sábado, 22 de agosto de 2009

Como eu deixei de ser um fariseu

6 comentários
Já fui muito farisaico, não aceitava os desvios de costumes (vestes, maquiagem e corte de cabelos), eu não usava shorts nem para dormir em dias de muito calor, e olha que ventilador me faz mal (ataca minha rinite), então, aprendi a dormir no calor sem qualquer climatização, em dias de muito calor eu suava que nem um porco, isso não era nada saudável, mas eu achava que tinha que fazer esse sacrifício, pois, como muitos, eu entendia e aceitava a pregação que usos e costumes eram doutrina bíblica. O tempo foi passando e tendo vontade de saber mais da palavra de Deus, insatisfeito com o "quase nada" que nos ensinam sobre as Escrituras na igreja, comprei um Bíblia de estudo, comecei a ler mais a Bíblia, buscar as respostas para as perguntas que pipocavam na minha cabeça, entre elas a questão das vestes, com isso, vi que a Bíblia, qual temos por infalível palavra de Deus e unica regra de fé e conduta, nada nos impõe acerca das vestes. Com o tempo entendi que o sacrifício que nós temos que praticar diariamente é o da carne, ou seja, nos abster do pecado e das imundícias deste mundo, e não nos trajar com determinadas vestes, ou deixar de cortar o cabelo ou pintar o rosto. Então, em dias de calor, passei a usar shorts dentro da minha casa, se eu precisasse sair na rua colocava uma calça. E assim foi até que um dia esqueci que estava de shorts e fui até a farmácia, no meio do caminho é que me dei conta que estava de shorts na rua, ia voltar e me trocar, mas decidi continuar, pois, dentro da minha casa eu não me acusava, e eu vi que não queria esconder de Deus, mas sim dos homens que são comedores de feijão (como eu). Prossegui rumo a farmácia, e na metade do caminho cruzei com uma moça que sempre que passava do meu lado estava de calças acabava virando o rosto para que eu não tivesse que me decidir em saudá-la ou não, mas neste dia ela viu que eu sou tão "fraco" quanto ela, e ela me saudou com A PAZ DE DEUS, eu respondi com um AMÉM bem gostoso, e o Senhor me visitou, neste momento, o Senhor falou em meu coração que muitos jovens estão deixando a igreja por conta dos costumes que não querem, não conseguem e não precisam se enquadrar.


Foi assim que o Senhor tirou dos meus olhos as escamas da ignorancia, e desse dia em diante nunca mais escondi que eu usava shorts, foi aí que percebi que eu me portava como fariseu usando shorts dentro de casa e calça na rua.


Conversei com meu cooperador de jovens e os demais auxiliares de jovens, disse que pensei em entregar o cargo para não ser a preocupação do ministério sendo considerado um auxiliar rebelde quanto a doutrina CCB, disse a eles também que a voz que falou no meu coração era a mesma voz que me guiou em alguns movimentos espirituais de suprir necessidades (entre elas a de um diácono), entre outras. Disse que u não poderia ser negligente com a voz de Deus e que eu me sentia impotente por Deus me apontar que muitos estão largando a igreja e a fé por causa dos costumes e eu nada fazer.


Pelo menos não agi como covarde, considero que minha transformação de fariseu a um cristão praticante da caridade e tolerancia para com os irmãos(ãs) foi como de a Saulo transformado em Paulo, a água tranformada em vinho, ou seja, foi uma mudança substancial. O cooperador disse que o shorts não era motivo pra eu deixar o cargo, que minha conduta sempre foi irrepreensivel, que deviamos esperar que Deus revelasse a mesma coisa acerca das veste para os anciães no Brás, vi que as revelações do Espirito Santo só são levadas em conta quado vem dos anciães para os membros e nunca do membros para o ministério.


E isso é triste porque vemos que não existe mais na CCB aquela humildade que Francescon orientou sobre o erro doutrinário e sua correção quando evidenciado.


Enfim, disse ao cooperador e aos auxiliares que o melhor exemplo que eu poderia dar as crianças e jovens era a honestidade e carater perante Deus e os homens, e esse é o melhor que eu consigo fazer.


Na verdade não fui em quem deixou de ser um fariseu, e sim Deus que me libertou da mentira e das imposições humanas.


6 comentários:

Daniel Pereira disse...

Boa Mário!

Arrebentou meu irmão!

Regina Farias disse...

Parabéns pela sinceridade e ousadia!
Muito me alegra ver alguém de doutrina tão rígida se libertando de costumes que nada têm a ver com salvação.
Não faço parte da CCB mas tenho alguns familiares e amigos de boa-fé escravizados por equívocos como por exemplo em relação ao significado da vaidade que nada tem a ver com exterioridades e muito menos com a beleza estética.
Que Deus continue te iluminando!

Anônimo disse...

Irmaos desejo lhes por este artigo citar Paulo em 1 aos corintios cap 4 vers 3 que diz; Todavia ;a mim mui pouco se me da de ser julgado por vos; ou por algum juizo humano;nem eu tao pouco amim mesmo me julgo porque em nada me sinto culpado;nem por isso me considero justificado,pois quem me julga e o Senhor. paz e graças aos santos

Anônimo disse...

voce tem mesmo certeza que foi deus que falou com vc !! ?? vc acha que a palavra de Deus pode ser transgredida?? conhece o hino que diz ontem hoje e eternamente é o mesmo cristo jesus.Cuidado pode ser sim que nao haja nada de mais em usar roupas mundanas mas pode ter certeza que quando a necessidade bater a sua porta a libertaçao pode demorar mais ,, somos um povo diferente nunca esqueça disso no meu caso foi contrario ao seu vim do mundo do pecado ea libertaçao das coisas mundanas para servir a deus pode ter certeza nao tem preço!!!

Anônimo disse...

Tudo é lícito, mas nem tudo me convém..
Do coração, provém tudo o que expomos...(cuidado, o coração é traidor)
Mas quem morreu na cruz por você, foi o Senhor Jesus(não fui eu, >>outro anônimo<<<)
Cuidado com conselhos astutos, geralmente (me perdoem) vem de irmãos de algumas denominações de portas larguissimas..
Se dentro da sua casa, você usa short, aconselho na rua pelo menos 1 moleton comprido...

Cristão CCB disse...

Caro irmão(ã) Anônimo(a), a paz de Deus seja no teu coração!

Eu não ia nem responder ao seu comentário, pois, acho que até para os seguidores dos usos e costumes já está mais do que claro que a questão das vestes não é doutrina bíblica, mas doutrinas que os homens criaram com o intuito de melhor servir a Deus.

Quanto a usar bermudas em casa e "pelo menos um moleton comprido na rua" fica a pergunta: Deus não enxerga debaixo do telhado da minha casa?

Externamente convém apenas que nos trajemos com modéstia, não importa o tipo de vestes, apliquemo-nos em apresentar um coração puro e sincero na presença de Deus, para que não sejamos como sepulcros caiados, que por fora é limpo, mas por dentro são cheios de rapina.

Realmente o nosso coração pode nos trair se não buscarmos a guia de Deus, por isso, não te darei um conselho que pode ser astuto, mas apresento-lhe a Palavra de Deus para que você mesmo reflita:

"Porque a vida é mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes." Lucas 12:23

"Guardai-vos dos escribas, que gostam de andar com vestes talares e muito apreciam as saudações nas praças, as primeiras cadeiras nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes." Lucas 20:46

Para finalizar, importa-nos sermos vistos pelos homens com vestes compridas????

Por favor, aceitem a Bíblia como sendo a Palavra de Deus e façam dela sua regra de fé e conduta.

Fraterno abraço,

Mario

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação