sábado, 24 de setembro de 2011

Jesus não tem Twitter, mas siga Ele!

6 comentários
Na era da tecnologia da informação parece ser uma missão impossível sair sem o celular no bolso, verificar nosso e-mail, Facebook, Orkut, Twitter várias vezes ao dia.

Parece que nos falta uma perna quando esquecemos nosso celular em casa e parece impossível tocar a vida quando ficamos sem sinal de internet, e não raras vezes, quando esses eventos acontecem voltamos em casa para pegar o celular ou ligamos na central telefônica pedir o restabelecimento da internet.

Jesus não possui celular, mas ele é seu contato favorito?

Jesus não tem Facebook, mesmo assim você é amigo dele?

Jesus não tem Orkut, mesmo assim você já o adicionou em sua vida?

Jesus não tem Twitter, mesmo assim você o segue?

Jesus não tem internet, você procura manter-se conectado a ele?

Jesus não é celular, porém, ele nunca fica fora de área, por isso, conte sempre com ele.

6 comentários:

Regina Farias disse...

Mário,

A questão é que milhares O 'seguem', mas só para obter favores. Milhares querem usufruir das bênçãos, querem o Redentor, mas não O querem como Seu Senhor.

Assim é cômodo demais, bem conveniente. Portanto, seguir é facim, facim...

Sempre que vejo pessoas querendo se beneficiar e "usando" Jesus em proveito pessoal me vem à mente essa passagem espantosamente ATUAL:

"Seguia-o da Galiléia UMA GRANDE MULTIDÃO. Também da Judéia, de Jerusalém, da Iduméia, dalém do Jordão e dos arredores de Tiro e de Sidom uma grande multidão, SABENDO QUANTAS COISAS JESUS FAZIA, veio ter com ele.

Então, recomendou a seus discípulos que sempre lhe tivessem pronto um barquinho, por causa da multidão, a fim de não o comprimirem".

E mais:

Querem o milagre(interesse pessoal) insistindo em 'sinais' (denunciando a incredulidade)

Meu Deus! Que coisa mais atual!!!

Tem um poema lindo, lindo, lindo, que eu acho simplesmente COMPLETO.

A autora, chamada de santa pela ICAR, diz poeticamente de seu amor incondicional, ou seja, não precisa que Deus prometa nada a ela para que ela lhe entregue sua vida, sua total dependência e adoração.

Não existe barganha, não existe medo, não existe religião, não existe dogma, não existe opressão nem pressão, enfim, absolutamente nem nada que a impeça ou a impulsione a esse amor.

Dá uma espiada no poema que, para mim é uma verdadeira declaração de amor, e me diga se eu não estou certa.

http://reginafarias.blogspot.com/2010/12/poema.html

Deus te abençõe!

R.

Mario disse...

Realmente, um belo poema.

É verdade que o que muitas vezes movem as pessoas é o medo do inferno e as bençãos temporais.

Um ida escrevi aqui sobre a misericórdia: http://www.blogdomario.com/2011/06/sobre-misericoria.html , acho que todos sabem que Jesus morreu numa cruz, mas poucos pararam pra imaginar a o que ele passou, no sétimo paragrafo fiz questão de frisar, imaginem a dor que é ter as mãos e os pés perfurados, imaginem agora o quanto esta dor aumenta o lugar ferido sendo a sustentação de todo o corpo em quanto lentamente os músculos vão sendo rasgados, a dificuldade que é respirar faz fazendo tremendo esforço físico por prolongado período, e quando ter sede darem vinagre... bom, realmente, o que nos move não deve ser o medo do inferno e nem as bençãos da terra... mas o imensurável sacrifício de Jesus que tomou sobre si os pecados da humanidade.

Regina Farias disse...

Mário

Fui ler teu texto e já deixei um comentário.

Você já parou pra pensar no quanto a religião é opressora e manipuladora? Só para manter seus 'fiéis' debaixo de suas asinhas opressoras.

Pois que é isso o que faz a religião: alimenta esse medo do inferno e promove a negociação com Deus (bênçãos temporais). Ambos estimulam uma alma cada vez mais doente, escrava da barganha e da incredulidade. E a misericórdia que faz a gente RELACIONAR-SE, conforme Jesus, não se exercita. Porque a 'adoração a Deus' estabelecida em lugares considerados santos pelos legalistas religiosos está ocupada em performances e beeeeeem distante do que Deus busca: em espírito e em verdade.

Quanto ao sofrimento que Jesus viveu enquanto consumava o sacrifício eterno, já vi gente da CCB dizer: 'ah, mas isso era fácil pra ele, ele é Deus'.

Veja a salada que as doutrinas de homens fazem na cabeça dos religiosos.

A questão é que as pessoas religiosas se apegam tanto aos seus ritos e celebrações pagãs que se distanciam do propósito do Evangelho. Ironicamente, renegam ao mesmo Jesus que elas empunham bandeira 'em Seu Nome' e que não dizem nada do que Jesus requer de nós.

Deus te abençõe,

R.

Mario disse...

Regina,

Já parei para pensar sobre isso, por isso, digo sempre, a religião pode ser considerada uma prisão sem muros, onde através da opressão, manipulação e dependência as pessoas parecem não conseguir viver fora do quadrado.

Já fiquei um tempo sem congregar com medo do que ia escutar vindo de cima do púlpito, preferia não ir na igreja para não dar a oportunidade de meus ouvidos escutarem o "Senhor" me dizer que se eu não permanecesse na "graça" por amor, viria pela dor, talvez, todo quebrado em cima duma cama ou numa cadeira de rodas,

A opressão chega ser tão grande, que até mesmo a voz do Senhor a gente resiste em atender, lembro-me de quando entrei em farrapos dentro da igreja pedindo o auxilio do Senhor pra não "pecar" e a "Palavra revelada" judiou de mim, propondo-me um trato qual com Deus que se eu não aceitasse não seria mais bem vindo nos braços do Pai, na minha franqueza e conhecimento da minha condição eu não firmei tal trato, saí desolado por pedir ajuda para manter-me fiel e acabar sendo expulso, mas Deus que cuida dos seus interviu na situação, falou em meu coração, me disse onde ir na noite daquele dia que ele iria falar comigo, era uma outra denominação, uma denominação que eu não sabia onde era, nem horário de culto, me informei e extremamente receoso fui, chegando lá a presença de uma cruz me assustava, o medo de estar em uma seita me aterrorizava, sentei-me no ultimo banco próxima a porta, para fugir ao sinal de qualquer coisa esquisita, mas para minha surpresa, o Senhor falou na minha necessidade na boca daquele homem e me encheu de força para continuar a congregar, bem como, me abriu os olhos para aquilo que o apostolo Paulo nos orientou: "examine tudo, retenha o que é bom", afinal, na manhã daquele dia não foi o Senhor quem me propôs um trato e nem Deus que me escorraçou, mas era o homem que queria me aprisionar na prisão sem muros.

Fique na paz de Deus!

Abraço,

Mario

Regina Farias disse...

Mário,

Ah, como eu bem sei do que você fala...

Também passei um tempo influenciada pelo que ouvia, com medo da cruz. Até já tive a oportunidade de falar detalhes aqui em comentário no teu blog, assim como você o fez acima. Ora, que coisa mais estranha esse papo de crente (crente?!) dizer que é pra ficar longe de cruz. Quem tem medo da Cruz é satanás!

Opressão religiosa é algo tão danoso à mente, principalmente de pessoas mais sensíveis e sugestionáveis, que pode provocar a famosa 'Síndrome do pânico' que hoje mudou de nome mas que quer dizer a mesma coisa 'Transtorno do Pânico' no qual o corpo e a mente 'se preparam' a todo instante para um acontecimento terrível. Isso acontece 24 h por dia, não importa o acontecimento do dia, o terror vai estar sempre instalado. 'Algo muito ruim vai acontecer a qualquer momento.'

Quantas vezes eu ia dormir em pânico pensando não acordar no dia seguinte. Eram transtornos somatizantes que só traziam mais sofrimento à medida que eu me submetia a constantes baterias de exames e saía do consultório do médico de confiança com a clássica: 'vc não tem nada'.

Passei anos e anos assim e devo tudo isso às profetadas que ouvia nos púlpitos (pelos líderes) e nos corredores religiosos (pelas mentes escravizadas). Não fiz terapia por causa disso, fiz por causa de uma falta de ar que, segundo a psicologia, era causada por ansiedade. A ansiedade que esse terror religioso me imprimiu na mente e no coração.

Fui CURADA de ambos (falta de ar e pânico), não pela terapia, mas pelo Autor das nossas vidas que nada tem a ver com a repressão e a exigência doentia denominacional. Pelo contrário! Ouvi nitidamente (FORA DOS ÁTRIOS RELIGIOSOS) o Espírito de Deus soprar no meu ouvido: 'deixe que eu tomo conta da tua respiração'. E descansei... e fiquei em paz, na paz que excede todo entendimento.

Desde então, nunca mais entrei em pânico. Até porque, se algo quer te tirar do eixo e se esse eixo chama-se Jesus Cristo, verdadeiramente, não há como qualquer religioso te tirar dele. É só firmar-se nos braços dAquele que realmente te dá segurança. Aí meu irmão, pode vir o vendaval que vier...

Nunca mais nenhuma religião opressora foi capaz de me influenciar em nada que ela disse fazendo crer que era Deus falando em suas bocas insanas. Por isso, fico simplesmente INDIGNADA quando leio certas coisas por aí, pois eu bem sei o quanto esse deus opressor faz mal às pessoas.

Repensemos usando sua própria expressão e depoimento:

Que Pai é esse que escorraça e quer aprisionar pessoas em prisão sem muros?

O Pai que é puro Amor, o Deus da Graça, do perdão, da misericórdia e que promete vida em abundância, com certeza não é!

Aliás, escorraçar e aprisionar corpo e mente, não é atitude nem de pai terreno. Estes tais que assim agem, são considerados monstros, psicopatas e há leis para coibir suas ações criminosas.

Então, considerando todo o mal que causam, esses que se consideram 'pais espirituais' e saem por aí oprimindo as pessoas, eu acho que deviam ser enquadrados na lei de forma exemplar.

No amor do Cristo da CRUZ QUE LIBERTA!

R.

Tiago macedo disse...

"Mario"apdD! td bem .sou Tiago adorei seu blog Deus te abençoe..vc poderia me ajudar a divulgar o meu?e me dar umas dicas para ficar muito bom igual ao seu ;) desde já irmão agradeço e que vc continue assim com este sucesso!!apdDeus

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação