segunda-feira, 6 de abril de 2009

NÃO É MAIS COMO ERA ANTIGAMENTE

3 comentários
Quando conversamos com a irmandade de uma geração anterior a nossa, ou então, com irmãos ou irmãs mais antigos é comum escutarmos que a CCB de hoje está muito diferente daquela do seu tempo. Alguns por um instante lançam um olhar para o nada, parecem buscar na memória as lembranças da boa época da CCB. Certo é que as coisas mudaram e muito, a impressão que se tem (eu tenho) é que o desgosto destes irmãos se dá principalmente por conta da evidente politicagem existente no meio ministerial, dos excessos de ensinamentos que muitas vezes tiram a liberdade do mover do Espírito Santo dentro da igreja. Estes dias, li no blog do Charles um artigo que dizia que a reforma na CCB já aconteceu faz tempo, e foi promovida pelo próprio ministério, que se desviou de algumas verdades bíblicas e dos valores cultivados por Luis Francescon que culminou no surgimento da Congregação Cristã no Brasil, a primeira denominação evangélica pentecostal brasileira, a segunda latino-americana. Os argumentos do irmão Charles são consistentes e fazem bastante sentido.
Por muito tempo a Igreja Católica manteve seu domínio sobre seus fiéis simplesmente fazendo com que a Bíblia não fosse acessível a todos, por isso, ela era publicada apenas em latim, e era proibida sua tradução para outros idiomas, assim os fiéis ficavam dependentes dos sacerdotes tanto para a leitura da Palavra de Deus quanto para as interpretações da mesma, por isso tudo era aceito sem qualquer questionamento. Muitas denominações cristãs e seitas heréticas utilizaram/utilizam a mesma tática da igreja romana para manter o domínio sobre seus fiéis, mas diferente daquela época, hoje a Bíblia é editada no nosso idioma, a única diferença na tática é que para evitar que seus fiéis consultem as escrituras e conheçam a verdade e acabem libertos por ela, os ministros destas igrejas, alegam que é prejudicial estudar a Bíblia argumentando que “a letra mata”, desta forma pela falta de conhecimento bíblico, por grande parte dos fiéis, os fiéis ainda dependem deles para a “interpretação verdadeira das escrituras”, por isso, alguns erros antigos continuam a existir no seio destas igrejas sem que eles sejam sequer questionados.
A membresia ccbeiana da atualidade é muito diferente daquela de meio século atrás, principalmente os jovens, a maior parte é alfabetizada e tem bom nível de instrução. Antes por falta de “leitura” as maiorias dos ccbeianos dependiam de seus cooperadores/anciães para a leitura das escrituras e também sua interpretação, por isso existe em nosso meio a forte cultura de que tudo que sai da bocas dos servos vem do próprio Deus e não pode ser jamais questionado. As coisas já não são mais como eram antigamente, hoje é comum enquanto escutamos uma pregação observar jovens folheando assiduamente a Bíblia para buscar confirmação daquilo que está sendo pregado no púlpito. Ontem na Reunião de Jovens, durante a palavra, o cooperador questionava sobre qual seria o numero dos escolhidos, e o que era necessário para ser um dos escolhidos para a salvação, por fim ele mesmo respondeu que é necessário ser justo, ter boas obras e ser batizado. Neste mesmo momento os jovens folheavam as suas Bíblias e compartilhavam uns com os outros o capitulo/versículo encontrado, porém, surpreendentemente todos eles conflitavam com aquilo foi pregado no púlpito, alguns liam evangelho de João capitulo 3 que diz que a salvação é possível a todos que crêem em Jesus Cristo, outros liam o evangelho de Lucas 5:32 que diz que Jesus veio para os pecadores e não para os justos, já outros liam Efésios 2 onde é explicitado que a salvação é pela graça e não pelas obras. A mocidade não ignora a importância das boas obras, mas compreendem que as boas obras são frutos que naturalmente são produzidos na vida daqueles que aplicam em suas vidas o evangelho de Jesus Cristo.
Se nós jovens somos o futuro da igreja, certamente quando nossa geração estiver à frente da igreja, a CCB será bem diferente do que é hoje, talvez mais próxima do que já foi um dia, será uma igreja mais fiel as escrituras. O conhecimento das escrituras pelos jovens ccbeianos livrará nossa amada CCB de muitos vícios antigos e nocivos existentes em nosso meio, assim como a tradução da Bíblia por Lutero libertou a muitos do pesado jugo imposto pelos da igreja romana daquela época. Talvez este movimento como o visto no dia de ontem, na Reunião de Jovens, seja o Senhor atendendo aos pedidos daqueles irmãos antigos que choram por dentro e pedem a Deus sua igreja de volta. A CCB do futuro será menos discriminatória para com as mulheres, a CCB do futuro se reconhecendo como uma reunião de pecadores que juntos buscam e louvam a Deus estará de portas abertas para qualquer pecador que quiser se achegar ao Senhor, a CCB do futuro realmente cumprirá o “ide e anunciai a todas as criaturas” – seus membros farão mais que dar bom testemunho, a CCB do futuro pregará o evangelho segundo Jesus Cristo e não mais uma religião que causa tantas divisões e confusões. Tudo isso acontecerá não porque somos melhores do que os que estão/estiveram à frente da igreja, mas, simplesmente porque o Senhor reconduzirá a CCB aos trilhos da verdade bíblica, assim como reconduziu o povo liderado por Moisés e que se em dado momento se desviaram da verdade e se renderam a idolatria. É um processo natural de amadurecimento espiritual.

3 comentários:

Marcos Riso disse...

Não sei exatamente irmão, antigamente havia muita ignorância também, não se podia nem ter televisão em casa!

Anônimo disse...

Os primórdios não podem nem devem ser comparados com a geração atual. O comportamento dos tempos antigos eram adequados aos tempos antigos. Deus não deixou de operar milagres entre seu povo durante todos esses anos portanto o amor de Deus não diminuiu com o avançar dos tempos. Deus não está preocupado com a igreja que ele irá salvar mas sim com os fiéis, pois a igreja não entrará no céu, não ocupará um espaço físico!A igreja nada mais é que um templo...Devemos entender a igreja que Cristo virá uscar como um conjunto de fiéis.
Então também não podemos nos equivocar e dizer que terá UMA IGREJA no futuro que se salvará!
As almas se salvarão de acordo com suas obras.
Estar na igreja não é sufisciente para entrar nos Céus!!!

jacob disse...

muito bom mesmo,gostei dessa comparação!

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação