quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Defender a vida

4 comentários
Ah, como o mundo seria melhor se os cristãos realmente cumprissem o mandamento de Jesus Cristo, o de amar ao próximo como a si mesmo. Talvez o mundo não tivesse tantos miseráveis, tanta violência, tanta hipocrisia e tantas outras coisas que jamais deveriam existir pelo simples fato dos cristãos manifestarem o amor, a caridade e a benevolência do nosso Deus.
Recentemente, o Brasil recebeu do Papa um pedido para que seja mantida no país a proibição ao aborto, também é o pedido das muitas confissões religiosas presentes em solo brasileiro, que pela primeira vez entoam harmoniosamente entre si mesmas, e também com o vaticano, um coro único. Como seria bom que as divergências ideológicas e doutrinárias tivessem sido deixadas de lado para que, juntas, as diversas denominações religiosas realmente lutassem em defesa da vida.
Respeitar a vida e amar o próximo como a nós mesmos é muito mais que adotar um discurso politicamente correto e/ou colar um adesivo no carro a os dizeres “SOU CONTRA O ABORTO”.
Respeitar a vida e amar o próximo como a si mesmo não é apenas alçar em favor da voz da vida que está para nascer; respeitar a vida também é:
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, quando vemos que um de nossos irmãos não tem um teto para morar, que o proteja do frio, da chuva e do sol abrasador;
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, quando vemos nossas crianças nas ruas mendigando por um pedaço de pão;
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, quando vemos nossos semelhantes revirando o lixo em busca de algo para comer;
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, pela situação dos muitos miseráveis do nosso Brasil, África e tantas outras nações do terceiro mundo (parece outro mundo);
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, quando uma de nossas crianças ou um cidadão de bem morre vitima de bala perdida;
Sofrermos e nos indignarmos, da mesma forma que na questão do aborto, quando um de nossos jovens e crianças, abandonados pelos governos e sociedade, sem perspectivas de uma vida melhor, são seduzidos pelas ilusões do mundo do crime.

Será que defender a vida é apenas ser contra o aborto??

Será que realmente amamos ao próximo como a nós mesmos e defendemos vida quando ignoramos o que se sucede diariamente com nossos semelhantes, ao nosso redor e também longe de nós?

Acho que como cristãos podemos e devemos fazer mais que isso, e isso é possível, basta amarmos o próximo como a nós mesmos.

4 comentários:

Dead_Violin disse...

Também sou terminantemente contra o aborto. Minha namorada ficou grávida, e eu perdi a liberdade na CCB, mas assumi ela, a criança, me casei, e hoje sou muito feliz com minha família, sou muito abençoado por Deus.

Agradeço a Deus por ter me dado forças e ser um homem forte e honesto, porque tenho ouvido boatos de irmãs que abortam apenas para manter a liberdade na igreja, e continuar tocando seu orgão...

Eu estou feliz porque, apesar do meu erro, supliquei a misericórdia e busquei me recuperar, corrigindo meu erro. Levantei a cabeça e hoje tenho a consciência limpa.

Cristão CCB disse...

Amado Dead_Violin a paz de Deus!

Todo aquele que se diz cristão deve ser posicionar contra o borto.

Fiquei feliz pelo seu breve testemunho,pois, existem muitos irmãos(ãs) que passam por esta situação, e as vezes por causa da pouca idade e/ou da ignorância existente no meio da irmandade, tomam medidas desesperadas para "por fim ao seu problema".
Um dia algum(a) jovem desesperado(a), diante desta mesma situação, podem contemplar seu testemunho, e se sentirão encorajados para enfrentar a situação, e o Senhor também abençoará seus lares.

Todos estamos sujeitos ao erro, e temos que saber que errar é humano, que perdoar é divino, e que havendo arrependimento o Senhor sempre estará de braços abertos para nos acolher.
Tenha certeza que é maior a alegria no céu por 1 pecador que se arrepende, mais que por 99 justos que não necessitam de arrependimento (Lucas 15:7).

Que Deus continue abençoando a você e sua familia.

Um abraço!

Ariana disse...

Sobre amor, o que a gente acostuma a ver são pessoas da CCB que só ajudam pessoas que são da CCB, foram isso "é um pecador que ta pagando o que fez, por isso ta sofrendo".
Fiz uma amiga pela internet que é mãe solteira de duas meninas de pais diferentes. Fiquei mto amiga quase irmã dela, e todo mundo me atirou pedras, falando que eu tava me misturando com uma perdida.
Aconteceu que fui visitá-la na cidade dela, todos me falaram que eu tava perdendo meu tempo, e meu marido não se opôs, mas tbem não apoiou.
Levei-a pro culto, e Deus falou que todos a julgam, mas SÓ DEUS PODE JULGAR ALGUÉM.
E assim Deus confirmou que devemos amar qualquer tipo de pessoa, e exaltou minha cabeça.

Anônimo disse...

Dead_Violin , ouça isso, em 2009 saiu uma determinação para o
ministério que o irmão tem o direito de pedir ao ministério
a reconsideração do seu caso e de sua esposa , obtendo novamente
a sua liberdade, se estão mesmo firmes acho que é hora
de tirar o Dead e colocar Life_Violin.
Glória a Deus irmão, acho que você e sua esposa já sentiram o peso
do erro que cometeram e tem o direito de pedir a reconsideração do
seu caso. Deus abençõe.

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores

Divulgação