cornélio na Cesaréia (Atos 10), o importante é que tanto Pedro quanto o ancião ouviram a voz de Deus e fizeram a sua vontade, ambos fizeram isto após se deixar conduzir pelo Espírito Santo e se desvencilhar dos laços do legalismo (Atos 11:18).

Não posso encerrar este texto sem esclarecer que esta moça não teve câncer e nem veio a falecer pelo fato dela ter cortado os seus cabelos, pintado as unhas ou usado calças compridas, pois, usos e costumes são recomendações humanas, ou seja, não é doutrina bíblica e nós alcançamos a salvação por graça e misericórdia de Deus (Efésios 2:8-9).

Quando no inicio do texto eu disse para esquecermos por um instante que usos e costumes não são passam de regrinhas humanas, já previa no final do texto ser obrigado a dizer que não estas coisas não podem sequer serem consideradas fraquezas por não ser doutrina bíblica.

Diversos fatores levam uma pessoa a ter câncer, esta enfermidade assola sem distinção pessoas de todas as crenças, de todas as raças, todas as cores, de todas as idades, de todos os sexos e de todas as classes econômicas.

Se esta moça tivesse sua fé firmada em Deus, Jesus Cristo e a Palavra de Deus, provavelmente, enfrentaria melhor a situação de ter pecado, pois, o legalismo não teria feito ela esquecer aquilo que Deus e o próprio Jesus Cristo fez por todos nós pecadores, inclusive, ela.

Acerca dos conselhos de sua mãe, se a moça tivesse dado ouvidos, provavelmente, poderia não ter pecado sexualmente, mães são sabias e pela experiência de vida que possuem acabam enxergando mais adiante.

Infelizmente, pregações como estas do vídeo são usadas em grande escala para se utilizar do medo como cabresto, e o pior é que surtem efeito, muito estão aprisionados por uma prisão sem muros chamada religiosidade. Jesus usava apenas suas palavras para convencer e converter multidões que o seguiam espontaneamente, nunca disse que se alguém não viesse andando, então, viria numa cadeira de roda.

Eu mesmo, devido coisas que já ouvi dentro da igreja temia a morte caso saísse da CCB, fui conhecendo mais sobre a Palavra de Deus, descobri que Deus é amor (1° João 4:8), que seu jugo é suave (Mateus 11:30)  e pela verdade acabei liberto das algemas do medo e do legalismo (João 8:32).

Talvez a lição maior que podemos extrair deste testemunho é que todos somos pecadores e diferimos apenas no tipo de pecado cometido (Romanos 3:10), que a igreja não deveria ser uma galeria de santos, mas um hospital para pecadores (Lucas 5:32) e que deixando de estender a mão a um pequenino ao próprio Deus deixamos de estender (Mateus 25:40) e que o Pai sempre receberá de braços abertos seus pródigo filho que volta ao lar (Mateus 15:20).

O irmão do vídeo fez terror para perpetuar a tradição dos ensinamentos acerca de usos e costumes da sua denominação, pra mim esta moça  não foi vencida pelo câncer, pois, está escrito:  "Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos, se morremos, pas o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor" (Romanos 14:8).

Enfim, quando alguém está em pecado e pede ajuda, nós temos duas opções, jogar a boia ou deixar se afogar... Você, joga a boia ou deixa afogar? 

13 comentários:

HP disse...

Mário,

Perfeito teu texto.
Eu somente alteraria a frase: "Jesus não ama ao pecado, mas ama o pecador [i]Arrependido[/i]..."

No demais, temos que proclamar o amor de Jesus a todos, exortando ao arrependimento dos pecados e à servir a Deus.

Paz.

Mario disse...

Henrique,

Sugestão aceita.

Aproveitei e fiz o acréscimo do penúltimo paragrafo que havia me esquecido.

Fique na paz de Deus!

Voltemos a Cristo disse...

Mário , muito bom o texto , mas gostei principalmente do outros sobre legalismo, me ajudaram muito pois confesso que esse fim de ano foi dificil , com um monte de parente em casa e tendo que me justificar toda hora por que não sou mais da Ccb, escutei muito , fiquei tiste, até ponderei em voltar, mas ainda continuo firme no que o Senhor tem me ensinado nesses 3 anos de liberdade reliiosa.
Que Deus te abençoe.

HP disse...

Então Mário, eu já conhecia esse testemunho há alguns anos.

Na época que eu não lia a Bíblia e vivia "moldado" por ensinamentos e doutrina legalista, achava que Deus só a perdoou, porque ela tinha se humilhado muito. Foi mérito dela por ter se humilhado muito diante de Deus.

Hoje, tendo em luz a Palavra de Deus, me considero tão necessitado da misericórdia de Deus quanto ela.

Ah se Deus não tiver misericórdia de mim!
"Quão miserável homem que sou!"

Regina Farias disse...

Mário,
Perdão por parecer intransigente, mas eu não tenho estômago pra ouvir mais certos proselitismos de púlpito. Ouvi muito isso a minha vida inteira e ficava angustiada e silenciosa por não ter como contra argumentar. Agora tenho a Palavra de Deus que não só me libertou, como também me blindou de qualquer terrorismo religioso. Confesso que até me esforcei e tentei passar dos 3 minutos no tal video, mas meu estômago revirou quando ouvi que 'estão envergonhando NOSSA igreja'. Entregou-se. É a igreja 'deles'. A panelinha. A performance. Ora, a igreja de Jesus é invisível e não segue regras exteriores. Quando esse povo vai entender isso? Por outro lado, tenho certeza que essa nova geração não se rende a essas sandices. Os novos comportamentos - profundamente saudáveis, diga-se de passagem - estão bem aí na nossa frente (aos nossos olhos, só não enxerga quem não quer!!!) apontando mudanças profundas que, gradativamente, vão neutralizando esses tais 'usos e costumes' que estão na contra mão do Evangelho anulando o sacrifício perfeito.
Eu creio nisso. Graças a Deus!

Em relação aos outros textos, ainda não os li, embora tenha quase certeza de já tê-los lido quando postados, já que sou sua leitora de carteirinha. Ainda que nem sempre comente, como esses dias em que estou viajando de férias e, portanto, meio de férias de blogs também. Mas vou ler novamente e caso queira fazer algum comentário, voltarei em breve.

E, como diria, o HP: ah se não fosse a misericórdia de Deus em nossas vidas... O legalista,a irmã desviada, o doente, o sadio e a transgressora aqui, estaríamos TODOS, igualmente, em maus lençóis...

E valeu por mais um texto lúcido!

Que Deus o abençoe mais e mais! Para nossa alegriaaaaaaaaaaaaaa ;)

R.

Regina Farias disse...

Ooops!!!

Não poderia deixar passar...

Respondendo à pergunta-título:

Eu jogo a bóia, siiiiimmmm!!!! Com a ajuda de Deus em Sua infinita misericórdia!!! Amém!!!

R.

Regina Farias disse...

Acabei de ler sobre o legalismo.
Como imaginei, não apenas li, como dei o velho pitaco rsss
Pena que o termo 'engessado' tenha ficado bem nítido no último comentário...
O(a)anônimo(a)não entendeu 'lhufas' do que foi dito. Nem no texto nem nos comentários.
"Normal"... :(

max disse...


Mario

Graça e Paz

Li os dois link o qual você postou,certo é quem passa a ler a bíblia frequentemente(o que não é o meu caso ),começa a ter visão diferenciada em relação a teoria oral da irmandade. Porém como a palavra é por revelação não tem como o homem questionar já que a mesma é expirada pelo espirito Santo.Sei que o irmão é batizado na (ccb )o irmão não sentiu o pulsar no coração ao ser chamado,não acha que isto é o diferencial em relaçao as demais igrejas. Eu sinto externa dificuldade em sair dos "dognas"na ccb.
Já o ocorrido com essa irmã Louvado seja Deus por ela ter sido salva,mas outras pessoas estão desiludidas com a vida e não tem mais esperança de salvação por essa mesma condições de pecadora a qual a irmã se encontrava ou por alguma outra circunstância da vida.

max disse...

Mário, também encontrei esse trabalho e passo para o irmão ler ,porém não peço para o irmão comentar.

[PDF]
Evandro Rodrigues - Universidade Presbiteriana Mackenzie : Index
www.mackenzie.com.br/fileadmin/.../pibic/.../evandro_rodrigues.pdf

Regina Farias disse...

Pois é, M[ario.

O terrorismo religioso (por meio de dogmas, doutrinas, ensinamentos... Tem vários nomes) enfiado de forma velada e gradativa na cabeça, no coração, na mente, nas veias enfim, é algo tão real e cruel, que as pessoas, mesmo sabendo da verdade, não ousam 'desobedecer' com medo do castigo de morte precedido de doença terrível.

É a tal da religiosidade maniqueísta profundamente arraigada no meio evangélico!!!

A esperança lhes foi arrancada do peito de forma terrível por uma religião em nome de um Deus vingativo e cruel. Por isso que se diz que é melhor o islamismo, pelo menos é uma seita que não se usa o nome de Jesus para suas sandices.

Esse povo fica brincando de Deus, mas Jesus deixou claro o que dirá a esses dirigentes que se acham no direito de destruir vidas de gente viva deixando-as apenas vegetando pela brutal opressão que eles se acham no direito de exercer nos corações dos fiéis..

A esses dirigentes Ele dirá: 'nunca te conheci, aparta-te de mim'. Muito me intriga (e me assusta!) eles não atentarem para isso.

Já houve quem dissesse que eu bato na mesma tecla, mas enquanto eu ler e participar desse tipo de evento deplorável, a tecla e o tom serão sempre os mesmos. Isso não me cansa, pelo contrário, mexe com todos os meus sentidos, me deixa indignada duplamente de ver que pessoas estão sendo maltradas e que isto é 'em nome de Jesus'.

E não que Jesus precise de defesa. A minha indignação é quanto à manipulação, Ou seja, meus sentimentos, emoções e atitudes serão sempre em relação às pessoas. Tanto às que estão sendo oprimidas quanto às opressoras.

E ainda bem que não sou passiva quanto a isso. Graças a Deus!!!

R.

Mario disse...

Regina,

Acredita que em momentos de fraqueza deixei de ir na igreja com medo do que "Deus" ia falar? ... Preferia ficar em casa e ficar protegido pela ignorância do que "Deus" iria me falar.

Mas chegou o momento que eu vi que era melhor sair em paz indo pra um lugar alinhado com o que eu cria, do que permanecer em guerra comigo mesmo... foram quase dois anos com os pés em duas canoas para ter coragem de sair da gaiola e voar com a liberdade que Cristo nos deu.

Fique na paz e obrigado pelo comentário!

Mario disse...

Max, graça e paz!

Eu sei bem o que você está dizendo, afinal, fui membro da CCB por mais de 10 anos, e eu só comecei a ler a Bíblia porque queria aprender mais e não podia dialogar dentro da igreja, afinal, ao você questionar algo as pessoas te olham como se estivesse cometendo um sacrilégio.

Aqueles que não leem, ou que pouco leem, a Bíblia, acabam ficando dependentes de outras pessoas.

Os ministros geralmente são guiados pelo Espirito Santo em suas pregações, mas nem sempre estão só na guia... O apostolo Paulo escreveu suas cartas divinamente inspirado pelo Espirito Santo de Deus, e ele mesmo disse que julgássemos aquilo que saia de sua boca... Jesus disse que erramos por não conhecer a Palavra de Deus... Em diversos pontos da Palavra de Deus somos alertados sobre falsos profetas, por isso, é essencial estarmos atentos as pregações.

Se formos rígidos em dizer que a pregação da palavra nos púlpitos é inspirada pelo Espirito Santo e por isso não pode ser questionada acaba parecendo que a Bíblia não tem serventia alguma... e não é bem assim, ela é nossa regra de fé e poder de salvação de todos que creem.

Já ouvi pregações inspiradas na CCB e em outras denominações quais já visitei, assim como também escutei coisas destoantes das Sagradas Escrituras... O que foi bom eu retive, o que não procedia eu ignorei.

Eu senti a presença de Deus dentro da CCB, a mesma presença que senti nas demais igrejas... Nós somos os templos, onde nos reunirmos em nome de Jesus, pode ter certeza que o Espirito Santo se faz presente também.

Unknown disse...

O ser humano é assim mesmo eu me enquadro também junto com o mario queremos arrumar uma muleta pra tudo , e ficar dando uma de coitados. atenc... nascimento ccb cohab 1 sp.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação