quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Para as mulheres vítimas de seus esposos

4 comentários
O dia do casamento é um dos dias mais felizes na vida de qualquer pessoa, seja homem ou mulher.

É neste dia que o casal promete um ao outro que serão fiéis, que se amarão e se respeitarão em todas as situações, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias das suas vidas até que a morte os separe.

Quando se escuta “até que a morte nos separe”, todos os presentes imaginam uma morte natural, que chegará num dia muito distante, quando ambos já forem bem velhinhos e os cabelos forem brancos. Porém, para 70% das mulheres que são vítimas de assassinato, a morte que a separa do marido não ocorre de modo natural como imaginado no dia do casamento, pois, suas vidas são encerradas pelos próprios companheiros.

Muitas mulheres que são vítimas de algum tipo de violência (física, psicológica, sexual e de patrimônio) dentro de casa não denunciam o agressor por diversos motivos: filhos, amor, medo, vergonha, dependência financeira, motivos religiosos, entre outros.

Mulheres cristãs que são agredidas por seus esposos tentam suportar a violência e não tomam atitude porque crêem que “o que Deus uniu o homem (mulher) não separe” Marcos 10:11 e também porque “o amor tudo sofre e tudo suporta” 1º Coríntios 13:7.

Mas se esquecem que a Palavra de Deus também diz que os “os maridos devem amar vossas esposas, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” Efésios 5:25, ignoram também que a Bíblia determina que os maridos tenham “consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratando-as com dignidade” 1º Pedro 3:7

Nenhum tipo de violência é justificável, sem exceção, toda violência está em desacordo com as leis de Deus e também as leis dos homens.

Muitos agressores se escondem atrás do titulo de servos de Deus, se disfarçam de crentes (usam terno, gravata e bíblia), na igreja são fervorosos e caridosos para com todos, mas ao adentrar suas casas se transformam e agem de forma violenta para com a própria família, ou seja, são verdadeiros lobos e pele de cordeiro. Não são dignos de ostentarem o título de “servo de Deus”, pois, ao agredir e desrespeitar suas esposas não estão obedecendo a Palavra de Deus, que recomenda que os esposos amem e respeitem as vossas esposas, além de que, a Bíblia nos orienta aos cristãos serem mansos, misericordiosos, e limpos de coração (Mateus 5:1-12), o homem temente a Deus assim roga em suas orações: “não haja violência nas minhas mãos, e seja pura a minha oração" Jó 16:16.

A violência é fruto da ira, isto não tem nada a ver com Deus, afinal, “Deus é amor” 1º João 4:8, Jesus determinou se “ame o próximo como a nós mesmos” Gálatas 5:14, portanto, aquilo que não queremos para nós não devemos fazer para os outros.

Cara irmã saiba que “Deus não te desampara” Salmos 72:13, faça como o salmista, não confie nas próprias forças e diga: “Não confio no meu arco e não é a minha espada que me salva" Salmo 44.6, deposite sua confiança no Senhor, ele há de “Levantar-se para socorrer-te, e resgatar-te por amor da tua benignidade" 44:26.

Sei que se a violência existe o medo também existe, mas busque refugio no Senhor, ele não nos ignora quando gritamos por socorro (Salmos 22:24), rogue a Deus para lhe dê coragem em tamanho maior que o seu medo diante do agressor e sua violência.

Denunciar as autoridades aquele que ao invés de te amar te agride, ainda que ele se diga servo de Deus, está em conformidade com as Sagradas Escrituras, que diz: "Assim diz o Senhor: executai o direito e a justiça, e livrai o oprimido da mão do opressor; não oprimais ao estrangeiro nem ao órfão, nem à viúva; não façais violência, nem derrameis sangue inocente neste lugar" Jeremias 22.3, a Palavra de Deus também diz que temos que “orar pelos nossos governantes” 1 Timóteo 2.1-2, isto para que sejam criadas leis justas e dentro da sabedoria divina.

Nunca se esqueça que Deus te chamou para uma vida de paz, e que estando em Cristo o seu “fardo é leve e seu jugo é suave” Mateus 11:30 e você deve ter “vida e vida em abundância” João 10:10

Mulher diante da violência doméstica tome as seguintes atitudes:

  • Ore a Deus e busque dele o seu consolo 

  • Converse com o ministério da sua igreja, dentre as qualidades que um ministro deve ter são: ser irrepreensível, temperante, sóbrio, modesto e apto a ensinar 1º Timóteo 3:2, portanto, ele tem condições de te ajudar, se não for receptivo, fale com familiares e amigos.

  • Denuncie o agressor para as autoridades

Somente seguindo estes três passos é que você vai deixar de ser vítima, e evitar que o “até que a morte nos separe” aconteça por um ato de violência.

Leia também: Mulheres, não aceitem flores!; Ao homem covarde

4 comentários:

Regina Farias disse...

Mário,

Não sei qual a situação socioeconômica dela, mas qualquer mulher que tenha emprego e salário tem recurso suficiente para um recomeço de vida digna. Vão-se os anéis...

Além do mais, a justiça (juiz, promotor, delegado, polícia civil e militar) existe pra fazer valer qualquer direito ou obrigação, não apenas no que se refere a pensão alimentícia, como também a qualquer outra ação que se faça necessária.

Só precisa ter peito, coragem, ousadia e enfrentar pois há toda uma equipe para amparar, não apenas no âmbito familiar e de amizades.(Nem digo a igreja, pois nessa hora o que aparece de falso moralista é brincadeira!)

Se a pessoa não sabe como nem por onde começar, peça ajuda, não tenha vergonha de se mostrar desmontada! Mas peça ajuda a gente coerente, saiba discernir o bem do mal.

Convivo bem de perto com um caso deprimente assim na vida de alguém que amo muito (Já falei muito sobre isso em postagens e comentários nos blogs por aí ) e eu sei bem o que é a pessoa estar enterrada viva dentro do próprio lar, (lar?!) submetida a um terrorismo covarde.

Sempre existe uma saída, e ela pode – E DEVE - sair desse jugo pesado e eu vou lhe dizer porque: primeiro, porque confiando verdadeiramente em Deus, tomando atitudes decentes e ousadas, ela vence! Segundo, porque o próprio Deus determinou que numa sociedade organizada, haja autoridades para tomar decisões justas. E, por último: ela certamente conta com o apoio maciço de familiares e amigos.

Existe hoje no Brasil, mais do que nunca, campanhas fortíssimas no sentido de coibir opressões domésticas. Aqui mesmo em PE há um enfoque especial nesse sentido, porque infelizmente foi constatado um enorme, senão o maior índice desse tipo de ação covarde e criminosa. A sociedade e as autoridades competentes estão alertas, repudiando, coibindo e punindo, efetivamente, qualquer tipo de violência contra a mulher.

Portanto, a primeira coisa a se fazer é: denuncie, peça socorro! Caso a pessoa não tenha forças pra isso, tem MUITA gente capaz de fazer uma denúncia! Até porque, denúncia anônima é aceita e válida. E qualquer pessoa pode fazer isso!

Regina Farias disse...

O Salmo 37.5 diz: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará”.

Em Mateus 6.32, Jesus diz: Buscai, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas lhe serão acrescentadas”.

É simples! É só trazer essas palavras do Senhor para os acontecimentos atuais, pois o Evangelho é para ser vivido e praticado no dia a dia mesmo. O resto é crendice, heresia! Deus não deixa ninguém confuso. Nós, é que, na nossa teimosia, não conseguimos muitas vezes, enxergar A VERDADE QUE LIBERTA.

Observe o salmo acima: “entrega...” Não quer dizer, cruze os braços e veja a mágica que vou fazer". Quer dizer: faz de modo que O agrada! Há uma incoerência quando se diz “estou esperando em Deus” quando as ações são abomináveis a Ele. Sim, pois será que passividade e omissão Lhe são agradáveis? E quando Ele diz justiça refere-se ao que é correto aos Seus olhos. E mais: esse papinho furado de que “o amor tudo suporta” não cola, pois onde está o amor em situação assim? Há covardia da parte dele e permissividade da parte dela. E, sinceramente, o nome dessa doença em ambos, definitivamente, não é amor.

Existem muitas formas de cativeiro e a bíblia está recheada delas embora se saiba que o povo de Deus sofre por falta de entendimento. Os hebreus vagaram 40 anos pelo deserto; o homem de Betesda sofreu em cima de uma cama durante 39 anos; a mulher do fluxo de sangue, 12; a do problema de coluna , outros tantos. Essa minha irmãzinha que citei vem sofrendo toda sorte de humilhação nesse “amor” há mais de 12 anos também.

E aí? Ela vai seguir qual modelo? Jesus perguntou ao homem de Betesda: “queres ser curado?” Porque a pessoa tem que QUERER.

Também colocar falsa segurança material em primeiro lugar, violentando-se ao preferir “não sair de casa” é irresponsabilidade e omissão, principalmente se houver filhos na jogada. Ora, filho não é escudo. E a única opção plausível em situações assim é tomar uma ATITUDE DECENTE, optando pelo deslocamento que a remete de volta aos valores e princípios. O processo é doloroso? Sem dúvida! Mas é libertador! Isso sim, é uma postura cristã!

Deus não é de acordo com a pessoa viver angustiada, massacrada, humilhada. Isso não tem absolutamente NADA A VER com “esperar em Deus”. Ele quer é nossa felicidade, uma vida digna, decente! Esperar nEle inclui ações que não O desagradem. E ela pode ter certeza que marido “raparigando” num dia, e no outro, “FAZENDO AMOR” com a esposa cheia de hematomas, realmente não agrada a Deus!

Infelizmente, muitas mulheres dentro dos guetos fundamentalistas não querem atinar para isso, preferindo se iludir nessa “espera” de mentirinha, fazendo vista grossa, sendo conivente e até co- adjuvante de uma vida “amorosa” que não passa de uma terrível degradação que merece o repúdio de qualquer pessoa sã.

Desculpe, se me estendi, mas fico indignada com a dobradinha "covardia e omissão" travestida de vida cristã.

Abs,

ASSENOS disse...

gostei muito de seu blog e já estou seguindo fique bem a vontade para conhecer o nosso também e seguí-lo se assim desejar www.assenos.blogspot.com

Cristão CCB disse...

Assenos, também gostei do seu blog, trabalhando pela inclusão dos surdos no Reino de Deus, verdadeiramente está contribuindo para que o evangelho seja pregado por todas as nações e LÍNGUAS.

Já estou te seguindo!

Fraterno abraço,

Mario

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação