quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Sobre o legalismo

16 comentários
O legalismo acontece sempre que trocamos o nosso relacionamento com Deus por rituais ou regras. 

O legalismo é perigoso pelo fato que ele nos faz esquecer aquilo que Deus, e o próprio Jesus Cristo fez por nós.
.
.
.
E o que Deus fez por nós?

Nada demais, ele só “amou o mundo de tal maneira que deu seu único Filho, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” João 3:16.

E Jesus, o que ele fez por nós?

Nada demais também, apenas carregou “ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.” I Pedro 2:24

E isto ele fez apenas para que fossemos “justificados gratuitamente, por sua graça” Romanos 3:24

Embora a Bíblia deixe claro que “pela graça somos salvos, mediante a fé, e isto não vem de nós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” Efésios 2:8-9, alguns grupos cristãos criam suas próprias regras e as colocam como condições para que os seus fiéis obtenham salvação, regras que muitas vezes são seguidas cegamente e sem qualquer questionamento pelos membros da denominação.

O legalismo existiu desde sempre, e o seu perigo consiste em fundamentar a crença em rituais e/ou regras, certa vez o apóstolo Paulo falando do tempo em que ainda não conhecia a Cristo disse “Eu fui circuncidado oito dias depois de ter nascido de acordo com as leis judaicas” Filipenses 3:5, muitos cristãos, nos dias de hoje, se orgulham em dizer “sou batizado”, ou então, “por graça e misericórdia de Deus sirvo a Deus na igreja tal”, e também “mais um ano acheguei-me na mesa da santa ceia”. Embora todas essas coisas sejam importantes na vida do homem e da mulher que servem a Deus, não são elas que nos fazem merecedores do favor de Deus, ou seja, a salvação.

Ser legalista também faz com que deixemos de confiar naquele que disse “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14:6 , para confiar em instituições fundadas e geridas pelo homem. Paulo também recordando da época em que não fazia parte da família de Cristo disse “Eu sou um verdadeiro hebreu" Filipenses 3:5, e isso para os judeus significava como se o fato de fazer parte do “povo de Deus” (judeus/hebreus), por extensão, lhe conferisse benefícios. Nos dias de hoje muitos crentes orgulhosamente também dizem “eu sou crente de tal denominação”, como se seu grupo fosse melhor que os demais ou isso lhe conferisse benefícios, como a salvação, por exemplo.

Ser legalista também é confiar que só pelo fato de pertencermos a uma igreja ou sermos filhos de pais crentes seremos salvos, semelhantemente Paulo recordou que quando judeu ele mesmo cria nisso, vejamos: "Quanto ao povo de Israel, eu era da tribo de Benjamin" Filipenses 3:5. Na atualidade, muitos cristãos agem como Paulo em sua época de ignorância, e orgulhosamente dizem de boca cheia “eu nasci em um lar cristão”, mas estes não usam o termo cristão no sentido correto da palavra, que é “um pecador que se converte a Cristo” (isso independe de igrejas e suas placas), usam o termo para se referirem especificamente, exclusivamente e errôneamente ao seu grupo religioso.

Os legalistas confiam nas pesadas regras, mesmo Jesus tendo dito que seu “jugo é suave e seu fardo é leve” Mateus 11:30, o apostolo Paulo admitiu que quando ainda não conhecia a Cristo também agia assim, foi quando ele disse "Em relação à lei, eu era um fariseu" Filipenses 3.6, porém, quando Paulo tornou-se cristão, ou seja, tornou-se um pecador convertido em Cristo, ele deixou de ser um fariseu, reconheceu que isto não era condizente com os ensinamentos de Jesus, com isso, não só deixou de praticar essa fé que confia nas regras e rituais, como passou a anunciar as boas novas de salvação que há para os que crêem em Cristo Jesus, onde a fé é suficiente para salvar o crente. Hoje, muitos crentes, embora se digam convertidos, confiam nas regras impostas pela sua denominação, achando que as cumprindo a risca conquistarão pelo próprio merecimento a salvação, por isso, preocupam-se com o comprimento e formato das vestes (saia, calça, shorts), preocupam-se em não cortar os cabelos, evitam usar brincos, etc.

Infelizmente, muitos cristãos da atualidade, assim como os fariseus descritos nas Sagradas Escrituras, sobrevalorizam por demais a aparência externa, e algumas carregam dentro do coração a ira, magoas e ressentimentos contra seus irmãos, não se importam em frear a própria língua (fofoqueiras), comem demais (glutonaria), se esquecem de tantas outras coisas, que são simples, porém, não menos importantes.

Jesus disse que todos os mandamentos se resumem num único mandamento que é “amar o próximo como a si mesmo” Gálatas 5:14 e que “quem ama o próximo tem cumprido a lei” Romanos 13:8, mas se você conversar com um crente legalista ele será capaz de te apresentar uma lista a ser seguida que vai muito além do amar ao próximo, da mesma forma que os Dez Mandamentos, escritos por Deus em tabuas de pedras e entregues a Moisés serviram de "inspiração" para a criação de 613 regrinhas a serem seguidas pelos judeus, dando origem a Torá (o livro sagrado dos judeus).

Os legalistas não confiam no amor de Deus para a dispensação da graça e nem na suficiência de Jesus Cristo como propiciador da salvação, pois, depositam a sua confiança nas obras do próprio homem, que no caso é ele mesmo. Do mesmo modo que Paulo frisou quando disse "Quanto ao zelo e quanto à Lei, eu era irrepreensível" Filipenses 3:6, que antes de se tornar um dos apóstolos ele foi um legalista de primeira categoria, muitos crentes nos dias de hoje orgulhosamente afirmam que fazem parte  de um pequeno, porém, seleto grupo intitulado o “povo zeloso e de boas obras”, ou então, que “dão bom testemunho” e que “são firmes e féis” porque são os únicos (sui generis - a maneira rebuscada que alguns estão usando para dizer "somos os caras") que seguem corretamente a Bíblia.

Não tem nada demais afirmar que você é batizado, ou dizer que você serve a Deus em denominação tal porque se identifica com ela, também não faz mal nenhum você não cortar seus cabelos por acreditar que este é um sinal de obediência ou não usar determinados tipos de roupas/adornos, pois, o legalismo só passa a existir, e é um problema, quando você passa a crer que essas coisas são requisitos indispensáveis para a salvação (doutrinas bíblicas), ou então, que você é mais crente ou mais valioso para Deus do que aqueles(as) que não seguem estas regras denominacionais.

Paulo após fazer a sua exposição sobre a época em que era legalista disse que essas regras de nada nos servem, vejamos: “Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo” Filipenses 3:7

Se você que está lendo este texto, consciente ou inconscientemente, é um cristão legalista, provavelmente, tenha se sentido desconfortável e confrontado em um ou vários pontos durante a leitura deste texto, não se perturbe, isso acontece porque a verdade é o antídoto da mentira, ou seja, a verdade liberta (João 8:32).

Você pode relutar e até ignorar tudo o que aqui foi escrito, ou pode se curar do legalismo bebendo da água pura e cristalina, direto da fonte, faça um exercício: pegue sua Bíblia, peça a Deus a guia do Espírito Santo, deixe de lado os seus pré-conceitos sobre suas crenças, leia a Palavra de Deus em comunhão e se permita ser guiado pelo Espírito Santo, a verdade há de aparecer.

Nós recebemos o galardão não pelo que nós fazemos, mas sim pelo que Jesus já fez por nós quando derramou seu sangue na cruz.

Não se auto-engane e nem permita que te enganem, confie na Palavra de Deus que diz “minha graça te basta” 2º Coríntios 12:9.

16 comentários:

Anônimo disse...

Gostei do teu post. A Salvação é a pura misericórdia de Deus e nada mais. Por mais que nos esforçamos, não conseguiremos com nossas obras a salvação.

Com isso a uma irmã cortar seus cabelos, a um irmão vestir uma bermuda e ir a um estádio de futebol, ou ver um show de rock, de maneira nenhuma o tirará da misericórdia da salvação. Mas tais atos o desvirtuará, o levará para mais longe de Deus, pois ao cortar seus cabelos, a irmã estará propensa a vaidade, ao vestir uma bermuda, o irmão poderá se aproximar da sensualidade, ir a um estádio de futebol o levará a paixão desenfreada por um time ou até a idolatrar um jogador.

Em Efésios 2:10 há uma referência que Paulo fez: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” Querendo dizer que Deus criou as coisas boas para os cristãos e os cristãos para as coisas boas.

Ora, vaidade, sensualidade, idolatria por exemplo não são em sua essência coisas boas (mesmo que a pessoa que a pratique seja). Será que convém ao cristão?

Em I Coríntios 6:12, o mesmo Paulo discorre: “Todas {as coisas} me são lícitas, mas nem todas {as coisas convêm}: todas {as coisas} me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.” De Quem vem a força para não nos deixarmos dominar pelas coisas terrenas, se não for de Deus?


Graças damos a Deus por nos ter oferecido a salvação por meio de Seu filho Jesus Cristo. Nos reconciliou com Cristo, tomou nossos pecados (passados, presentes e futuros) por amor a nós, mesmo não havendo em nós condições alguma ou merecimento.


Deus abençoe a todos.

Henrique

PS: Estou como anônimo pois é um pouco difícil me “logar” para deixar comentários. Procurarei deixar minha assinatura nos meus comentários.

Anônimo disse...

Acho que posso deixar esse comentário de Dennis Alan:


Colossenses 2
20 Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como:
21 Não toques, não proves, não manuseies?
22 As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens;
23 As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.

"Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas cousas, com o uso, se destroem. Tais cousas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade" (Colossenses 2:20-23). Paulo fala das tentativas para conseguir mais espiritualidade acrescentando preceitos e regulamentos humanos. Estas restrições ascéticas parecem ser sábias, mas são inúteis, porque se originam nos homens. As igrejas têm produzido centenas de preceitos, proibindo seus seguidores de participar de prazeres lícitos, na tentativa de evitar a contaminação pelo mundo. Freqüentemente estes preceitos parecem razoáveis. Algumas pessoas fazem dos esportes o seu deus, então as igrejas condenam toda a participação no futebol. Muitos programas de televisão são sensuais e violentos, assim fazem um pecado ter um aparelho de televisão em casa. Algumas calças compridas são sensuais, então passam um preceito que a mulher não pode usar calça comprida nenhuma. Algumas pessoas ressaltam exageradamente a aparência externa, por isso proibem o uso de toda a pintura e jóias. E a lista continua. O que está acontecendo? Em vez de estarem satisfeitos com a perfeição em Cristo, as pessoas estão tentando ser "melhores" do que o ensinamento de Jesus. Quando os fariseus tentaram a mesma abordagem, eles encontraram a contundente reprovação do Senhor (Marcos 7:1-13; Mateus 15:1- 23). O que as igrejas aprenderam é que é mais fácil fazer com que as pessoas obedeçam a uma lista de regras humanas externas do que experimentar a transformação espiritual interna que Cristo exige. Mas os preceitos humanos não agradam a Deus.

http://www.estudosdabiblia.net/d18.htm

_______

Deus abençoe
Henrique

Cristão CCB disse...

Irmão Henrique, a paz e o amor de Deus, por Jesus Cristo, abunde teu coração!

Os fariseus, àqueles que crucificaram Jesus Cristo, se apresentavam externamente de acordo com os costumes dos judeus, teoricamente todos achavam que eles eram santificados, pois, se portavam segundo convinha que o povo de Deus se portassem, porém, o que carregavam em suas mentes e corações não eram tão "perfeito" como sua aparência, tanto é que não hesitaram em crucificar o Cordeiro.

O fato das mulheres não cortarem os cabelos ou os homens não usarem um shorts não quer dizer que a vaidade não exista, afinal, contemplamos tudo isso no mundo, alguns até cobiçam os que estão desta maneira, e aí já cometem outro tipo de pecado: o adultério.

Existem muitos tipos de calças, existem calças mosdestas e que não inspiram a sexualidade, portanto, não haveria mal se as mulheres que servem a Deus utilizarem elas, da mesma forma os homens, existem bermudas e bermudas, muitas delas não inspiram a sexualidade.

O importante é que não sejamos como sepulcros caiados, por fora uma belezura, por dentro uma imundice.

Fraterno abraço,

Mario

Anônimo disse...

Caro irmão Mário,

Concordo com teu ponto de vista. Há calças jeans que ficam mais discretas que certas saias.

Há tempos um rapaz cristão que estava nos visitando me disse que numa cruzada de pernas de uma irmã, ele perdeu completamente a comunhão. Nossa igreja é pequena, por isso não teve como não perceber o gesto dessa irmã. Uma calça para essa irmã, seria muito melhor do que a saia.

.
O exterior não deveria ter tanta importancia como é dado atualmente.

Vemos que há 2000 anos atrás esse assunto já era decorrente na carta de Paulo aos Colossenses.

Peço a Deus muito que Ele dispense dos céus sabedoria igual a que deu a Paulo, aos ministros atualmente na igreja. Seja na Congregação, na Assembléia, na Quadrangular, Brasil para Cristo, etc.
Que pregações não sejam apenas profecias, gritarias, promessas de milagres, mas principalmente conteúdo espiritual para que sirvamos a Deus por Jesus Cristo sem peso, livres e alegres.

Deus te abençoe.
Henrique

Regina Farias disse...

Mário

Excelente teu texto! (Pra variar rsss)

Mas infelizmente as pessoas engessadas não entenderão. Posso ver pelos comentários acima. Irão sempre ler, ler, ler e jamais entenderão; pois permitir-se guiar pelo Espírito Santo fica difícil para quem está apegado a tradições de doutrinas humanas.(Que ironicamente se dizem guiadas pelo Espírito de Deus e tolhem a liberdade das pessoas, oprimindo-as com seus ensinamentos que nada têm a ver com o Evangelho do Cristo da Cruz).

Na verdade, estes só irão entender quando se despirem do peso do legalismo e DEIXAREM o Espírito de Deus agir em seu ser, transformando-os. E isso nada tem a ver com denominacionismo, como você explana tão bem no seu texto.

Por outro lado, a minha oração(e esperança que nunca morre!) é que aqueles que já vêm travados para uma leitura libertadora assim, DESARMEM-SE, desgrudem-se do que veem e pegam, e entreguem-se verdadeiramente, confiando e deixando o Espírito de Deus agir, pois como disse Jesus ao legalista e religioso Nicodemus, o Espírito sopra onde quer.(E não onde o líder religioso acha)

Aproveito a chance pra dizer algo curioso quanto a esse lance de "roupa de homem". Ora, nos tempos bíblicos homens e mulheres vestiam túnicas, homens e mulheres tinham cabelos compridos.
E hoje, tem muita mulher que só veste saia, por ser "de mulher", mas na parte de cima está sempre com um blazer, terninho, tailleur, etc, que são tipicamente "masculinos". Isso, sem entrar em detalhes, apenas pra mostrar que tem a ver unicamente com contexto histórico e socio-cultural. Nas advertências em cartas do NT, se lidas dentro do contexto, percebe-se o cuidado relacionado à disciplina e aos costumes.

Peço permissão para copiar este texto no meu blog. Pena que lá não está aberto a comentários, pois tenho tido pouquíssimo tempo esses dias, aí fica difícil dar atenção aos que lá visitam, então preferi vedar por enquanto.

Mas não posso deixar passar a oportunidade de postar texto tão necessário! Assim como leituras como esta não me passarão em branco, apesar do tempo corrido.

Deus te ilumine, sempre!

R.

Cristão CCB disse...

Regina,

Está corrido pra todo mundo.

hahaha, inclusive, estou aqui sendo acelarado por uma pessoa pra ir num lugar... daqui a pouco respondo ao seu comentário com mais atenção.

Abraço,

Mario

Anônimo disse...

Prezada Regina.

Vi que referistes aos meus comentários, me catalogando como "engessado".

Gostaria que você lesse novamente com atenção e entendesse o que eu disse.

Venho acompanhando esse blog há algum tempo, sei da tua amizade com o dono do blog, mas não posso deixar de notar que ao me excluir no teu comentário, me intitulando "engessado" você não esta cumprindo com o sentimento de cristão. Cristo agrega e não separa.

Deus te abencoe

Mauro disse...

Prezado irmão Mario:
Primeiramente quero parabenizá-lo pela explanação de tal assunto e por sua coragem e por ser tão destemido. É de homens e mulheres assim que Deus precisa nesses ultimos tempos. Pessoas sem medo de falar e escrever e defender o verdadeiro EVANGELHO. Já chegamos ao limite da hipocrisia, de tanta apostasia e mentiras e a mercantilização de um Outro Evangelho. Basta!!! Não podemos ser mais vaquinhas de presépio e dizer amém a toda essas aberrações que contradizem as escrituras....
Para mim o legalismo é uma afronta a verdadeira fé em Cristo. É simplesmente mais um amuleto que os homens criam para sustentar tal religiosidade. Porque se compararmos diante das Escrituras Sagradas não há fundamentação. Todas as argumentações acima referente as doutrinas que regem as vestiduras de homens e mulheres são totalmente hipócritas. O conselho do apostolo Paulo é para que os cristãos andem na decencia, nao sensualistas. Agora, convenhamos quem realmente creu no Senhor Jesus e entende a Palavra de Deus, se veste decentemente e não precisa de homens que lhes ditem regras, leis e mandamentos.Quem tem o Espirito de Deus saberá como se portar, como comportar em quaisquer que sejam as circunstancias. Adquire e recebe sabedoria do Alto e nao da terra. Agora, até quando, tais denominações legalistas vão colocar fardo pesado para o povo carregar? Por que ao invés de ensinar a verdade, o evangelho simples de Jesus Cristo, insistem em trocar o leve pelo pesado, o fácil pelo complicado, o sagrado pelo profano? E desde quando se vestir de tal forma garante a salvação, se fosse assim as mulheres e homens do Oriente já estão todos salvos, pois suas vestes segundo a tradição e religião permite mostrar somente o rosto. Assim sendo, tal doutrina e tradição invalida o concerto do sangue derramado na Cruz, pois seguindo a linha do raciocinio não seria necessário o Filho de Deus ter vindo a terra se oferecesse como sacrificio e holocausto a Deus em nosso lugar. Era só nos vestimos roupas que cobrisse todo o corpo e fazer outros sacrificios que já teríamos vivendo tal "santidade" e a salvação já estaria garantido. Por favor, vamos raciocinar genteeeee!!! Para que Deus nos deu um cérebro, inteligencia e a liberdade de espírito para agir, pensar e vivenciar a Paz de Deus que poucos conhecem!!
Quem realmente creu em Deus e aceitou Jesus Cristo como seu unico salvador, nao teme nada, vive pela fé e pela palavra de Deus que são as escrituras sagradas,inerrante e infalível, pois ela é a boca de Deus, não teme nem o inferno, pois Jesus Cristo se fez maldito na cruz por nós e recebemos por meio Dele a Graça Redentora que nos justifica de todo pecado que ainda nesse copo cometemos no dia-a-dia e não é por obra e nenhum por esforço humano que o homem irá se salvar. Resta somente sermos agradecidos eternamente e tudo o que fizermos, fazer para agradar a Deus e não a homens como sacrificio de tolo, pois as aparencias pode enganar aqui mas a Deus ninguem engana.
Aos leitores dessa coluna, so lhes restam uma saída, buscam a Deus pela leitura e exame das escrituras, pois Deus não deixa ninguém confundido, mas se vós esperardes e confiardes tão somente nos homens, dai sofrerão e viverão sempre em conflitos, dúvidas, aflições de espírito. Porque a fé perfeita não há dúvida.

Cristão CCB disse...

Regina,

Há algum tempo atrás, quando eu ainda não lia a Bíblia, eu mesmo não entenderia, mas Deus tomou esse caminho, passei a ler e entender.

Quanto a copiar o texto no seu blog sinta-se a vontade.

Fraterno abraço,

Mario

Anônimo disse...

BOM DIA IRMÃO

DEUS ABENÇOE PELA ABENÇOADA MATERIA.
O EVANGELHO DE CRISTO E SIMPLES E PURO, SEM LEGALISMO ALGUM.
QUE AO LERMOS POSSAMOS MEDITAR E APLICAR NA NOSSA VIDA DIARIA COM DEUS, E NÃO COM REGRAS E APELOS QUE HOJE VEMOS NAS IGREJAS, PRATICADAS PRINCIPALMENTE PELOS LIDERES.

OBS: TAMBEM PEÇO PREMISSÃO PARA TRANSMITIR SEU TEXTO A OUTROS IRMÃOS.
MUITO OBRIGADO E DEUS TE ABENÇOE

ALESSANDRO

Cristão CCB disse...

Bom dia irmão Alessandro,

O texto pode ser compartilhado através de algumas ferramentas dispostas no topo da postagem, bem como, publicado em outros sites ou blogs, porém, pedimos que cite a fonte.

Fraterno abraço,

Mario

Regina Farias disse...

Caro anônimo:

O engessamento a que me refiro é baseado neste parágrafo:

"Com isso a uma irmã cortar seus cabelos, a um irmão vestir uma bermuda e ir a um estádio de futebol, ou ver um show de rock, de maneira nenhuma o tirará da misericórdia da salvação. Mas tais atos o desvirtuará, o levará para mais longe de Deus, pois ao cortar seus cabelos, a irmã estará propensa a vaidade, ao vestir uma bermuda, o irmão poderá se aproximar da sensualidade, ir a um estádio de futebol o levará a paixão desenfreada por um time ou até a idolatrar um jogador".

Você pode ser a pessoa mais bem intencionada do mundo, ser um cara de boa-fé, gente boa de Deus, MAS isso acima entre aspas é puro fragmento de doutrina de homens que não tem ABSOLUTAMENTE NADA a ver com comunhão com Deus. Ninguém se aproxima ou se distancia de Deus por causa de costumes, de performances, de aparências. Não existe VIRTUDE senão aquela manifestadas no nosso AGIR, quer os religiosos aceitem isso ou não. Desculpe a sinceridade, mas só posso dizer que isso é engessamento religioso, essa é a mais pura realidade. O engessamento do "crente gabriela" que bate no peito e diz "eu nasci, assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim".

O fato de não ir ao estádio, não assistir a um jogo, não gostar de determinado jogador, não ir assistir a uma banda de rock, não impede que o crente legalista tenha lá suas idolatrias. Não precisa nem sair de casa para ser um idólatra. As doenças da alma que só Jesus CURA não estão fora da gente. O mundo lá fora não tem nada com isso. Jesus orou ao Pai "Não vos peço que os tire do mundo, mas os livre do mal". A conversão é no nível do coração. O maior campo de batalha que a gente trava é no nosso próprio coração. No dia em que os religiosos entenderem isso, não terão mais receio de se despirem das vestes hipócritas e saírem livres para praticar os atos mais simples SEM MEDO de serem felizes! Ora, se Cristo vive em mim certamente eu saberei me portar em todos os sentidos e isso vai repercutir na minha vestimenta, no meu modo de falar e agir, nos locais onde entro e saio, mas nada que seja MECÂNICO ou engessado. Nada que qualquer denominação precise me apresentar uma cartilha religiosa com seus "ensinamentos". Será sempre fruto da GRAÇA que experimento no meu cotidiano.

Essa maneira correta de se apresentar diante de Deus que muitos acreditam estar ligada a exterioridades, é um estado que não se obtém por meio de legalismo denominacional. Tal justificação é uma LIBERTAÇÃO da escravidão do pecado por meio da fé em Cristo. Ou seja, "O homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei." Lembrando sempre que "pecado" está ligado às perversões do coração e jamais ligado à performance.

Quanto à sua curta e contundente frase final, é óbvio que Cristo agrega e não separa.
Mas Cristo não agrega mediante tradições acrescentadas pelo homem e menos ainda pelo medo e pela imposição. Creio que Cristo agrega pela verdade que liberta, em AMOR.
Verdade que nos liberta do farisaismo sectarista e nos aproxima pelo AMOR derramado na Cruz.
Ou você acha que não é EM AMOR que estou aqui "perdendo" meu tempo em dirigir essas palavras como resposta? É o amor que me move e me instiga a não concordar com o engessamento.
Aliás, tenho obrigação de falar. Agora, seguir, se despir e se permitir quebrar todo esse endurecimento colocado pelo legalismo denominacional é de cada um. É aquela história: eis que estou à porta e bato...

No amor de Cristo... Que só UNE!

R.

Anônimo disse...

Regina
Pelo seu comentário, vc é bem forte....espiritualmente falando...
tipo ...mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.
Mas o q acontece sempre, não é bem assim...
Um abismo, chama outro abismo...e cada um tem 1 estrutura espiritual...
Uns come carne e outros legumes....

Cláudio Nunes Horácio disse...

Sensacional, Evangelho límpido e cristalino do Nosso Senhor Jesus Cristo. Graça, Amor, Fé e Esperança.

Regina Farias disse...

Anônimo (Qual teu nome mesmo? rs)

Eu não sou forte, apenas me despi e me rendi ao Evangelho. Só isso. É muito simples, tão simples que é desconcertante. Tão simples que alguém pode perguntar "E é só isso?!"

Por outro lado, é simples mas não é fácil, porque sair daquilo que se pode pegar e ver para escolher viver essa "vertigem" só mesmo pela fé e mais nada. (Gosto dessa expressão "vertigem" que li anos atrás em site de um pregador e que define exatamente o que acontece comigo)

Não entendi bem sua metáfora culinária,não sei se aludido a alguma passagem bíblica mas se for, tem uma passagem incrivelmente libertadora acerca desse lance de regras estritas sobre o que não se deve comer(Atos 10:9.16) Leia despido de regras igrejistas que vc entenderá.

Enfim, o que posso dizer é que, justamente por sermos exclusivos diante do Pai, onde cada um é chamado pelo próprio nome, onde cada um tem uma relação pessoal com Ele, onde cada um tem uma estrutura própria - é que só encontramos força em Jesus, o caminho, a verdade e a vida. Aí, meu irmãozinho, não tem abismo nenhum! É uma vertigem que, paradoxalmente, nos leva ao colo dAquele que nos coloca em segurança. O nome disso é fé e denominação nenhuma nos dá isso. É aquela história de quando se está sozinho no quarto... cadê?!

A minha alegria diária é ver/constatar que Deus não nos fez robozinhos idênticos, temos anseios pessoais que só Ele supre. E, nesse suprimento, suprimos outros. Simples assim!

Com amor,

R.

Se quiser conversar mais sobre esse AMOR, eis meu e-mail: reginacmfarias@hotmail.com

Anônimo disse...

Me desculpe,a forma no qual vou me expressar... nós seres humanos somos falhos e TODOS estamos sujeitos a fraquezas e erros... a coisa que mais me impressiona e que fico muito abatida dentro da ccb e forma como o ser humano julga a fraqueza alheia e leva isso como para outro lado, Se é Deus que sonda os corações, e Deus que sabe aonde sua prova aperta, quem esta de fora é muito fácil abrir a boca e julgar agora ajudar... ao invés de dobrar os joelhos e orar e pedir para que Deus dê forças, ñ claro que não... prefere julgar!
não sei até quando as pessoas vão agir dessa forma...

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação