sábado, 15 de setembro de 2012

Não trate como primo de terceiro grau quem te trata como irmão

6 comentários

O cristão sábio julga aquilo que é dito em cima do púlpito (1° Coríntios 10:15), retém apenas o que é bom (1° Tessalonicenses 5:21) para não dar crédito a qualquer espírito e provar se o que é dito realmente provém de Deus (1° João 4:1).

Imaginemos a família de Cristo como ela realmente é, ou seja, composta por todos os crentes em Cristo Jesus, independente de placas denominacionais, assim como nas nossas famílias carnais, na família de Cristo tem aquelas picuinhas que causam separação e fofoca no seio familiar.

É muito triste quando percebemos que os motivos que nos afastam dos nossos familiares espirituais não existem, foram mentiras criadas para que simplesmente não estivéssemos juntos se alegrando e gozando da paz que convêm aos santos.

Por muito tempo escutei um discurso sectário dentro da Congregação Cristã, muitas vezes se referindo aos irmãos da Assembléia de Deus como “primos”, eu tinha conhecimento também de que eles não morriam de amores por nós, bem coisa de família.

Porém, durante quase 5 anos em que viajava para faculdade tinha como companheiro um assembleiano, e nós sempre compartilhávamos  pacificamente as experiências que tínhamos cada um dentro da sua denominação.

Um dia, talvez por não me considerar sectário, sem me avisar, ele visitou uma CCB próximo a sua casa, quando eu soube disso lhe perguntei qual havia sido a sua impressão, ao que me respondeu: “a CCB é uma igreja evangélica como qualquer outra, só que com liturgia diferente”.

Há alguns dias, a convite de um outro amigo, fui participar de um evento numa Assembléia de Deus – Ministério Madureira, confesso que já visitei varias denominações evangélicas, mas tinha um pouco de aversão a Assembléia de Deus, por puro preconceito.

Mas estando lá me deparei com uma igreja não muito diferente da CCB, apenas mais avivada, nada de novidade nisso, afinal, eles assumem sem receio sua identidade pentecostal.

Quando me questionaram de que denominação eu era, respondi: “CCB de coração e Batista por afinidade”, achei que haveria alguma repulsa, espanto ou brincadeira pelo fato de me dizer ccbeiano, porém, não houve nenhuma dessas reações, pelo contrário fui muito bem acolhido e tratado como irmão.

Aliás, não foi a primeira vez que tive comunhão com irmãos assembleianos, inclusive, relatei isso aqui no blog na postagem COMUNHÃO ENTRE OS SANTOS.

Uma vez perguntei a um líder da CCB com base em que ele afirmava algumas coisas sobre determinada denominação evangélica, visto que ele "nasceu num lar cristão" (CCB), deu os primeiros passos dentro da igreja, não estudou teologia e sequer pisou noutra igreja. Ele ficou sem argumentos.

Diz a Palavra de Deus: Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!” (Salmos 133:1).

Não trate como primo de terceiro grau aquele que te trata como irmão!

6 comentários:

Henrique P disse...

Irmão Mário.

Sobre o tratamento que os membros (em geral, pois há raras exceções) da CCB dão a membros de outras igrejas é mesmo triste. Isso é uma falta de clareza vinda da liderança da igreja. Interessante que o irmão Miguel Spina não foi assim, e veja que ele foi líder da CCB por longa data.

Preciso confessar uma coisa. Como disse anteriormente, considero muitos “blogueiros” como meus irmãos em Cristo. O mesmo não ocorre com alguns membros dentro da Congregação. É difícil considerar “irmão em Cristo” quem é mentiroso, arrogante, invejoso, materialista, etc.

Como disse o nosso mestre: “Porquanto qualquer que fizer a vontade de Deus esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe.” (Marcos 3:35)

Entre senso-comum da CCB e o que diz o Mestre, Eu fico com o Mestre…

Deus abençoe!

Ricardo Alexandre disse...

Se chamamos primos para não chamarmos irmãos, como chamaremos ao Deus que servem? Seria "TIO" por acaso.

Mario disse...

Realmente Henrique, é triste... pra mim isso não passa de criancice.

Exato Ricardo, eu sempre disse isso aos que chamavam os demais de primos... disse que ao dizer que são primos assumem automaticamente a existência de um deus tio, e segundo a doutrina a CCB ela é uma denominação monoteísta que crê somente no Deus trino (Pai, Filho (Jesus) e Espirito Santo.

Regina Farias disse...

Vejo aqui três comentaristas sensatos. Fico feliz com isso. Espero que alcance as mentes pensantes rss (perdão pela redundância)

Assino embaixo do texto e dos comentários do Henrique, Mário e Ricardo, pois eu também compartilho da mesma ideia.

Faço apenas um pequeno comentário referente ao primeiro parágrafo, pois tudo começa na crendice religiosa que faz uma salada na cabeça do 'crente' doido por 'uma palavra' que lhe seja conveniente e aí toma pra si o que é dito de púlpito(ou não, já vi gente dizendo 'isso aí foi pra fulano') e vai acumulando na alma e, consequentemente, na existência, na vida prática, um amontoado de 'DESinformações' em nome do Senhor Jesus. É disso, basicamente, que venho falando. Ou seja, o líder induz, estimula, alimenta a crendice; e o 'crente', por sua vez absorve como verdade absoluta (perdão pela redundância-parte II rs) tudo que aquele suposto intermediário de Deus diz; e engole fácil, simplesmente porque ACOMODOU-SE, ENGESSOU-SE, e não quer pensar por si mesmo, DESENVOLVER O PRÓPRIO SENSO CRÍTICO,a própria consciência, exercitando o domínio próprio, a prudência, entre outras características do cristão genuíno. Sim, pois que é um EXERCÍCIO! Há de se sair do comodismo, do lugar comum, da zona de conforto para, enfim, fazer o que Deus mandou realmente, totalmente destituído de religiosismo/igrejismo/denominacionismo/ranço pagão.

Muito bom, como sempre.

Deus os abençoe!

Cristão35 disse...

Para mostrar que o evangelho e a obra é de Deus, ele me esmiuçou.
Batizei-me na CCB com 19 anos, hoje tenho 34. Na época namorava e já era noivo da moça que hoje é minha esposa, e deu-me 3 lindos filhos. Mas havia um preconceito enorme da parte de alguns irmãos (não todos) por eu estar me casando com uma moça que não pertencia a igreja, mas eu namorava com ele desde quando nós dois tínhamos 15 anos. Enfrentei tudo, e hoje estamos casados. Mas, o interessante é que, assim que nos casamos, a irmandade se afastou completamente de nós, ela, que estava indo ás vezes na igreja, nunca mais quis voltar. E eu segui sozinho...até hoje. O caso é que quando me anunciaram o evangelho, e eu participava de algumas reuniões familiares, perdi a conta de quantas vezes eu ouvi dizerem sobre as pessoas de outras igrejas evangélicas, coisas que criam em nossas mentes uma enorme barreira. Pois bem, devido a eu estar completamente sozinho no evangelho (de toda minha família, sou o único evangélico) entrei em uma prova espiritual terrível, completo desanimo, e também, uma prova material que me reduziu ao pó...e eu não tinha ninguém para conversar...ia na igreja de vez em quando, e devido a prova espiritual, eu saia vazio...Um dia, eu estava no meu serviço, sozinho, e começaram a vir alguns pensamentos " você pecou...Deus não esta na sua vida...você tinha que ter casado com uma moça da igreja..." eu comecei a chorar...e muito...Eu amava a obra de Deus...e também minha família...veio então um pensamento, que confesso que fiquei todo gelado e arrepiado da cabeça aos pés "se mata...pula daqui" Foi então que ouvi atrás de mim uma voz mansa dizendo" A paz do Senhor irmãozinho". O calafrio sumiu na hora...e Deus começou a visitar meu coração, coisa que não acontecia há 3 anos. Despenquei a chorar...era um irmão assembleiano...que ainda Deus através de seu Espirito Santo...usou e falou comigo face a face. Nesse dia, todos os dogmas e paradigmas que foram formados em minha mente no passado caíram por terra. Deus me libertou da prova espiritual definitivamente, pois quando me pego desanimado, me lembro desse dia, em que Deus me mostrou que Ele não vê placa de igreja, mas o coração de seus servos

Matheus Ferreira disse...

infelizmente isso e muito triste, muitos dos nossos irmãos fazem isso, mas também a muitos de outras igrejas que fazem o mesmo conosco, meus avos e meu tio sao de outra igreja uma das maiores no nosso país e por nos ser ccb sempre quiseram debater conosco, querendo nos levar para a igreja deles, ate falando com o pastor deles que nos veio perguntar quando iriamos mudar, só pq fomos fazer uma visita uma vez para eles e por varias vezes ja vi meu próprio tio referindo nos como primos para outros irmãos quando eu estava com ele por eu ser da ccb, mas estou bem e feliz na ccb, sirvo a Cristo nao a igreja, sou salvo em Cristo e estou muito feliz.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação