terça-feira, 24 de março de 2009

Narcisos da fé

1 comentários
Às vezes me pego pensando a respeito do legalismo exagerado que existe no nosso meio, e infelizmente chego à conclusão que é algo tão vazio quanto à fé daqueles que confiam nas suas estatuas e amuletos.
Muitas vezes queremos passar a impressão de que somos “o povo zeloso e de boas obras”, o povo santo, o separado por Deus, por isso, tentamos passar ao mundo a imagem de homens e mulheres perfeitos, fazemos isto sem mesmo nos dar conta de que fazendo assim negamos ao evangelho da graça, pois, enganam-se aqueles que acreditam que Jesus Cristo veio para os justos (Lucas 5:32). Antes tivéssemos agradecendo a Deus por sermos os pecadores pelos quais Jesus na cruz padeceu.
.
Projetar a imagem de cristãos perfeitos nos imputa vários erros:
.
1) Isso não é verdade, e a ausência da verdade é a mentira. Nem sempre estamos felizes, confiantes, amando o próximo como deveríamos, e servindo a Deus como gostaríamos/acreditamos ser necessário.
.
2) Quando passamos a imagem de seres angelicais, que trajam alvas vestes, que estão livres dos erros e resistentes a todas as fraquezas humanas, afastamos de nós pessoas que gostariam de serem ajudadas, mas que acham que por serem tão diferentes (pecadoras, seres errantes, seres humanos, etc.) não serão compreendidas por nós.
.
3) Ainda que fossemos capazes de viver uma vida sem erros, sem conflitos entre o carnal e espiritual, seria algo superficial. Pois, o cristão que têm/teve uma experiência profunda com o evangelho são aqueles que um dia fracassaram e/ou ainda fracassam mas aprenderam a conviver com isso, por isso, o Senhor Jesus lhe estende as mãos, trazendo-os para a graça do Filho de Deus, livrando-os do jugo pesado (Mateus 11:30).
.
Nem mesmo os discípulos de Jesus foram os supercrentes e superespirituais que farisaicamente hoje aparentamos/queremos ser, mas que humanamente não somos, simplesmente porque não conseguimos, e por isso somos alcançados pela graça de Jesus Cristo.
Pedro negou ao Senhor três vezes (Marcos 14:68;70 e 71); Os discípulos acreditaram que o Calvário havia colocado fim ao ministério de Jesus, pois, não creram quando Maria Madalena anunciou que Jesus lhe apareceu (Marcos 16:11); Tomé teve que tocar as chagas de Cristo para crer na ressurreição já anunciada (Marcos 14:28) e também testemunhada por Maria Madalena e os demais discípulos (Marcos 16:09-13); Tiago e João como pagamento ao seu serviço na anunciação do reino pediram ao Senhor que lhes concedesse lugar de destaque na glória, assentando-se a sua direita e sua esquerda (Marcos 10:37); Judas entregou Jesus a seus assassinos (Marcos 14:45).
Mesmo diante das falhas de seus discípulos Jesus ressuscitou e apareceu a todos, até mesmo a Pedro que disse não o conhecer, aos demais que não creram na sua ressurreição e a Tiago e João que lhe pediram poder, mas nenhum deles, nem mesmo Judas – o traidor, são lembrados na Bíblia por causa de suas falhas, mas são todos descritos como soldados valorosos do Senhor.

Neste mesmo blog, no texto “Os supercrentes, as supermentiras” foi abordado sobre a relação intima e misericordiosa entre Deus e grandes homens de Deus do Velho Testamento que começaram bem sua jornada nos caminhos da fé, mas em dado momento vacilaram em suas pisadas, mas continuaram a contar com a mão de Deus a seu favor.
.
Enfim, tudo isso escrevi para dizer que Deus espera mais fracasso de nós do que nós mesmos, e que não sermos perfeitos como gostaríamos de ser é o que nos faz aptos a receber a misericórdia do Senhor, pois dependemos dele para alcançar a salvação, que por amor nos é concedida (João 3:16). Assim como aos homens do Velho Testamento que fracassaram e não faltou à misericórdia e o amor de Deus para com eles, assim como também aos falhos discípulos de Jesus não lhes faltou amparo e a luz para dar prosseguimento à anunciação do reino, após a ascensão de Jesus, não nos faltará à mão do Senhor para nos socorrer e nos consolar porque não somos perfeitos como gostaríamos de ser ou como nos dizem que temos que ser.
Olhando para todos os exemplos de homens de Deus que tanto no Velho quanto no Novo Testamento erraram, chego à conclusão que a mensagem que Deus nos deixa é que não nos atormentemos por não sermos perfeitos, que todos somos assim, com exceção do cordeiro imaculado Jesus Cristo que morreu por nós na cruz, se quiser um espelho olhe para Jesus, e não para um espelho narcisista, que só enxerga perfeição na própria imagem.
.
Onde na Bíblia estão os crentes perfeitos que somos cobrados a ser nos dias de hoje por nossos ministros????
.

1 comentários:

Dead_Violin disse...

Deus espera mais fracasso de nós do que nós mesmos [2]

perfeita colocação.

Eu conheço um cara, que quem vê, fala que é o santo, mas ele confessou para mim que só toca na igreja por aparências, porquê odeia tocar, odeia música...

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação