sábado, 20 de outubro de 2012

Cristãos domesticados

4 comentários

Ver, ouvir e falar, para uns  virtudes e para outros defeitos.

Todo mundo conhece alguém que enxerga demais, ouve de menos e fala exageradamente.

Talvez vez você até se identifique com o descrito na frase anterior.

A institucionalização da fé e a idolatria a líderes religiosos tem gerado um amontoado de “cristãos domesticados” que muitas vezes deixam de ver o querer e o mover de Deus em suas vidas, que deixam de ouvir aquilo que Deus lhe fala por meio do Espírito Santo que habita em nossos corações, que deixam de falar das boas novas e das maravilhas que Deus faz e, talvez, sem perceber exaltam demais o inimigo de suas almas falando que ele fez isso ou aquilo e de tando ser dito ele acaba crido.

Somente ouvidos atentos escutam aquilo que o Espírito de diz as igrejas e reconhecem a voz do seu Sumo Pastor e, então, o seguem em espírito e verdade (João 10:27)

Somente os olhos atentos daqueles que procuram andar com prudência percebem o querer de Deus em suas vidas e enxergam o mal que o cerca e, então, se esconde dele (Provérbios 22:3).

Somente aqueles estão atentos ao poder destrutivo das palavras (Tiago 3:5-6) dominam sua língua (Salmos 39:1) de modo a não pecar na presença de Deus e contra seu irmão, antes, abrem sua boca para louvar a Deus e falar de todas as suas maravilhas (1° Crônicas 16:9).

Ora não somos estatuas de ouro criada pelas mãos do ourives que tem olhos, mas que não enxergam, não somos ídolos feitos em ferro fundido que tem boca, mas não fala, não somos imagens de barros moldadas por mãos humanas que tem ouvidos, mas não ouvem.

Saia da inércia, que teus pés te conduzam por aí para que fale do evangelho de Jesus Cristo e te exercitar no amor ao próximo, não permita que seus olhos ignorem os pequeninos do Senhor que necessitam de cuidados e se sentem invisíveis perante a sociedade como um todo, não dê ouvido a aquilo que nada acrescenta a sua vida ou te envenena contra teu irmão. Abra a boca para acrescentar algo de bom na vida daqueles que o cerca.

Ser crente é muito mais do que ser um cristão domesticado, é muito mais do que se permitir ser adestrado por doutrinas e saber deitar e rolar conforme os dogmas impostos... Ser cristão é também saber ver, ouvir e falar.

Veja com sabedoria, ouça atenção e fale com moderação!

4 comentários:

Regina Farias disse...

Mário,

Se observarmos atentamente, e principalmente despidos de denominacionismos, veremos que em suas cartas, Paulo fala de vida prática cristã. Na sua missão apostólica, sua ênfase sempre foi de apresentar instruções para uma vida cristã SINCERA no cotidiano, e não para uma vida religiosa, dentro dos moldes do líder da igreja. Inclusive, isso de pegar umas falas dele pra, em cima delas, montar uma igreja supostamente do agrado de Jesus é, na realidade, de natureza paganista.

Não perdemos nossa individualidade quando nos filiamos a determinada instituição religiosa. Deus não é um tirano religioso. Aliás, foi Ele mesmo que nos concedeu essa individualidade preciosa!

Não temos nenhuma obrigação de adotar clichês como postura de verdadeiro crente ou usar certos chavões religiosos para ganhar o céu. Deus nunca deu importância para isso! Ele olha se há a intenção prática no nosso coração ou se estamos participando de uma farsa coletiva para bajulá-Lo. Ele dispensa os bajuladores e clama por mais 'samaritanos' que não supervalorizam as leis, regras, normas e apenas têm o gesto simples, eficaz e necessário, no momento necessário e pronto. O resto é invenção do homem religioso. No dia em que cair a ficha do religioso de carteirinha, ele vai entender o quanto seu esforço por ser/parecer bonzinho e certinho é vão e patético.

Adestramento é para animais, que não têm raciocínio, consciência, senso crítico. Prerrogativas estas, que são presente de Deus a cada um, pessoalmente! E não, coletivamente, para um dirigente reacionário comandar. Senão, qual o sentido desse 'presente'? Portanto, façamos o uso CORRETO do que nos foi dado de GRAÇA.

Estou contigo, vamos ficar bem alertas em relação a esses 'líderes' que falam demais. Aliás, diga-se de passagem que líderes extremamente respeitados também podem nos decepcionar. É por isso que Deus não considera posições e tipos de atuação (Rm 2.11) Uma coisa é o respeito pelo ofício, outra coisa é a fidelidade a Cristo, somente. Ninguém espere de mim, reverenciar a quem quer comandar minha vida pessoal.

Abs,
R.

Szmyhiel disse...

Caro Mário,

É... realmente tem gente que fala demais...e como fala...

O pior que é sempre aquela hipocrisia... aquela reafirmação pessoal... tão dissimulada.. que dá até nojo!

Parabéns pelo post, grande abraço!

Deus abençoe!

Ricardo Alexandre disse...

Presencie algumas situações estes dias, todas parecidas: Em reunião com os músicos e organistas estes começara a rebater "os ensinamentos"; percebi o ministério confuso nas respostas e nervosos com a atitude de questionar.

Mario disse...

Ricardo,

Em 2009 também participei de uma reunião de todos os/as auxiliares da minha cidade com o ministério (anciães,cooperadores e diáconos), aqui também houve questionamento dos ensinamentos por parte da mocidade, o ministério respondeu tudo... é uma nova realidade que eles terão de se adaptar.

O relato de tal reunião fiz nesta postagem: http://www.blogdomario.com/2009/04/relato-de-uma-reuniao-com-o-ministerio.html

Fique na paz de Deus!

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação