domingo, 19 de abril de 2009

Desvendando "Atos 15 na CCB"

4 comentários
Tendo em vista a reação equivocada de muitos, em relação ao brilhante texto do irmão Daniel, que reflete não apenas os sonhos dele, mas, o desejo de muitos ccbeianos, decidi mostrar aqui alguns pontos que denunciam que se trata de um ensaio de uma “Congregação realmente cristã”, que pode existir se nossos ministros um dia submeterem suas decisões somente à Palavra de Deus, ou se nós como membros e crentes em Jesus Cristo cobrarmos.


Vamos então a analise do texto do irmão Daniel:


Primeiramente, se abrirmos nossas Bíblias no livro de Atos dos apóstolos, no capítulo 15, veremos que a carta se baseia neste capítulo, o contexto do texto do nosso ir. Daniel é o mesmo da situação vivida pelos apóstolos, de novidade, só temos algumas deficiências da CCB enquadradas no texto e os personagens não são mais os apóstolos, mas, os anciães reunidos em uma assembléia anual, lá no Brás. Nada diferente do que fazem nossos ministros ao pregarem as Escrituras, que são muito antigas, porém, adaptadas para nossa realidade nos servem de consolo e apoio nos dias atuais.
Um ponto que passou desapercebido pela maioria dos leitores do texto em discussão, é que os nossos ministros não poderiam alegar que não tinham conhecimento de algumas heresias praticadas em nosso meio, pois, algumas são disseminadas através de circulares editadas por eles próprios, ou então, ensinadas durante suas pregações em cima do púlpito nas congregações desse imenso Brasil, além dos muitos fóruns de discussão que existem e lhes encaminham/encaminharam propostas para serem avaliadas pelo corpo de anciães da CCB, é importante salientar que muitos destes fóruns são compostos por membros da instituição e até alguns ministros que anonimamente se expressam.
É do conhecimento de toda irmandade que algumas vezes, entre os anciães, as discussões esquentam, até aí nada demais, pois somos humanos e isso é da nossa natureza, porém, não é de se aceitar discussões de baixo nível e com uso de palavras torpes e de caráter ofensivo aos que expressam suas opiniões, como também sabemos que já aconteceu. O que me chamou a atenção nesta parte onde é relatada a discussão é que quem tomou a palavra foi um ancião dos mais novos de ministério e ele sugeriu mudanças radicais que foram plenamente acatadas por todo corpo de anciães, sabemos que isso é algo praticamente impossível de acontecer na CCB, acabar com a arrogância e o narcisismo que o poder confere a alguns imponentes anciães seria um verdadeiro milagre de Deus, um alivio para muitos fazerem o que realmente o Espírito Santo faz sentir de fazer. Já no tocante aos anciães que sairiam de congregação em congregação para anunciar a decisão da assembléia anual e eliminar as heresias ccbeianas vemos que é situação idêntica ao que é relatado em Atos 15.
Outro ponto que passa totalmente desapercebido pela maioria dos leitores é que a linguagem da hipotética carta dos anciães à irmandade não utiliza o colóquio usado no cotidiano da irmandade, o que é uma peculiaridade da CCB enquanto denominação. No corpo da carta é valorizada a boa instrução da parte dos irmãos anciães que participaram da assembléia e redigiram a carta a ser lida nas congregações de todo o país, bem sabemos que essa atitude seria inédita em nosso meio, pois, sempre nos ensinaram que a “letra mata”.
As demais coisas se passadas da maneira como estão escritas na suposta carta seria como se os anciães dessem um tiro no próprio pé, soariam para toda a igreja como a maior das hipocrisias vista nos 100 anos de existência da CCB, não teriam como dizer que alguns se usando indevidamente do poder que lhes foi concedido pregaram equivocadamente doutrinas anti-bíblicas, pois, foram eles que introduziram nas cabeças ccbeianas o errado conceito de “pecado de morte” que nega o poder de salvação que há para os que crêem em Jesus Cristo. Foram eles, e ainda são eles que ensinam que somos diferentes dos demais crentes, o povo separado e de boas obras, os eleitos do Senhor, a verdadeira igreja de Deus, a graça maravilhosa.
No que se refere às irmãs na orquestra, sempre foi do conhecimento do ministério essa reivindicação das nossas irmãs, inclusive foram procurados por irmãs que gozam de liberdade para tocar no exterior, mas, que no Brasil lhes é negado esse direito, o que conflita com a própria Bíblia, que diz que Deus não faz acepção de pessoas e também conflita com diversos Salmos onde há clara instrução para louvarmos ao Senhor com todo o tipo de instrumento que emite som.
Outro item bastante incomum seria a existência de um canal direto com os anciães para que a irmandade dê sugestões, nunca quiseram ouvir a irmandade e nem responderam nossos questionamentos, além da estranha existência do já bastante atrasado site oficial da CCB com conteúdo institucional e material de edificação espiritual para seus membros.


Se a mudanças viessem seria muito bom, seriamos uma Congregação verdadeiramente cristã. Que o texto do nosso ir. Daniel sirva de reflexão para os membros e da CCB, pois, mostra o quanto nossa CCB está desviada das verdade contidas na Palavra de Deus.
Ao ministério cabe ver que não se trata do texto de um reformista que está pregando inovações, mas o texto de alguém que tenta restaurar a igreja nos moldes como ela já foi um dia, e que já foi reformada pelos anciães que não usam as Escrituras para calçar suas decisões.


Oremos a Deus para pela situação em que a CCB se encontra e que sejam iluminados os anciães, assim como o Senhor tem feito com muitos dentre nós.


No final do texto o ir. Daniel questiona se é utópico, penso que sim, mas como servimos ao Deus do impossível creio que é possível.


Deus abençoe a todos(as)!

4 comentários:

Daniel Pereira disse...

Ir. Mário...que que é isso?

Eu mesmo respondo: é a síntese de meu texto, não teria feito melhor!

Vou copiar sua perfeita análise e publicar em meu blog.

Deus abençoe.

Cristão CCB disse...

Ir. Daniel.

Pode usar o texto, se necessário faça inclusões, exclusões e/ou adaptações que julgar necessárias.

Obs.: fiz este texto correndo, não me atentei para a ortografia e nem concordância, talvez seja necessário correções.

Deus abençoe!

Anônimo disse...

Muito bonito meu irmão , quero levantar qeu muitos pensam assim , mas meu irmão te digo que chegará um tempo em que não haverá placa nem nome de igreja e sim apenas o coração a presença e o espirito de Deus o nosso Deus em nossas almas e corações , porque , a igreja catolica era sim a comunidade dos apostolos mais paulo que ficou encarregado dos gentios disse a eles quando eu for ( pois já era cumprida a sua carreira ) chegarão lobos devoradores que distorcerão todas as doutrinas e ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo ,e foi o que foi foi dito e foi feito e hoje é um templo de abominações e de idolatria , mas, Deus mostrou sua sabedoria e mostrou presente entre todos , e com o passar do tempo foi presente , mas vejo que hoje de novo lobos devoradores entraram na congregação e fizeram o que foi feito e isso e o que é pois muito perto chegará o tempo da queda da congregação sim a igreja ( a placa) mas não a graça de Jeusu pois essa ficará em nosso coração , mas meu irmão se isso que você faz é em nome do Senhor e com a benção dele tenha certeza de que Deus te dará vitoria nisso pois nunca deixará aquele que prega a verdade cair confundido e envergonhado pois do céu o Senhor viu que você está tentando , vocês dois e varios estão tentando fazer o melhor para a congregação , e se for da vontande do Senhor será cumprido porque assim como disse o salmista : Mil cairão ao meu lado e dez mil a minha direita e eu não serei atingido. Assim será o Senhor na vida do crente aquem ele ama , fique sabendo se tudo isso que passa pela internet em que os irmão falam para mehorar a congregação se for de Deus inimigo nenhum lobo nenhum conseguirá impedir o favor de Deus !

Deus abençoe !

Apaz de Deus !

Anônimo disse...

apdD com todos.
muito pertinente os comentarios,tbm creio q para DEUS tdo e possivel e espero de coraçao estar vivo para ver tais mudanças bem como participar de todas elas.
Por falar nisso, o q os caros irmaos pensam sobre os dizimos? Visto q JESUS disse q nao vei para abrogar a lei mas,sim faze-la cumprir; mat 5;17.
atenciosamente Junior

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação