terça-feira, 31 de março de 2009

Meu testemunho - Parte 2

5 comentários
Continuação...
Congreguei durante 5 anos, durante esse tempo eu nunca contribui com um centavo nas coletas, fui em vários batismos mas voltava triste porque o Senhor nunca me chamava. Eu congregava escondido porque meu pai não gostava, e ainda não gosta de crente, naquela época minha mãe freqüentava a Igreja Quadrangular, um dia Deus fez um movimento e levou ela e meu irmão mais novo para a CCB.
Trabalhava num setor onde as pessoas tinham alto poder aquisitivo, e eles se incomodavam em ver o crentinho que fazia tudo certinho, sempre me convidavam para sair, mas eu nunca ia porque não era acostumado a freqüentar os ambientes que eles freqüentavam, pois, como sofri enquanto criança acabei criando alto senso de responsabilidade e por isso não conseguia viver inconseqüentemente. Mas um dia todos os moços e moças do setor combinaram de sair, para perder a imagem de anti-social aceitei o convite, mas de ultima hora as meninas desistiram, e eles me levaram numa “casa de mulheres”, não serei hipócrita em dizer que meus olhos gostaram do que viram, mas ali mesmo minha consciência me acusava, e eu lembrei que até poucos dias eu passava fome, e que o Senhor tava me abençoando, e que eu não podia gastar dinheiro com aquilo. Não consumei o ato, e fiquei bastante perturbado com esta situação que tomou conta da minha cabeça por muitos dias, e comecei a ter vontade de viver a vida com liberdade e intensidade, já não tinha mais paz dentro da igreja.
Um dia resolvi que seria a ultima vez que entraria numa igreja, a cada gloria que o irmão sentado atrás de mim dava era como se as correntes que me amarravam caíssem, uma a uma. O Senhor me chamou, pode parecer fantasia, mas, enquanto me dirigia a vasca sentia grandemente a presença de Deus, e um calor envolvendo meu corpo em movimento circular, era como se estivesse arrancando coisas que estavam fixas em mim. Desci as águas do batismo, e voltei para casa preocupado com a reação do meu pai. Enfrentei muita luta, dois anos depois fui levantado como auxiliar de jovens e menores.

Com o tempo percebi que é muito dificil um jovem ser crente nos dias de hoje, certa vez eu estava muito fraco espiritualmente, e queria muito lançar mão as coisas que o mundo me ofertava. Isso me deixava muito mal, pois, como a maioria dos ccbeianos gosto de levar as coisas corretamente em todos os planos da vida (pessoal, profissional e espiritual), não aos olhos dos irmãos (ãs) mas principalmente na presença de Deus. Cheguei até pensar em jogar a toalha e me render, pensei que se pecasse de uma vez meu sofrimento se acabaria. Mas daí pensei em tudo que o Senhor fez por mim, de todas as marivilhas que deu a graça de eu contemplar e viver, na minha pouca força eu ia congregar, mas estava ali por estar, eu ficava inquieto dentro da igreja, esperando acabar o culto, e chegava a pensar nas coisas do mundo ali mesmo e isso para mim era terrível porque eu me achava o ser mais desprezivel do mundo.

Mas lendo a Biblia eu via aqueles casos de humilhação e suplica ao Senhor e a narração de que eles eram atendidos. Um dia me humilhei, supliquei ao Senhor que me desse forças para vencer a tentação e não me deixasse enveredar para o mundo, mas naquele dia a palavra foi muito dura e o "Senhor falava" que eu tinha que estabelecer um pacto com ele ali naquele momento e que se eu não fizesse isso o Senhor não me aceitaria nunca mais, como eu estava muito fraco fui sincero e em meu coração falei ao Senhor que naquelas condições eu não assumiria tal pacto, pois, não tinha condições de cumprir.

Embora eu não tivesse pecado e cedido ao mundo, sai delá achando que jamais o Senhor falaria comigo, e muito menos me aceitaria dentro da sua casa (conforme a palavra), mas foi quando o Senhor por misericórdia me fez entender que não trataria assim nem a um pecador, pois, lembrei-me do caso da adultera. Se não tratou assim uma adultera, trataria assim um jovem que embora fraco se manteve fiel até aquele momento??? Com certeza não!

O Senhor tocou no meu coração e me deu coragem de pela primeira vez congregar em outra denominação, e lá falou comigo grandemente e me deu forças para continuar a caminhada na jornada da fé, lá ele também me visitou, coisa que não acontecia a muito tempo.

Hoje eu continuo na CCB, em vez em quando congrego em outra denominação, e procuro pedir a guia de Deus sempre. Leio mais a Biblia, falo das coisas de Deus para os não crentes. Prego o evangelho e não uma religião.

Graças Deus não me entreguei ao mundo, e engraçado é que o Deus continua a falar comigo na CCB também, diferente do que foi pregado no dia em que eu entrei lá pedindo o socorro e a misericórdia do Senhor.

5 comentários:

Luís disse...

Excelente testemunho irmão mário, que Deus abençoe vce a sua família
Irmão Luis, Portugal

Anônimo disse...

a pas de deus irmao nao serve um deus falso eu so conhessa so um deus da ccb nunca vou deichar esse meu deus por homem nem um

Anônimo disse...

irmao, apadd,seja valente ate o fim, Deus vai esta sempre contigo, tenho congregado pouco mas estou segurando amao de Deus, esse mundo nao tem nada de prazeroso,avida eterna sim, vale apena, sofremos junto com Deus.

Anônimo disse...

Muitos fazem uma confusão danada e parece que têm prazer de falar mal das outras denominações.É bem verdade que existe muitas seitas problematicas por aí, mas também existe muita igreja que procura servir a Deus dentro das escrituras. O que acontece são divergências doutrinárias, mas Deus é um Pai de amor e fala com seus filhos onde ele estiver. Eu também, uma vez comecei a questionar alguns pontos na CCB e visitei outra denominação. Pelo fato de ser da CCB, fui recebido com muito amor e carinho e por incrível que pareça, Deus me ensinou através deles, amar mais os meus irmãos ccbenianos e me fez saber que minha vocação é servir a Deus na CCB mesmo. Só não falo abertamente para não escandalizar meus irmãos, mas não tenho nenhum receio em congregar numa igreja metodista, batista ou presbiterians, ou Assembléia de Deus. Só não me sentiria bem num igraja onde fazem do dízimo uma forma de ganhar e manipular o dinheiro e comércio. Ainda vejo que na CCB tem mais ordem, respeito para com Deus, etc...
Não que em outras igrejas não tenha, mas as vezes falta um pouco de disciplina por aí. Por isso a CCB é invencível nesso ponto. Só posso dizer uma coisa: Jesus Cristo é o caminho. Deus fala muito comigo na CCB e é nela que eu sinto mais a presença de Deus, Vai ai uma dica...

fabriciotiago2011 disse...

apdd meus amados irmao as veses me perco na multidao da misericordia de DEUS como e grande o amor entranhavel para com nosco. muito lindo o testemunho esta obra e movida pelo espirito santo c vc senti comunhoe em ir em outras igrejas DEUS q te abensoe. Eu nao sinto um dia DEUS me mandou ir num culto no meio da rua era onde muitas vezes no pasado eu pasava drugado e era traficante e tinha sofrido na mao do adiversario e o senhor me deu a palavra e na quela palavra DEUS falou q ia levandar uma grande bandeira naqle lugar para o seu nome seja glorificado. E Quando Deus falava um irmao pasou e ficol escandalisado rezumindo pasol dois meses DEUS fes a obra e hoje endia ten culto la. E o nome do senhor esta sendo glorificado. Mas foi so esta ves q DEUS me mando. Vo falar uma verdade se DEUS noa estise comigo tauves estaria sem liberdade. Mas numca mais DEUS me mandol la. Se DEUS me mandar vo MAS DE MIN MESMO NAO VOU. ......mel hotmail e fabriciotiago2011@hotmail.com

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação