sexta-feira, 18 de maio de 2012

É a Bíblia que ensina os conselhos do Senhor

7 comentários
Como a maioria das crianças quando eu ingressei na pré-escola eu odiava ir a escola, eu preferia ficar na rua brincando com meus coleguinhas, pela manhã assistir desenhos animados e a tarde assistir os filmes da Sessão da Tarde. 

Todo dia antes de ir para a aula era a mesma coisa, uma choradeira intercalada por soluços, e eu esperneava muito só para não ir a escolinha, mas minha mãe fazia eu engolir as lagrimas e me arrastava para lá todos os dias. 

Eu cresci um pouco e atingi idade suficiente para ingressar no Ensino Fundamental, eu continuava não gostando de estudar, fazia corpo mole e chorava para não ir à escola, mas minha mãe ignorava o meu choro e me silenciava rapidamente ameaçando pegar o chinelo. 

Só tomei jeito e adquiri gosto pelos estudos no Ensino Médio, nessa época eu já não chorava mais e nem precisava que minha mãe me vigiasse para que eu fosse à escola, mesmo cansado, após trabalhar o dia todo, eu não faltava às aulas. 

E eu tomei gosto pela coisa, e por minha opção e determinação mesmo sem ter recursos financeiros após concluir o Ensino Médio ingressei num Curso Técnico particular e em seguida na Universidade... Eu tinha vontade, me esforcei e Deus me ajudou e abençoou. 

A maioria das crianças não gosta e quando criança eu também não gostava de escovar os dentes, mas novamente minha mãe com chinelo na mão toda sua sabedoria de mãe me obrigava a escovar os dentes antes de dormir, logo ao acorda e após as refeições. 

O tempo passou, eu cresci e já não precisava mais que minha mãe me lembrasse de escovar os dentes, eu acordava e já escovava os dentes, após as refeições escovava os dentes e antes de dormir fazia o mesmo. 

Dei uma volta grande, só pra dizer que bons hábitos podem ser criados desde que se queira.

Há quem diga que submeter as crianças e jovens ao Estudo Bíblico sistemático aos domingos é algo penoso, afinal, coitadinhas das crianças e jovens, eles já vão à aula a semana inteira. Por isso, decidiram que aos domingos elas não vão pegar nas mãos papel, lápis e se debruçar sobre um livro (a Bíblia) para extrair conhecimentos sobre a Palavra de Deus... Pelo menos essa foi a desculpa que já escutei. 

Eu discordo que instituir o Estudo Bíblico dominical seja impor um fardo pesado sobre as costas das crianças e jovens presumindo que eles não gostam da ideia, afinal, participa dos Estudos quem quer e  porque tem interesse, e outra eu não gostava de estudar e nem gostava de escovar os dentes, mas de tanto praticar acabou virando habito, aliás, bons hábitos. E eu não escovava os dentes e estudava sozinho porque era algo mecânico, mas porque quando atingi maturidade vi que tanto estudar quanto escovar os dentes eram bons para minha vida e minha saúde. 

Pais e ministros desestimulando o estudo bíblico para mim soa como insanidade, a própria Palavra de Deus diz aos pais “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

E não há nada melhor do que a Bíblia par ensinar, pois, é na Bíblia que achamos os conselhos do Senhor e o bom é que “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2° Timóteo 3:16).

São irresponsáveis os pais e as igrejas que se posicionam contra o estudo bíblico, além de perderem a oportunidade de ensinar e criar o bom habito de se recorrer as Escrituras Sagradas para que se aprenda beber a água direto da fonte, ignoram o que o próprio Jesus disse, vejamos: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” (João 5:39). 

Estão totalmente equivocados aqueles que acreditam que Deus não se agrada do estudo da sua Palavra, recordemos dos crentes de Beréia que foram considerados mais nobres por “receberem a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.” (Atos 17:11). 

Ora não há porque temer o estudo bíblico, pois, “tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança.” (Romanos 15:4).

Na verdade o erro consiste justamente em não conhecermos a Palavra de Deus, vejamos: “Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” (Mateus 22:29).

Os verdadeiros cristãos creem e aceitam Bíblia como sendo a infalível Palavra de Deus e a única regra de fé e conduta, pois, sabem que ela é “lâmpada para seus pés e luz para seus caminhos” (Salmos 119:105).

Só pode dizer “tenho prazer nos teus mandamentos” (Salmos 119:47) aqueles que efetivamente os conhecem, e para conhecer é indispensável que leiam a e meditem sobre o que leem na Bíblia.

Não instruir devidamente o cristão é como mandar um soldado sem treinamento e sem armas para uma guerra, a Palavra de Deus é uma poderosa arma na vida do crente, é “o capacete da salvação e a espada do Espírito” (Efésios 6:17), pois, “é viva e eficaz, e mais cortante que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4:12), por isso meu irmão e minha irmã, deixa de lado o seu preconceito quanto ao ensino bíblico sistemático e vá se aplicar em conhecer a Bíblia. 

Jesus nos ordenou “ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16:15), seja honesto consigo mesmo, sem conhecer a Palavra de Deus estás em condição de atender ao mandado de Cristo anunciando o Reino de Deus? O que tem anunciado por aí, o evangelho puro e simples com boas novas de salvação para os que creem ou doutrinas e dogmas da fé institucionalizada?

A Palavra de Deus é a semente do semeador e aquele “que semeia, semeia a palavra” (Marcos 4:14).  

Sábios e prudentes são aqueles(as) que tem sempre junto de si “uma copia da Palavra de Deus e a lê todos os dias da sua vida, para aprender a temer o Senhor, guardar os teus ensinamentos e os aplicar a sua vida” (Deuteronômio 17:19) . 

Sábios e prudentes são os homens e as mulheres que sobre a rocha celestial suas casas erguerem, pois, sempre terão eficaz proteção... Mas se sobre a areia você quiser construir terá trabalhado em vão, pois, em falso alicerce estará e qualquer fraco vento abalará suas estruturas e ela virá a cair.

O único mal que os pais e um ministério farão as crianças e jovens por lhes proporcionar estudo bíblico sistemático e consistente é dar-lhes um bom direcionamento em suas vidas, fazendo-os andar por caminhos iluminados tendo conhecimento sobre o Pai Celestial e o que ele espera de nós, que por isso temerão e honrarão ao Senhor, bem como, guardarão os teus mandamentos. 

Enfim, só tenho a agradecer a minha mãe por me obrigar a estudar e a escovar os dentes, bem maior ela não poderia ter me feito, isso me gerou conhecimento, me fez sábio porque no tempo certo apliquei sozinho tais conhecimentos gerando atitudes benéficas para minha vida... E não se esqueça que se ensinar o bom caminho ao seu filho enquanto ainda criança ele crescerá e não se desviará dele jamais, então, deixa de preguiça, pegue sua Bíblia e ensine algo edificante aos teus filhos, será bom pra você também, quem ensina aprende duas vezes... Se por ventura alguém que por não conhecer a Bíblia erroneamente te dizer que a “letra mata” retruque dizendo “mas o Espírito vivifica, conheças a verdade e ela também vos libertará” da ignorância, da mentira, dos fardos pesados da servidão ao homem e dos falsos mestres. (2° Coríntios 3:6 e João 8:32).

7 comentários:

Regina Farias disse...

Mário,

Também concordo com o que você diz, embora peça permissão para fazer uma ressalva, pois, em alguns aspectos, eu considero essa questão da escola bíblica uma faca de dois gumes.

Em primeiro lugar, quero deixar claro que, sinceramente, eu acredito que se você, como pessoa responsável que é, fala dos benefícios da escola bíblica, certamente é porque a que você conhece merece credibilidade. Mas, infelizmente, nem todas são assim. Principalmente quando se há uma tendência a querer enfiar doutrinas denominacionais em detrimento da essência do evangelho, na tentativa (proselitismo) de formar robôs mirins.E, é claro, que não há nada que entortamos que Deus não conserte, mas a base cabe a nós, PAIS, e foi Ele quem nos deu essa responsabilidade. Esse é o primeiro ministério que cabe à família, sendo o LEGADO verdadeiro dos pais aos filhos.

Por isso que, pelo menos a base, deve ser ministrada pelos próprios pais, como responsáveis diretos pela formação dos valores e princípios. E isso, só funciona por meio dos próprios exemplos de VIDA PRÁTICA. (Fora disso é incitar o próprio filho à mentira e à hipocrisia).

Por outro lado, vemos pais ignorantes e preguiçosos que não querem se dar a este trabalho e, CEGAMENTE, 'empurram' seu filho para que outros façam sua obrigação.

Enfim, para não radicalizar eu vejo assim: o que pode ser saudável e proveitoso é que a escola bíblica seja uma extensão do que é feito em casa, com assistência efetiva por parte dos pais, pois, afinal, o papel de educar nossas crianças, na verdade não cabe à igreja. É em casa que acontece a autodisciplina diária (como vc fez bem a analogia desde a infância) e é ainda em casa que se conhece a obra de Deus, através da história do povo de Deus e da Palavra.

E não que o provérbio citado (22.6) tenha que ser interpretado ao pé da letra como uma promessa, mas serve como advertência aos pais para quebrar a teimosia natural da criança e do adolescente, não só orientando-os em disciplina básica que promove uma dentição saudável e boas notas escolares, como também orientando-os nos caminhos de Deus (e não da religião). Assim como fez a sua mãe. E mais: estimulando-o a exercitar o senso crítico. Pois essa é a ideia...

Valeu pelo texto!

R.

Mario disse...

Regina,

Também acho que seja uma espada de dois gumes, realmente na Igreja Batista que frequento o estudo bíblico é sério e relativo a Bíblia, nada de dogmas.

Já em outra denominação que eu frequentava, houve a implantação de algo que chamaria de pseudo-estudo bíblico, pois, cada um fazia conforme queria, alguns aproveitaram bem o tempo e espaço dedicado ao exame das escrituras, outros usaram mal, aproveitaram para reafirmar dogmas religiosos que nem respaldo bíblico tem... tanto é que só participei de um ou dois desses encontros, preferi me ausentar do que me tornar conivente com meu silêncio ou ser rotulado de reformador por usar a Bíblia para contestar algumas coisas.

Também acho que cabe aos pais a primeira instrução e a supervisão daquilo que ensinam aos seus filhos, já escrevi sobre isso aqui: http://www.blogdomario.com/2011/04/o-be-ba-do-evangelho-comeca-em-casa.html

Fique na paz e no amor de Deus!

Regina Farias disse...

Então...

Fui lá, e, como eu mesma disse há um ano, seu texto é perfeito.

E é perfeito justamente por causa do que você tão bem enfatiza: o ensino acerca do Evangelho. E não um ensino tendencioso que remete a determinada doutrina religiosa. Afinal, há uma distância cósmica entre um e outro.

Mas você está certo, e eu sei bem do que você fala: chega um momento que é melhor se ausentar. Porque 'quem cala, consente'; e quem rebate certos disparates é tido como agitador por quem está cego pela própria inflexibilidade.

Mas saiba, até que tenho aprendido que não se deve gastar tempo e energia com corações endurecidos pela religiosidade...

Blogando e aprendendo rss

Paz!

R.

Mario disse...

Pois é Regina, o dia em que as pessoas perceberem que se gasta muito mais energia patinando sem sair do lugar do que gastaria pra avançar... elas focam no que realmente vale a pena e vivem com mais qualidade de vida.

Henrique disse...

Irmão Mário,

Gostei do teu texto. Vejo o Estudo Bíblico como algo extremamente necessário para todo o cristão. Como já expus anteriormente, sou contra o estudo para formar pastores, com técnicas como atrair atenção do público, como manter um discurso etc. Isso sou veementemente contra, todavia o estudo bíblico para conhecimento da Bíblia, dos costumes na época, vejo como algo necessário não apenas as crianças e jovens, mas aos adultos também.

Você sabe que atualmente são poucos os cristãos que lêem a Bíblia. Muito do “mantimento espiritual” dos cristãos hoje em dia saem de pregações nos púlpitos das igrejas. Este é um perigo enorme, pois conforme encontramos na Bíblia, 1 Ts 5:22: “Examinai tudo. Retende o bem.” Um médico só examina um paciente porque ele conhece a teoria da medicina. Um mecânico só examina um carro pois ele conhece a teoria da mecânica. Um cristão só pode examinar tudo se ele conhecer a Bíblia.

Entendo que os bons hábitos podem ser criados, bom seria se os pais não deixassem seus filhos nos Playstations e Facebooks da vida, mas digo o que aconteceu comigo. Meus pais nunca me incentivaram a ler a Bíblia, todavia eu lia por mim mesmo. Peguei gosto em ler as Escrituras, examiná-la. Lembro que minha avó lia a Bíblia todo dia, mas nunca forçou a mim a ler. Meu pai tem uma base bíblica até que boa, minha mãe já não. Ela é totalmente alimentada pelas pregações dos púlpitos. Infelizmente é como a nossa igreja ainda trata esta questão.

Todavia se “as más conversações corrompem os bons costumes.” (1 Co 15:33), as boas conversações nos livram dos maus costumes. Uma escola bíblica séria, esclarecedora da Palavra de Deus (sem criar os robozinhos como dito pela Regina), nos leva para perto de Deus.

Na paz que Cristo nos deu,

Henrique

Mario disse...

Exato irmão Henrique... sempre digo que o cristão que não conhece a Palavra de Deus é como um advogado que não conhece as leis, ou seja, está inapto.

António Jesus Batalha disse...

Suas mensagens são muito boas e vir a seu blog é uma benção.Dou-lhe os parabéns e continue nessa
sua força trazendo a cada dia essas mensagens gratificantes de edificação, consolação e exortação. É este o alvo da nossa vida, incentivar a continuar a nossa caminhada pelas veredas da luz, com alegria falando das maravilhas do nosso Salvador. Que sua vida brilhe mais e mais a cada dia. Se desejar fazer parte de meus amigos virtuais é só clikar. Faça-o de forma a que possa seguir também seu blog. As minhas cordiais saúdações em Cristo Jesus.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação