quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

BBB: o esgoto em tela aberta - Jesus é seu único big brother

7 comentários
Durante milhares de anos o bicho homem se valeu das suas armas naturais (garras e dentes) para se defender e garantir a sua sobrevivência, passado alguns séculos, o homem aprendeu a fazer os primeiros objetos capazes de ferir e tirar a vida de si mesmo, dos seus semelhantes e também animais, essas armas eram feitas com pedra lascada.

Com o passar do tempo, já vivendo em sociedade, o homem cada vez mais sentia a necessidade de aprimorar o desenvolvimento de armas em nome da proteção e sobrevivência do grupo.
Foi assim que o homem descobriu que se a pedra ao invés de lascada fosse lapidada com formas pontiagudas se tornariam perfurantes e cortantes, portanto, mais letais, com isso, eles poderiam vencer um combate num tempo muito menor, foi assim surgiram as facas, punhais e espadas.

Mais adiante o homem pensando na sua segurança durante o combate, chegou à conclusão que se ao invés de empunhar uma faca/espada ele pudesse arremessar precisamente esses materiais cortantes contra seus inimigos poderiam atacar seus desafetos a distância, foi assim que surgiram as lanças, flechas e outras armas do gênero.

Até que um dia o homem descobriu os metais e aprendeu a trabalhar com eles, logo percebeu que os metais eram excelentes materiais para se confeccionar armas, pois, eram mais leves e fáceis de moldá-los em variados formatos perfurantes e cortantes. Então, a pedra deixou de ser usada para dar lugar ao metal.

E assim foi até que os chineses descobriram a pólvora e pouco mais adiante surgiram os canhões e primeiras armas de fogo, com isso, a velocidade e alcance ao se arremessar materiais/projéteis pelo homem aumentou significativamente.

O tempo passou ainda mais, e o homem continuou aperfeiçoando suas armas de guerra, até que um dia descobriu o alto poder destrutivo das armas químicas, biológicas e atômicas, cujo poder de destruição desta ultima conhecemos devido a destruição de Nagasaki e Hiroshima, cidades japonesas que foram atacadas com bombas atômicas pelos Estados Unidos durante a 2ª Guerra Mundial.

Talvez muitos cristãos enquanto assistem o Big Brother Brasil nem percebem, mas ao assistir o BBB deixamos de ser um consumidor passivo dos conteúdos televisivos e passamos a ser um consumidor ativo, já que através da interação acabamos entrando numa guerra que não é nossa, passamos a odiar pessoas nunca sequer tínhamos visto na vida.

Você deve estar se perguntando, mas o que o BBB tem haver com a evolução das armas e o modo de guerra que esse blogueiro doido falou no inicio do texto?

Realmente, talvez seja paranóia minha, mas o telefone ou computador que é usado para votar naqueles que você não gosta e até odeia, para que sejam “eliminados”, são as armas desta “guerra” onde pessoas confinadas dentro de uma casa estão se digladiando por prêmio de R$ 1.500.000,00 (milhão e quinhentos mil reais).

Pois é, os telespectadores se transformam em soldados desta guerra e não somente empunham as armas como puxam o gatilho (disca/clica) para “eliminar seus inimigos”.

Mas será que os cristãos devem entrar nesta guerra?

Penso que não, afinal, entre os participantes a falsidade e a mentira são as principais armas utilizadas pelos jogadores nesta decadente guerra por um punhado de dinheiro, as pessoas são “emparedadas” pelos seus pares e sumariamente julgadas e eliminadas pelo publico, não pelos valores éticos, morais e até religiosos que ostentam, mas pelo tamanho do seu peito ou bunda. Muitas vezes o tamanho do peito ou bunda dos jogadores só perde para o tamanho da falta de caráter e leviandade.

Eu te pergunto, quem você está eliminando no paredão, aquele(a) participante bonzinho cheio de valores, ou aquele(a) gostoso(a) que age de forma desleal e vive bêbado(a) sensualizando com tudo e com todos(as)?

E se ao longo dos 4 meses que o programa fica no ar, ao invés de você ligar votar inúmeras vezes para tentar eliminar aquela pessoa que você nunca conviveu, mas odeia, você aplicasse esse dinheiro na Obra de Deus ou auxílio aos necessitados, não seria mais útil?

O que mais importa gastar seu dinheiro para se tornar um homicida estimulado pela mídia, “matando/eliminando” um desconhecido que você sem saber porquê passou a odiar, ou garantir ao menos uma refeição para criança faminta?

Um milhão e meio de reais realmente é muito dinheiro, mas não vale mais do que o sangue de Jesus Cristo, que morreu por nós na cruz para que fossemos remidos de nossos pecados e adotados por Deus.

Espero que com esse texto você meu irmão e minha irmã tenha no mínimo considerado a possibilidade de colocar o programa “Big Brother Brasil” no paredão, e quem sabe, definitivamente eliminar ele da sua vida.

Jesus é seu único “Grande Irmão” (Big Brother), afinal, ele deu a vida por ti, quem mais seria capaz de uma demonstração de amor tão grande?

Não deixe que esse esgoto em “tela aberta” corrompa sua fé e seus valores, do contrário você pode acabar no paredão e no dia do julgamento pode acabar sendo eliminado.

Pense nisso!

7 comentários:

Armageddon disse...

Achei interessante o artigo, apesar de não concordar com aquela parte que votar para eliminar algum candidato é uma espécie de homicídio, mas enfim. Esse tipo de programas (casa dos segredos, Big Brother e a casa das celebridades) também fazem (e fizeram) muito sucesso em Portugal, culturalmente são programas muito pobres, mas são líderes de audiências.
Pessoalmente eu não dou a mínima importância para esse tipo de programas.

Lina disse...

Esse lixo televisivo mostra conversas e acontecimentos fúteis da vida pessoal e sexual de cada um, um poço de armações e mentiras para prejudicar um ao outro e sem notarmos tambem uma armação e amarração do telespectador. Uma jaula pra seres humanos e consequentemente, o mais perigoso: uma jaula espiritual...

Anônimo disse...

E quanto a jogos de videogame e computador, aonde crianças cristãs "matam" inimigos, seja com chute, soco ou até mesmo com armas de tiro?

Muitos pais compram esses jogos aos filhos pois assim "distraem" os pequenos, dando mais tempo aos pais "descansarem" e "se divertirem" sem ter os filhos perturbando por perto.

Bom tema, mas perto de jogos de videogame, o BBB é "café pequeno".

Mauro disse...

lamentável saber que ditos "cristãos" seguem BBB. Essa futilidade sem precedente na historia da tv mundial, veio para acabar de detonar com a racionalidade do ser humano, pois com poder maligno transforma todos os expectadores em uma massa de idiotas que perdem tempo e dinheiro diante de algo que nada acrescentam em suas vidas.
Esse tipo de programação somado com novelas e muitos filmes nada contribuem para o despertar do inegável fato em que estamos inserido, pois conseguem fazer com que o cidadão passe parte da sua curta vida nesta terra sem aprender nada de culto, nao adquire sabedoria e o pior passa pela terra e nao chega a conhecer Deus e Jesus Cristo porque o tempo que teria para ler as escrituras está totalmente fechado para tal inbbbecialidade. Torna-se um ser vazio, sem conteúdo, nao entendem nada das coisas deste mundo, tornando-se um mero consumidor de todo esse lixo e entra para o rol de mais um dessa massa de manobra e assim caminha a Humanidade... Poucos se sobressaem... Infelizmente.

Armageddon disse...

Mas qual o problema dos jogos de vídeo? Eu mesmo costumo jogar jogos de consola e de computador, e qual o problema disso? A meu ver nenhum.

Anônimo disse...

Armageddon,

Nenhum jogo tem problema até que tenha um objetivo maligno.

O GTA por exemplo é você ser ladrão de carros, assassinar pessoas, atropelar transeuntes, ser traficante de drogas entre outras coisas.
O Counter-Strike, Medal of Honor, Battlefield entre outros você tem que matar teus oponentes, incitando a raiva, o assassinato do oponente.

Não há como negar que ao jogar um jogo assim, o sentimento de raiva, de vingança e de matar toma o jogador.
.

Se você acha que "não há problemas" em ter esses sentimentos não cristãos em teu coração ou de teu filho, tudo bem. A opinião é tua, respeito, porém não concordo e acho que para cristãos não convém, mesmo sendo lícito.

Abraços

Armageddon disse...

Sr.anónimo, não acho que os jogos que tu mencionas-te tenham um objectivo maligno, eu mesmo costumo jogar o GTA:San Andreas na minha PS2, um excelente jogo por sinal, e não existe nenhum mal em jogar um jogo do género pois é apenas ficção e lazer. Por essa ordem de pensamento, existiriam n filmes que nós os cristão não poderiamos assistir.

Abraços.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação