domingo, 15 de fevereiro de 2009

Cálice único na Santa Ceia - Estudo de um ccbeiano

55 comentários
Há algum tempo a questão do cálice único na Santa Ceia tem alimentado discussões entre pessoas pró e contra a utilização do cálice único durante o sacramento.


Essa discussão torna-se mais problemática e calorosa quando o assunto é discutido entre membros de diferentes denominações, visto que cada denominação faz como bem entende.
.
Antes de mais nada, é importante compreendermos o real significado da Santa Ceia, assim entenderemos que qualquer forma de distribuição do pão e do vinho desde que seja executada de forma respeitosa, é valida.
.
A Santa Ceia é um sacramento instituído por Jesus Cristo na noite em que Ele e os apóstolos observavam a Páscoa judaica (Lucas 22:19), festa a qual Jesus atribuiu novo significado. 
.
A Ceia do Senhor firmou uma Nova Aliança entre Deus e os homens (Lucas 22:20) e é algo que fazemos em memória de  Cristo por determinação do próprio Jesus, neste santo serviço come-se um alimento material que simboliza o corpo e toma-se uma bebida material que simboliza o sangue de Jesus Cristo, que verteu na cruz do Calvário para perdão dos pecados de toda a humanidade. 
.
Portanto, os símbolos do CORPO e SANGUE de Cristo estão contidos nos alimentos (pão e vinho) e não no cálice ou bandeja que são usados para servi-los como alguns defendem. 
.
Apesar das recomendações sanitárias, alguns cristãos preferem manter a tradição do Cálice Único porque atribuem a ele simbolismo,  tem quem afirme que o cálice representa a unidade do corpo de Cristo – a Igreja - e porque o próprio Jesus Cristo pode ter utilizado um único cálice na Ceia, já outros citam Lucas 22:17 e interpretam que o fato de Jesus recomendar que os apóstolos repartissem o conteúdo do cálice entre eles dá a entender que orava-se sobre um único cálice que depois era repartido em vários cálices.
..
A Santa Ceia é um sacramento instituído por Jesus, mas sua administração envolve formas e aspectos exteriores que são definidos pela tradição ou instituição humana, exemplos:
.
- Tipo de pão: branco, preto, azimo;
.
- Forma do pão: inteiro, pedaços, hóstia;
.
- Tipo de bebida: suco de uva, vinho tinto/ rose, suave/seco;
.
- Forma de distribuição: cálice único ou individual;
.
- Recepção: ajoelhados ou em pé;
.
- Freqüência: diário, semanal, mensal ou anual.
.
Qualquer denominação cristã é livre para se decidir sobre a forma de realização de sua Santa Ceia, tem plena liberdade cristã e também  liberdade legal (Artigo 5º da Constituição Federal) e podem ou não  considerar os risco de transmissão de doenças infecto-contagiosas que podem ser disseminadas pelo uso do cálice único. 
.
Da mesma forma os fiéis também podem manifestar-se sobre o assunto em sua liberdade cristã e liberdade legal, que é assegurada pelo mesmo Art. 5º da constituição federal, que assegura a liberdade de consciência e expressão.

.
Objetivo do estudo

Apresentar informações sobre os aspectos envolvidos no compartilhamento do cálice em uma santa ceia, apresentar informações que podem ser úteis às denominações que fazem a reflexão sobre a substituição do cálice único pelo cálice individual.


Importante
Devido o compromisso com a verdade e imparcialidade serão apresentadas informações científicas que contradizem alguns mitos existentes a cerca do assunto, o que certamente poderá conflitar com as crenças de alguns leitores. 


O objetivo do estudo não é criticar denominação “A” ou “B”, muito menos pregar superioridade religiosa de instituições e suas respectivas liturgias, como já explicitado acima a Constituição Federal em seu artigo 5° assegura o direito as diferenças, ou seja, as instituições não são melhores e nem piores por fazer assim ou assado, apenas são diferentes, pois, gozam do seu direito e liberdade de serem diferentes.


Afinal pode o cálice único transmitir doenças???
A forma de como é efetuada a distribuição do pão e do vinho durante uma Santa Ceia foi instituída pelos primeiros crentes, não cabe a ciência dizer se a liturgia está certa ou errada do ponto de vista litúrgico  porém, com os avanços do conhecimento científico, principalmente da microbiologia, é possível dar um parecer sobre infecções que podem ser adquiridas através da via oral pelo compartilhamento do mesmo cálice entre os fiéis de uma mesma congregação. 

Pasteur foi um cientista francês que contribuiu enormemente com pesquisas nas áreas da química e medicina, principalmente, quanto ao estudo dos micro-organismos  tanto é que um dos mais importantes processos industriais de assepsia/esterilização deriva de seu próprio nome: Pasteurização – um processo que na época foi desenvolvido sob encomenda para produtores de vinho, cerveja e leite que sofriam com a deterioração de seus produtos por causa da ação de microorganismos invisíveis. O processo de pasteurização do leite consiste em aquecer o leite a temperatura de 62ºC durante 30 minutos, e tem por objetivo eliminar os micro-organismos patogênicos (que causam doenças), deixando vivos apenas os micro-organismos que não causam danos a saúde humana. Existem inúmeros processos de eliminação de micro-organismos  porém, não cabe listar todos aqui, pois, tornará o texto cansativo.  


É importante lembrar que em 1885, a descoberta da relação entre micro-organismos e doenças permitiu que fossem desenvolvidas técnicas de assepsia de materiais cirúrgicos, com isso, reduziu-se significativamente o numero de mortos por conta de infecções contraídas nos hospitais e/ou atendimento médico domiciliar com instrumentos contaminados por micro-organismos.

Os religiosos das denominações que adotam cálice único alegam tomar alguns cuidados para que não haja contagio de doenças pelo compartilhamento do cálice durante a Santa Ceia. Não seria honesto de minha parte deixar de informar ao leitor deste artigo que no mundo todo, nos milhares de livros que registram os estudos sobre métodos de assepsia/esterilização e também estudos sobre prevenção de doenças contagiosas não há menções aos métodos adotados pelos religiosos para diminuir os riscos de se contrair doenças pelo compartilhamento do cálice. 


Vejamos alguns métodos comumente adotados pela maior parte das denominações cristãs que adotam o cálice único na santa ceia. São eles:
.
1) A limpeza do cálice com um pano: o simples esfregar de pano não é suficiente para eliminar micro-organismos presentes no cálice. O pano quando friccionado de um lado para o outro acaba contribuindo para que haja o espalhamento e mistura da saliva dos participantes, portanto, com uma área de contato maior, maior é a probabilidade de se ter contato com a saliva de terceiros. A ineficiência deste método pode ser comprovada por uma experiência simples, quando for tomar uma injeção antes dela ser aplicada peça ao enfermeiro que limpe a agulha com um pano, aplique a injeção e aguarde para ver o que acontece (fui irônico, jamais faça isso, pode haver sérias complicações).
.
2) O álcool presente no vinho mata os micróbios causadores de doenças: a concentração de álcool presente no vinho não é suficiente para eliminar micro-organismos, isso é facilmente comprovado observando que o vinho em contato com o ar azeda (vira vinagre), isso só acontece porque o teor alcoólico não é suficiente para matar micro-organismos que acaba convertendo o vinho em vinagre (ácido acético). O álcool só tem poder desinfetante na concentração de 70%, a concentração de álcool presente no vinho vária entre 17 e 21%, portanto a concentração alcoólica do vinho é cerca de três a quatro vezes menor que a necessária para eliminar micro-organismos, inclusive, aqueles que causam doenças.
.
3) O cálice ser de prata: cientificamente não há nada que comprove o poder asséptico da prata, tanto é que os instrumentos dos dentistas, que são confeccionados em prata e mesmo assim necessitam serem esterilizados antes do uso. A esterilização desses materiais se dá em condições mais rigorosas que a pasteurização (62º C/ 30 min.), de acordo com o instrumento a ser esterilizado a temperatura fica entre 121ºC e 134ºC sob alta pressão.
.
4) A saliva mata os germes: a saliva não mata os germes, se esta afirmação fosse verdadeira não haveria ocorrência de cárie, gengivite e outras doenças bucais.

5) O vinho seco é uma determinação sanitária: conforme vimos no item 2 a concentração alcoólica dos vinhos varia em torno de 17 a 21%, portanto, nenhum dos tipos de vinho comercializados no mundo possuem o poder de eliminar micro-organismos causadores de doenças.


O que diz a Anvisa?
A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda que as denominações cristãs utilizem cálice individual, porém, em respeito ao artigo 5° da constituição federal brasileira, no tocante ao direito e proteção ao culto e liturgia o órgão não intervém na pratica do compartilhamento do cálice adotado por algumas denominações religiosas. Porém, se houver uma denuncia formal ao Ministério Público, onde haja alegação de que doenças foram contraídas em evento religioso pelo compartilhamento do cálice, o juiz/Anvisa podem determinar a obrigatoriedade da adoção do cálice individual, pois, o direito ao culto não sobrepõe o direito a vida, e o compartilhamento do cálice é reconhecidamente pela ciência e órgãos sanitários como uma situação de alto risco e uma pratica abaixo dos padrões sanitários. 


Esse tipo de decisão judicial (similaridade de jurisprudência) é bastante freqüente no caso das Testemunhas de Jeová que se recusam a autorizar a transfusão de sangue durante um tratamento médico, ou seja, o Estado legisla e determina que a o direito a religião não é superior ao direito a vida.


Quais doenças posso pegar compartilhando o cálice?
É enorme a lista com todas as doenças que podem ser contraídas em uma Santa Ceia onde o cálice é compartilhado por todos os membros, uma porque existe infinito numero de micro-organismos já catalogados pelo homem, e outra porque existe uma infinita quantidade que ainda são desconhecidos. Vamos apresentar as enfermidades mais comuns, ou seja, as que mais se manifestam, e que com certeza você leitor já teve ou ouviu falar de alguém que teve algumas dessas enfermidades, são elas: Amigdalite, pneumonia, faringite, bronquite, escarlatina, febre reumática, meningite, tuberculose, hanseníase, endocardite, gripe, hepatite viral, caxumba, sarampo, rubéola, herpes labial, micoses, sífilis, chagas, entre outras.
.
É importante lembrar que uma doença só é transmitida para outra pessoa caso a pessoa contagiada seja suscetível a doença, e que algumas enfermidades podem não apresentar sintomas.
.
Algumas denominações no inicio da Santa Ceia pedem aos que os que são portadores de doenças infecto contagiosas sejam os últimos a tomá-la, mas, existem doenças que não apresentam sintomas e, por isso, muitos nem sabem que são portadores de enfermidades contagiosas, outros podem ter vergonha de assumir publicamente que é portador de uma doença infecto contagiosa. 


Para pensar: E quando houver mais que um membro portador de doença infecto-contagiosa, como a instituição procederá???


Conclusão como cristão
A Santa Ceia é um sacramento instituído e recomendado por Jesus Cristo, a substituição do cálice compartilhado por cálices individuais necessita de reflexão do ministério, pois, não envolve somente os símbolos de um evento religioso, mas a crença de todo o rebanho em um conceito já difundido e aceito. 
Ao cálice confere-se grande valor simbólico numa Santa Ceia, mas ele é algo totalmente secundário e biblicamente a ele não é atribuído  nenhum significado, os únicos símbolos da Santa Ceia são o pão e o vinho, representando respectivamente o corpo e o sangue de Cristo, por isso, entendo que a adoção de cálice individual em substituição do cálice único não provoca prejuízos espirituais a quem dele se usar, não acarreta prejuízos aos símbolos da Santa Ceia, não fere a doutrina bíblica  e não representa ameaça a unidade da igreja. Para mim, este último argumento em minha opinião nem pode ser usado, uma vez que, membros de diferentes denominações muitas vezes nem se consideram como irmãos, o corpo de Cristo é um só, negar o “parentesco” por pertencer a denominações diferentes é como se já partíssemos o corpo de Jesus Cristo, é desprezar a unidade da Igreja de Cristo – que não é composta de paredes, mas dos crentes em Cristo Jesus. 
O uso do cálice único não é superior ao uso de cálice individual e vice-versa, o importante é que o cristão que se achegue a mesa da santa ceia esteja consciente de que é um momento especial de comunhão intima com para com Deus e também os irmãos que comungam os mesmos valores e crenças.
Deus é poderoso para nos guardar de todo mal, mas aquilo que está ao nosso alcance é nossa obrigação fazer, Jesus quando tentado pelo diabo podia lançar-se do alto do pináculo na certeza de ser segurado pelos anjos, mas não tentou a Deus.


....
Conclusão como químico
O risco de contrair doenças pelo compartilhamento do cálice é real, e certamente acontece, porém, algumas doenças são consideradas tão simples, que geralmente os infectados não a correlacionam com a Santa Ceia, porém, existem doenças mais complexas, que se não forem diagnosticadas precocemente podem evoluir, causar sequelas e até mesmo levar ao óbito. 
Conhecer todos os riscos e ignorá-los é uma atitude irresponsável, de nada adianta os governos adotarem programas que visem a eliminação dos riscos a doenças, se instituições/cidadãos conscientes voluntariamente se expõem as praticas sanitárias abaixo do padrão que lhes oferecem riscos.
Existe uma forma de manter o uso do cálice único na santa ceia de forma que represente menos riscos para os fiéis, basta que os membros da instituição em questão não tenham contato com o cálice, ou seja, um pedaço de pão deve ser embebido no vinho pelo ministro e então de ser entregue ao fiel, deste modo não há contato com a saliva alheia e o fiel recebe o pão e o vinho (servido no mesmo cálice), ainda assim, não é a situação ideal, pois, o contato do ministro com o pão e o vinho servido é inevitável e se o ministro estiver enfermo e não higienizar corretamente as mãos, pode transmitir doenças aos demais. A situação ideal seria se ao invés do cálice compartilhado fosse adotado cálices individuais.
É importante salientar que na época de Jesus a santa ceia era realizada com um numero reduzido de pessoas, Jesus apesar de ser seguido por uma grande multidão tinha somente 12 apóstolos, e provavelmente se assentava a mesa somente como os 12 e as pessoas mais próximas que sempre o acompanhava, hoje dependendo da igreja este evento pode ter mais que 1000 pessoas ou mais compartilhando o mesmo cálice, por isso, o risco é muito maior e realmente demanda dos religiosos uma profunda reflexão sobre a substituição do cálice único ou formas de diminuírem-se os riscos caso optem pela manutenção do cálice.
Em tempos de gripe suína, com o governo massivamente recomendando que não haja compartilhamento de utensílios como copos e talheres, o mínimo que se espera de um ministério responsável, que não quer abrir mão das tradições, é que suspendam temporariamente a realização da santa ceia nas regiões onde houvesse contagiados com tal enfermidade.
.

Informações sobre o autor
Este estudo foi elaborado pelo autor deste blog, um servo de Jesus Cristo, membro da Congregação Cristã no Brasil, um profissional da área química, reconhecido pelo Conselho Federal de Química (habilitado pelo Conselho Regional de Química da 4ª Região).
.
Referencias bibliográficas / Saiba mais
.

55 comentários:

Cristão CCB disse...

A paz de Deus irmão!

Ao irmão que fez o comentário sobre este artigo, foi um bom comentário mas peço, por favor, que refaça o comentário, porém, sem citar nomes de terceiros. Eu até aceito discutir idéias, mas não pessoas.

Deus abençoe!

Anônimo disse...

APDD!!!!EH UM PONTO MUITO INTERESSANTE,MAS MUITO POLEMICO. E VOCE TEM RAZAO,O RISCO DE CONTAGIO EXISTE. DEUS DARA LUZ AOS SEUS SERVOS NESTA PARTE.

Anônimo disse...

Devemos nos atentar e refletir sobre esse assunto, que luz tem esse moço !!!!!!!!

Cristão CCB disse...

Sabe, quando fiz o estudo apenas quis apresentar informações que ao menos servissem de reflexão. Mas por causa do presente artigo, tem gente que me classifica de filhote de R.A., pra ser sincero, não concordo muito com a maneira com que ele quer impor seus conceitos.

Se eu fosse reformista teria levado a discussão para dentro da igreja, coisa que não fiz, nem sequer citei o nome instituição alguma para que não seja usado por pessoas de má fé queapenas querem dnigrir nossa igreja.

Mas, esses dias quando cooperador de jovens explicava sobre a santa ceia para as crianças, fiquei quietinho até que ele pediu minha confirmação como quimico na questão do alcool ser eficiente como microbicida, não criei tumulto, apenas balancei cabeça dizendo que não, ele ficou surpreso eme questionou porque não, só então eu disse que a informação não procedia, que a Anvisa recomenda cálice individual, e que o vinho tem 3 vezes menos alcool do que deveia ter para garantir que não haveria risco de contagio de doenças infectos contagiosas. Até encaminhei este estudo para ele, e espero que ele tenha motrado para o pai dele, que é ancião. As vezes as pessoas acham que sou corajoso por demonstrar meu ponto de vista, mas, penso que se estamos dentro da casa de Deus e devemos temer em falar a verdade, melhor é não irmos na igreja.

Deus abençoe!

Anônimo disse...

NÓS DEVEMOS É SOLICITAR QUE A ANVISA TOME PROVIDENCIAS CABIVEIS SOBRE ISSO , POIS SE FORMOS ESPERAR PELOS "EFICIENTES" ANCIÕES DA CCB TUDO VAI FICAR NA MESMA. E O PERIGO DE CONTAMINAÇÃO POR DOENÇAS NEM SE FALA. JÁ PASSOU DA HORA DE NA SANTA CEIA TERMOS CALICES INDIVIDUAIS OU COPINHOS DESCARTAVEIS. É MAIS SEGURO. PESSOAL ENTREM NO SITE DA ANVISA, FALE CONOSCO,OUVIDORIA, E VAMOS PRESSIONAR ESSE PESSOAL. QUEM SABE ISSO DÁ CERTO? TOMARA! APDD!

Cristão CCB disse...

Apenas um esclarecimento, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) edita as leis/recomendações sanitárias que devem ser adotadas no Brasil, porém, a fiscalização e o atendimento a dúvidas/denuncias é atribuição do orgão de Vigilância Sanitária de cada municpio.

Os contatos feitos através do site da Anvisa serão respondidos com resposta padrão solicitando que seja feito o contato com a vigilância sanitária municpal.

Qualquer cidadão pode protocolar um pedido de avaliação da situação.

Deus abençõe!

Anônimo disse...

interresante...dai a cesar o que é de cesar e a DEUS o que é de DEUS podemos sim confirmar nosso amor ao SENHOR JESUS e nao infligir nenhuma lei.

Anônimo disse...

Estou realmente preocupada com a gripe suína, ainda não entendi a resistência em mudar algo tão simples.

Cristão CCB disse...

Nem eu entendo isso, até respeito que não queiram mudar, mas então como medida preventiva deveriam suspender temporariamente as santas ceias, aguardar o verão quando a pandemia tende a regredir.

Acho que quando eles dizem que somos um povo separado por Deus eles estão afirmando que somos uma igreja espiritualmente e geograficamente separada do mundo, ou seja, nem a gripe suina nos atinge.

Anônimo disse...

APDD

os ancioes esqueçem se numa santa ceia infectar todo mundo o escandalo que vai dar na tv , internet ,jornais etc !
vamos pensar pois sera que DEUS nosso pai vai nos penalizar por nao tomar a ceia em um calice só ?

Anônimo disse...

parabéns ao autor do artigo. Não sou membro da CCB,mas na minha igreja usamos cálice único, o que não concordo pois sempre considerei anti-higiênico, mas é preciso que nos unamos e solicitemos aos responsáveis pelos órgãos de fiscalização que tomem alguma providência, pois afinal de contas todos corremos o risco de contrairmos doenças.Cada um de nós, em sua respectiva cidade deve tomar as devidas providências, pois se formos esperar pelos líderes denominacinais, eles não vão aceitar opiniões dos membros, ao menos que as autoridades os obriguem a acatar as ordens.

Anônimo disse...

Fiquei realmente aliviada com o que li. Pois na minha opiniao, concordo em genero, numero e grau com todas essas avaliações. Sempre achei uma grande falta de higiene a Santa Ceia ser realizada com um so calice. Mas como Deus é poderoso em tudo , vamo orar a Deus para que o Senhor possa revelar para o MINISTERIO CENTRAL DO BRAS, que devemos ser concientes e responsaveis e nos prevenir das doenças causadas que assolam o mundo.

Anônimo disse...

NÃO ENTENDO, QUE REVELAÇÃO NADA GENTE SERA QUE NÃO TEM NENHUM DO MINISTÉRIO MEDICO,JUIZ,ADVOGADO,INTELIGENTE QUE POSSA ENCHERGAR ISTO GENTE ,TANTA COISA QUE QUEREM IMPOR E DIZEM QUE SOMOS UM POVO SABIO ,VAMOS ACORDAR........................

Anônimo disse...

Prefiro nao comentar!!!

weverton disse...

risco de adquirir doenças?cristo nosso senhor em sua epoca fez tantos milagres...agora hoje por causa do medinho de pegar uma doença vc vai ficar fazendo cerimonia pra tomar a santa ceia,quero ver um crenti desses nos dias de luta de perseguiçao q ainda naum vieram...posso estar sendo radical mas isso ai ficou parecendo um cientista querendo explicar a biblia desculpe ai mas faltou crença nas suas conclusoes,acho q Deus criou o homen,o diabo,a ciencia da qual vc e formado ate as doenças,se vc naum morrer contaminado pelo calice vc vai morrer d qualquer forma nunca se esqueça disto

Regina Farias disse...

No meio de tanta gente lúcida tinha que ter um maluco pra relativizar tudo. Isso de ser irresponsável com a "justificativa" de que vai morrer mesmo é, no mínimo, doentio.
Também não se pode ser hipócrita e querer solução satisfatória só temendo infectar pessoas e chegar ao conhecimento público.
Quer dizer que se for encoberto pode matar à vontade?
Vamos aproveitar pra refletir sobre nossos conceitos, né?
No mais, parabéns pelo questionamento sério de membros da ccb. Não faço parte dela mas tenho muitos familiares e amigos na mesma.
Enfim, espero sinceramente que cheguem a uma decisão séria, responsável, e acima de tudo higiênica, que não ponha em risco a saúde das pessoas.

Anônimo disse...

gostária de dar minha opinião, qdo me batizei e antes, já havia visto como era a Santa ceia, falei pra Deus que queria participar mas na minha comum mesmo, pq era pequena e sendo assim menas pessoas para botarem a boca no mesmo calice, pq eu tinha nojo. E passou o tempo qdo foi pra eu participar o Senhor me colocou uma prova muito dura da qual eu nem imaginava o pq, uma semana antes da Santa Ceia, pois ele me deixou numa condição que não dá para explicar eu só sei que a hora que fui almoçar no sabado eu provada por Deus, toda a imundicia que se pode oferecer a ser humano comer me passou pela cabeça e me dava enjôo e o Senhor me disse que tudo que eu estava vendo era nojento e não tomar o vinho no mesmo calice com os irmãos o SEnhor me repreendeu grandemente e tudo eu peço pro Senhor me ensinar pois meus conselhos vem Dele, e não esqueçamos que o Senhor é maior que qualquer coisa, Deus seja louvado

Anônimo disse...

Interessante, o assunto debatido, mas se formos nos preocuparmos em risco de contamin ação, naos deveriamos pegar nas maos das pessoas, nas portas dos hospitais sem luvas, entrar em hospitais ou cemiterios sem luvas, botas, e mascaras, enfim. Deveriamos ficar confinados e superprotejidos, com filtros de ar para respiramos devidos as doenças infecto-contagiosas, enfim...Mas é interessante o assunto debatido. Mas a sugestao final do irmao que o "pão deve ser embebido no vinho pelo ministro e então de ser entregue ao fiel" estragou todo o comentario, Jesus fez isso para com Judas, um sinal de que era o traidor. Isso pegaria muito mal.

Cristão CCB disse...

É veridica a informação de que estamos expostos a toda sorte de imundice, e que para evitar estas situações teríamos que nos proteger. Fato é que a exposição aos contaminantes existe, lógico que algumas pessoas são suscetiveis uma enfermidade e outros oferecem resistência, não podemos esperar da sorte, se temos ciencia dos riscos e podemos evitar, porque não fazer? Porque manter esta espécie de roleta russa, onde quem será prejudicado é aquele irmão(ã) que tem a saude debilitada.

Quanto ao o "embeber o pão", é apenas uma sugestão de maneiras diferentes de fazer a mesma coisa, bom mesmo seria se o calice não fosse compartilhado.

Fique na paz de Deus!!!!

Regina Farias disse...

Em relação ao comentário do anônimo eu queria enfatizar que quando estamos por aí expostos a toda sorte de contaminação, devemos ter cuidado sim com a nossa saúde, começando por lavar as mãos com frequências pois elas são o maior veículo de contaminação do corpo.
Indo ao banheiro, lave as mãos, chegou em casa, lave as mãos, está em hospital, lave lá mesmo as mãos ao entrar e sair. E por aí vai.
É uma questão de educação e conscientização PESSOAL em questões higiênicas que leva ao cuidado com o próprio corpo, a própria saúde e respeito e responsabilidade também com a saúde do outro.
Ser extremista neurótico com a higienização pessoal e/ou com as práticas religiosas é que faz mal.
O que Deus condena, é ser rigoroso com certos COSTUMES em detrimento do amor ao próximo. E esses cuidados denotam um cuidado, zelo, e portanto profundo amor pelo próximo.
Vamos fazer um culto racional a Deus e repudiar as visões e revelações obscuras e contraditórias que nada dizem acerca de um relacionamento salutar.
E olha, com todo respeito e carinho, isso de "pegar mal" é coisa de quem está ligado em exterioridades.
E na paz de Deus, só com a verdade. Senão, é alienação pura.

Anônimo disse...

Achei um belo comentário, e o autor está com plena razão, as diferentes denominações estão mais preocupadas em serem diferentes e não a seguirem o mesmo Senhor, se a CCB estivesse realmente interessada em manter as tradições, não permitiria a entrada dos avanços tecnológicos em seus templos, e nem na vida de seus membros, temos que viver em nossa época, sempre com o mesmo espírito de adoração a Deus e não sendo hipocrita a ponto de achar que não procurarei ajuda médica se estiver doente, pois sirvo a Deus e Ele tem a obrigação de me curar ou me proteger, se pensarmos assim estamos indo contra a Bíblia, pois Deus nos deu o livre arbitrío para escolhermos o que é melhor. Sou membro da AD e em nossos templos a maioria já se convenceram da necessidade de usar cálice individual e não mudou em nada a liturgia da santa ceia, e nem se tornou menos significativos o ritual da ceia, pois tudo está em nosso coração, de que adianta usar cálice coletivo e muitos irmãos se odiando, casais em pleno combate, familias desestruturadas pelo ódio? Pois bem, parabéns pela iniciativa e continuem a cobrar mudanças e principalmente entregue a causa ao Senhor.

Anônimo disse...

Lucas
Capítulo 24,38
Mas ele lhes disse: Por que estais perturbados? E por que sobem dúvidas ao vosso coração?
Muito bom o comentário da amiga membro da AD
concordo plenamente com você...temos que viver em nossa época, sempre com o mesmo espírito de adoração a Deus e não sendo hipócritas, somos todos seres inteligentes pois o fato de usar cálice individual não vai nos afastar da presença do Senhor altíssimo desde que se faça em memória dEle pois tudo está em nosso coração, de que adianta usar cálice coletivo e muitos irmãos se odiando, casais em pleno combate, familias desestruturadas pelo ódio?
o que mais satanas tem feito em nosso meio é colocar esses tipos de duvidas
João
Capítulo 10,10
O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.
Romanos
Capítulo 14,23
Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado.
"
Que Deus os abençoe grandemente...

Leandro disse...

ApdD, só vale lembrar que onde está presente o DEUS verdadeiro ele jamais se deixará escarnecer, pois ele mesmo é o Criador dos virús, bactérias e qualquer tipo infecto-contagioso. Por isso mesmo que nunca haverá problemas onde se manifestar o DEUS Todo Poderoso.

Cristão CCB disse...

Amém!

Acredito que aquilo que está ao nosso alcance nós temos a obrigação de fazer, por exemplo, Deus pode revelar te todas as respostas de durante uma prova de concurso/vestibular, mas Ele revela??? resposta: não revela porque você tem a opção de estudar.

Há um tempo diziam que os cristãos tem que se submeter as autoridades/leis, o governo solicitando que não se compartilhe copos, talheres e etc, é correto uma denominação não atender tal recomendação alegando a fé?? O direito a fé é superior ao direito a vida/saúde yambém previsto na Constituição Federal????

Acho que não, por jurisprudencia, podemos tomar como exemplo os Testemunhas de Jeová quando se recusam a aceitar transfusão de sangue e a justiça interfere dizendo que o direito a crença não é superior ao direito à vida.

Fiquem na paz de Deus!

Anônimo disse...

Pessima postagem, a opinião dum infectologista, talvez um biologo ou outro mais afim esclarece que quase toda postagem é de opinião pessoal, a RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004 Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação, nela encontramos a parte legal da legislação federal sobre a manipulação de alimentos.

Outra questão questionavel desta postagem é o uso de vinho alcoolico na Santa ceia, isto é totalmente contrario as escrituras, muitas igrejas seguem normativas de higienização e sanitização que evitam ou reduzem consideravelmente o risco, uma delas é o uso de maior quantidade de calices para grupos menores, outra questão a ser pensada.

ministerioluzdedeus@hotmail.com

Cristão CCB disse...

Minha postagem baseia em afirmações técnicas, as fontes estão disponibilizadas no mesmo texto e podem ser consultadas.

Já a sua opinião é meramente pessoal e sem base técnica, já se perguntou porque o Ministério da Saúde como medidad preventiva a "gripe suina" recomenda que não se compartilhe utensilios como copos e talheres???

Quanto as "Boas Praticas do Serviço de Alimentação", orienta que os utensilios empregados no serviço de alimentação devem estar disponiveis em quantidade suficiente, isto significa que além daqueles que estão sendo utilizados o prestador de serviços deve ter utensilios reservas justamente para proporcionar a correta higienização e menor propenção a contaminação, convenhamos que isso não acontece quando se compartilha o mesmo cálice.

Cuidado, se você contratar um infectologista sério para avaliar a situação sanitária do compartilhamento do calice na santa ceia, em tempos de gripe suina, ele pode denunciar a denominação ao Ministério da Saúde.

Muito bonito fazer a chamada a RDC 216 e não abordar o seu conteúdo. Saiba que disseminar informações inveridicas e que podem colocar em risco a saude da coletividade é crime, passível de punição prevista no código penal brasileiro , para mais informações visite o site do Ministério da Saúde, que inclusive solicita que o orgão sejam informado sobre quem dissemina correntes contendo informações duvidosas e mentirosas.

Anônimo disse...

Basta ler a rdc 216 e entende-la, é preciso de extrema ignorancia pra dizer que alguem ira contrair a gripe suína pelo calice e esquecer que basta a presença da pessoa para que a doença possa ser transmitida, seja num simples aperto de mão, no ar, no pão que é partido por alguem supostamente contaminado ou pelo contato de quem entrega o calice se estiver contaminado. O Ministerio Luz de Deus já se deu ao trabalho de consultar especialistas no assunto e não fica por ai divulgando opiniões pessoais, é impossivel que alguem denuncie uma igreja por isto, uma vez que nas mais diversas questões, quanto a religiosidade nossas leis deixam prevalecer a liberdade, devemos nos prevenir sim, mas não com colocações absurdas, pois a gripe e muitas outras doenças contagiosas podem ser transmitidas pela osculo, pelo aperto de mão, pelo contato, etc. Enxergar o calice e fechar os olhos para as demais coisas e deixar bem claro que o intuito não é prevenir o mal e sim impor por meio de argumentos uma opinião pessoal ou de um pequeno grupo contrario a uma pratica!

ministerioluzdedeus@hotmail.com

Cristão CCB disse...

Caro irmão, sua conduta é criminosa, primeiro pelo anonimato, depois por atentar contra a saúde publica e ignorando as recomendações do próprio Ministério da Saúde.

Cabe esclarecer que a RDC 216 é uma norma destinada a estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços da área de alimentação. Não regula eventos especificos como a santa ceia, lógico que podemos considerar que os cuidados aplicáveis a estes estabelcimentos pode ser aplicado também a santa ceia, principalmente porque eles falam em desinfecção e assepsia. Acontece que a desinfeção e assepsia não acontece numa santa ceia onde o calice é compartilhado.

Comentando o comentário do Ministério Luz de Deus (acima):

"é preciso de extrema ignorancia pra dizer que alguem ira contrair a gripe suína pelo calice e esquecer que basta a presença da pessoa para que a doença possa ser transmitida, seja num simples aperto de mão, no ar, no pão que é partido por alguem supostamente contaminado ou pelo contato de quem entrega o calice se estiver contaminado."

Pergunte ao seus "especialistas" o porque o Ministério da Saúde está recomendando que a população não compartilhe utensílios como: garfos, facas, COPOS, etc.

A gripe suina pode ser transmitida pelo contato físico com o infectado, através do ar, da saliva e também pelo compartilhamento de utensílios, tal como o cálice compartilhado na santa ceia, neste caso o contagio pode acontecer por dois motivos:

1) A pessoa que está serve está contaminada e tem contato com a área do recepiente que o fiel tem contato;

2)Fiéis que participam da santa ceia contraem de de outros fiéis através da saliva residual.

Claro que é necessário nos previnirmos no contato também, se isso não é iniciativa dos líderes da igreja, podemos nós individualmente fazê-lo.

Caro irmão do Ministério Luz de Deus, a legislação brasileira em seu artigo 5º garante a sua liberdade ao culto e crença, façam a santa ceia como achar que convém, porém, disseminar informações inverídicas e que desabonam as politicas publicas de saúde e colocam em risco a saúde da coletividade é crime e o senhor pode ser processado e até preso por isso.

Aproveite e leia o estudo da Igreja Anglicana constante no seguinte link:

http://cristaoccb.blogspot.com/2009/06/estudo-da-igreja-anglicana-sobre-o.html

E terá acesso a um estudo sério e imparcial sobre o assunto.

Favor me disponibilizar as credenciais dos profissionais que prestaram a consultoria ao Ministério Luz de Deus, eu mesmo os abro denuncia contra eles por ferirem o "Código de Conduta Profissional" por má conduta e omissão (falta do devido esclarecimento de leigos quando consultados sobre assuntos de sua competência).

Fique com Deus!

MARCOS disse...

LENDO O TEXTO, É FACIL PERCEBER QUE O INTUITO DO MESMO NÃO A PREOCUPAÇÃO COM A SAUDE DAS PESSOAS, MAS SIM CONSEGUIR DADOS CONTRARIOS A PRATICA RELIGIOSA, O AUTOR DA POSTAGEM NA ANSIA DE CONVENCER AOS DEMAIS DE SUA POSIÇÃO REALMENTE COMETE CERTAS OMISSÕES. A RDC 216 OFERECE PRATICAS QUE SERIAM PLAUSIVEIS, PARA SE EVITAR CONTAMINAÇÕES DIVERSAS, MUITAS DESTAS RECOMENDAÇÕES SAO DE BOM USO PARA COMUNIDADES RELIGIOSAS, POIS REGULAM BOAS PRATICAS PARA SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO, INCLUINDO DESDE A MANIPULAÇÃO A OUTRAS QUESTÕES DE IMPORTANCIA.

LEGALMENTE NINGUEM PODE SER SUPOSTAMENTE DENUNCIADO POR FERIR ALGO QUE NÃO EXISTE EM CODIGO ALGUM, POIS NÃO HA NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA CONTRA O QUE FOI CITADO PELO "MINISTERIO LUZ DE DEUS", EU TAMBEM QUESTIONARIA DO AUTOR DESTA POSTAGEM A MESMA COISA, QUE NÃO FOI RESPONDIDA! COMO FIXAR A QUESTÃO NO CALICE, SE A MESMA DOENÇA SERIA TRANSMITIDA INDEPENDENTE DELE, SIMPLESMENTE PELO CONTATO OU PELO OSCULO SANTO OU PELO CONTATO? AGORA VOCÊ TAMBEM INCLUIRIA A IGREJA CATOLICA NA LISTA DOS QUE DEVEM SE "REDIMIR"? BEM, SABEMOS QUE HÁ NA LITURGIA DLES, CONTATO COM AS MÃOS EAS BOCAS! BEM EXPLICA-NOS O OTIVO PELO QUAL JESUS NUMA EPOCA QUE A CHANCE DE SE CONTAMINAR ERA INCOMPARAVELMENTE MAIOR, NÃO SE IMPORTOU COM ISTO? E SABEMOS TODOS QUE ELE ERA JUDEU, QUE OS DISCIPULOS CONHECIAM OS EXAGERADOS RITOS DE PURIFICAÇÃO DA LEI, ONDE O CONTATO COM A SALIVA BASTAVA, PARA QUE SE CONSIDERASSE A PESSOA IMUNDA!

AS RECOMENDAÇÕES ACERCA DA GRIPE SUINA, TAMBEM INCLUEM QUE SE EVITE AGLOMERAÇÕES COMO OS CULTOS, VAMOS EVITAR OS CULTOS? OU SERA QUE ISTO DEVERA SER ACATADO NA EPOCA DE MAIOR OCORRENCIA?

SE FORMOS APELAR CEGAMENTE PRA TODA RECOMENDAÇÃO CIENTIFICA QUE EXISTE, DEIXAREMOS NOSSA FÉ, POIS MUITOS CREEM QUE OS RELIGIOSOS SÃO LOUCOS! DEIXAREMOS DE CULTUAR, POIS DEVEMOS EVITAR CONTATO COM PESSOAS QUE "PODEM" ESTAR DOENTE! PASSAREMOS A USAR MASCARAS, LUVAS E ALCOOL 70 EM TODO LOCAL, AFINAL QUEM SABE "ALGUEM" PODE ESTAR DOENTE? DESLIGUEM OS VENTILADORES, O AR CONDICIONADO, VAMOS TODOS OUVIR OS CULTOS EM CASA POR TRANSMISSÕES VIA RADIO, TV OU INTERNET, AFINAL ALGUEM LA FORA PODE ESTAR CONTAMINADO?

EM ALGUNS PAISES TENTAM FORÇAR A IGREJA A ACEITAR ABORTO, EUTANASIA, HOMOSSEXUALISMO, E MUITAS OUTRAS COISAS POR MEIO DE "LEIS" POREM ISTO NÃO QUER DIZER QUE A "LEI" SEJA ALGO PLAUSIVEL QUANDO INTERFERE NAS QUESTÕES ESPIRITUAIS, QUALQUER TEOLOGO ORTODOXO RECONHECE QUE O USO DE CALICES COLETIVOS FAZ PARTE DA PRATICA DA IGREJA COM CUNHO PRIMITIVO.

NÃO QUE A IGREJA DEVA DESCUIDAR DAS QUESTÕES DE SAUDE, MAS "CRIAR" MIL E UMA DESCULPAS PRA DIZER QUE ESTA "ERRADO" OU QUE "NÃO HA PROBLEMA", VAI ALEM DO QUE ESTA ESCRITO, EU PEÇO ENTÃO AO RESPONSAVEL PELA POSTAGEM QUE DEIXE DE LADO OS SEUS "MUITOS MOTIVOS" PELOS QUAIS ACHA QUE JUSTIFICA SUA CRENÇA E MOSTRE O LADO BIBLICO DE SEU QUESTIONAMENTO!

LEANDRO disse...

Seria bom o autor esclarecer melhor, que sua opinião como cristão, não se baseia na ortodoxia da Igreja e sim na sua opinião pessoal, é perceptivel seu desconhecimento nas questões teologica do assunto, pois não ha nada considerado secundario ou meramente simbolico como relatado no estudo. Aos demais prestem bem atenção que o mesmo reconhece ser esta sua opinião e não a real interpretação do assunto:

...por isso, entendo...

...em minha opinião...

Uma vez que o escritor reconhece e deixa claro ser esta sua opinião, não ha razão para questionamentos.

Cristão CCB disse...

Se lerem atentamente ao que escrevi, será visto que não disse que deve ser utilizado o cálice individual, vejamos os fragmentos que comprovam isto:

"Antes de mais nada, é importante compreendermos o real significado da Santa Ceia, para então compreendermos QUE QUALQUER FORMA DE DISTRIBUIÇÃO DO PÃO E VINHO, desde que seja executada de forma respeitosa, É VALIDA"

"Qualquer denominação cristã, para decidir-se sobre a forma re realização de sua Santa Ceia, PODE BASER-SE NA SUA LIBERDADE CRISTÃ, NA SUA LIBERDADE LEGAL (Artigo 5º da Constituição Federal), ou então considerando a preocupação/consciência quanto as doenças contagiosas que podem ser disseminadas pelo uso do cálice único."

"o objetivo não é criticar denominação “A” ou “B”, muito menos pregar superioridade religiosa de instituições e suas respectivas liturgias, como já explicitado acima a constituição em seu artigo 5° assegura o direito as diferenças, ou seja, as instituições não são melhores e nem piores por fazer assim ou assado, apenas são diferentes e gozam do seu direito de assim serem."

"A forma de como é efetuada a distribuição do pão e do vinho durante uma Santa Ceia foi instituída pelos primeiros crentes, não cabe a ciência dizer se a forma está certa ou errada, porém, com os avanços do conhecimento científico, principalmente da microbiologia, é possível dar uma parecer sobre infecções que podem ser adquiridas através da via oral pelo compartilhamento do cálice entre os fiéis".

Enfim, as informações apresentadas neste estudo são aquelas que visam esclarecer que as principais justificativas usadas pelas denominações que utilizam cálice único não tem base cientifica. As fontes estão aí e podem ser consultadas, por favor, não diga que é uma opinião meramente pessoal.

Minha conclusão como cristão se baseia naquilo que creio.

Este estudo não tem carater conclusivo, como disse as denominações tem liberdade cristã, legal e de consciência para decidir sobre como proceder em sua santa ceia.

Por favor, acesse o site do Ministério da Saúde, e veja o que eles dizem no esclarecimento sobre boatos que surgiram na internet sobre a vacina da H1N1, eles solicitam que o email daqueles que estão disseminando informações que contradizem as diretrizes do Ministério devem informados para que eles apliquem as devidas punições, como bem sabemos, o Ministério da Saúde está orientando que não se compartilhe utensilios como copos, vocês gostando ou não, o cálice único fica em "xeque" porque representa sim um risco.

Quanto as demais formas de contagio, os riscos podem ser diminuidos disponibilizando "alcool gel" para sanitização das mãos, e recomendação que nas cidades onde tem muitos casos de H1N1 os fiéis se abstenham por um periodo ter muito contato como o ósculo, aperto de mão e etc. Tudo isso são medidas emergenciais, após o reestabelecimento da normalidade tudo pode ser como sempre foi.

Fraterno abraço,

Mario

Jorge Rodrigues da Silva disse...

OLHA! CADA DOUTRINA TEM SUA FORMA DE TOMAR A STA. CEIA,POR EX. A CATÓLICA DISTRIBUI A HÓSTIA E NÃO DISTRIBUI O VINHO NO CÁLICE,SOMENTE O PADRE TOMA DO CÁLICE,OUTRAS IGREJAS DISTRIBUI CÁLICES PEQUENOS,MAS SE FOR MAIS DE 1000 PESSOAS COMO FICA?.A CCB SEGUE A TRADIÇÃO DA BIBLIA ISTO PQ TUDO É TRADIÇÃO,UM SÓ SENHOR,UM SÓ BATISMO,UM SÓ CAMINHO,ENTÃO A CCB NÃO ESTÁ ERRADA EM USAR SÓ UM CÁLICE.POIS SE ISTO TRANSMITISSE DOENÇAS ENTÃO O POVO DA CCB ESTARIA TODOS DOENTES,MAS O QUE A GENTE VE É PESSOAS QUE NEM CRENTE SÃO ESTAR TODOS DOENTES.E COMO FICA NÓS ENTRARMOS NOS TRENS,NOS METRÔS,NOS ONIBUS COM OS VIDROS TODOS FECHADOS E AÍ NINGUEM PEGA DOENÇAS?TERÍAMOS QUE FICARMOS TODOS FECHADOS EM CASA PARA NÃO FICAR DOENTE?EU ACHO QUE ÉSTA É UMA CRÍTICA QUE NEM DEVERIA SER DSCUTIDA NA INTERNET.

Anônimo disse...

A paz de Deus a todos...
muito fácil resolver isso, acho q o grande problema é o cálice...
Então ora-se pelo cálice, como faz em todas as Santas Ceias, depois vai colocando vinho no cálice e do cálice em copinhos....
da maneira que feito hoje, desculpe a palavra, é nojento....

Anônimo disse...

Falando como cristão (da CCB) o estudo do autor ignora completamente o significado do cálice neste culto:

Cristo disse "Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós. (Lucas 22:20)

Ou seja, o pão representa o corpo de Cristo, por isso todos comem de um pão, o vinho representa o sangue, por isso todos bebem do vinho, e o cálice representa o Novo Testamento, por isso todos bebem de um cálice.

Vejamos ainda I Cor 11:26 "Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha"

Como podemos ver, a palavra cálice está no singular (e ainda I Cor 21:21, 11:25,29) não há a menção de calices ou copinhos, portanto havia um só cálice, assim era nos tempos apostólicos e é hoje na CCB. Louvado seja Deus!

Todavia, com os desvios que surgiram no decorrer dos tempos, substituiu-se a unidade do pão pelas hostes, substituiu-se o vinho por sucos de uva e substituiram á unidade do cálice por vários copinhos, ignorando o significado do pão, do vinho e do cálice.

Cristão CCB disse...

Querido anonimo a paz de Deus!

Os dizeres de Jesus referem-se somente ao pão e vinho para representar o Seu corpo e sangue.

Comemos do mesmo pão, mas não bebemos do mesmo vinho, afinal, são inumeras rodadas, o cálice é completado diversas vezes, o vinho é proveniente de várias garrafas.

Foi possível que Jesus compartilhasse o mesmo cálice, afinal, eram apenas 12 pessoas, hoje é impossivel compartilhar do mesmo calice com o unico vinho, dependendo da congregação, são 500, 600, 1000 ou mais participantes da celebração da santa ceia.

Fraterno abraço,

Mario

edsonv.a disse...

eu sou a favor do calice individual

Cris disse...

APDD

Já que todos querem levar ao pé da letra a Santa Ceia, deveriam levar também todos os outros ensinamentos que Cristo deixou, não acham?
Por que será que isto não acontece?

Lina disse...

APDD! Depois de muito tempo li esta postagem, achei muito interessante.Se preocupar com o higiene e evitar o risco de doenças é o q se parece mais correto, porém para mim, o símbolo do uso do calice unico é muito forte, tem grande relevancia, pq o Senhor disse um "unico cálice", sabemos que o uso de um único cálice tem um significado muito espiritual. Acho q deveriam sim ser tomadas medidas de prevenção, mas mudar o uso do calice não. Pode-se desinfectar a boca do cálice durante o uso com produtos adequados, pode-se realizar a ceia com menor numeros de irmandades em épocas q apresentem menos risco de doenças (como a epoca das epidemias). Entendo a preocupação com todos mas se for assim cada um deve levar seu próprio vaso sanitário pra igreja.

paulo rogério disse...

estava analisando algumas doutrinas da CCB.
quando me deparei com mais um absurdo em suas doutrinas.pensei ,meu DEUS como pode pessoas serem tão ignorantes?
esse absudo q me refiro,está na doutrina da SANTA CEIA da CCB.
Misericórdia ,quantas heresias,essa igreja prega.
eles distorcem a palavra de JESUS,quando JESUS,diz q todos devemos tomar do msm cálice.
Para a CCB,tomar do msm cálice significa beber no msm copo.Meu DEUS tenha piedade deste povo,sem entendimento.
Qual é o significado correto de tomar do msm cálice?
Jesus disse q aquele cálice era figuradamente o seu sangue derramado na cruz.
quando Jesus diz q devemos todos tomar do msm cálice ,ELE quer dizer q devemos tomar figuradamente do seu sangue derramado na cruz,ñ q devemos tomar no msm copo.
se fosse assim então o as igreja da CCB do brasil inteiro deveriam usar o msm copo,pois cada igreja tem seu copo.então nem toda a CCB toma no msm copo.
gente pelo amor de DEUS,deixem de tanta ignorancia,vcs estão cegos,pelo fanátismo da sua religião.
tomar do msm cálice significa q todos q quiserem ser salvos ,devem aceitar o sacrificio de JESUS ,na cruz ,onde ELE derrama seu precioso sangue por todos.
então msm cálice significa tomar do msm sangue figuradamente,ñ tomar o vinho,ou suco de uva no msm copo pra toda as pessoas da igreja.estudem gente

Anônimo disse...

A PAZ DE DEUS...

TARDIAMENTE FAÇO UM COMENTÁRIO COM GRANDE TRISTESA NO CORAÇÃO E ESPERO QUE PELO MENOS SEJA LIDO PELOS MEUS IRMÃOS NA FÉ.

CREIO NO PODER DA ORAÇÃO E NA CONFIRMAÇÃO DADA PELO ESPÍRITO SANTO QUE FELISMENTE SOMENTE AQUELE QUE DESFRUTA DO MESMO BENEFÍCIO DA UNIDADE DA FÉ EM JESUS CRISTO PODE ASSIMILAR.

NA VERDADE EM TODOS OS SENTIDOS DEVEMOS FAZER PARTE DE UM ÚNICO CÁLICE MATERIAL E ESPIRITUAL E ESSE PROCESSO FOI CONFIRMADO EM ORAÇÃO.

PORÉM, POR MEDO, NOJO, OU FALTA DE FÉ, ALGUNS TENTAM INCENDIAR COM UMA FAGULHA UM CAMPO INTEIRO. INSISTINDO EM QUESTÕES LOUCAS QUE NÃO TRASEM EDIFICAÇÃO, MUITO ZELO A CARNE E MUITO POUCO OU QUASE NADA AO ESPÍRITO.

VEJO QUE DE FATO SE CUMPRE A PALAVRA: LUCAS 18,8 "Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?"

ENFERMIDADE OU SINISTRO NENHUM LEVARÁ UM SERVO OU UMA SERVA DE DEUS SE JÁ NÃO TIVER ENCERRADO SUA CARREIRA, COMBATIDO O BOM COMBATE E GUARDADO A FÉ. QUEM FECHARÁ NOSSO LIVRO É NOSSO SENHOR, PORÉM VEJO QUE MUITOS SE ESQUECEM DESTE DETALHE E VAGAM EM PREOCUPAÇÕES MUNDANAS POIS VIVEM EM COMUNHÃO COM O MUNDO NÃO COM DEUS.


A CADA DIA DIMINUEM O PODER DE DEUS,
A CADA DIA DIMUNUI A FÉ NO NOSSO MEIO,

ONDE ESTÁ O VOSSO AZEITE?

IRMÃO FLÁVIO

Mario disse...

Irmão Flávio, a paz de Deus seja em teu coração!

TOMAI e COMEI,esses foi os dizeres de Jesus sobre a celabração da santa ceia onde o VINHO e PÃO representam, RESPECTIVAMENTE, o SANGUE e o CORPO de Jesus, que padeceu na cruz, mas sobre a morte triunfou para que o pecado de todo homem fosse perdoado.

Realmente Deus tudo pode, afinal, ele é o Deus do impossível, mas aquilo que cabe a nós, nós mesmos devemos fazer, não devemos tentar a Deus.

Quando Jesus foi levado pelo diabo ao alto do pináculo para ser tentado, ele foi desafiado a pular de lá porque os anjos haveriam de segurá-lo, realmente ele podia pular que o Deus do impossível podia livrar ele de se espatifar no chão, mas ele pulou? ... não, porque não devemos tentar a Deus.

Da mesma forma, Deus pode livrar todos os seus filhos(as) do contagio de doença, mas convém tentar a Deus?... se houvesse tanta confiança nisso, então, porque se recomenda que aqueles que tem doença contagiosa devem ser os ultimos a tomar a santa ceia?

Engraçado, mas dizem que devemos estar unidos no mesmo calice, porque somos um só povo, mas ignoram os crentes de outras denominações como irmãos.

Fraterno abraço,

Mario

Anônimo disse...

AMÉM IRMÃO MÁRIO
Vejo que não é somente a questão da forma de uso do cálice que você questiona, mas também o fato de não aceitarmos outras doutrinas no nosso meio.

Pois bem, assim como nossos irmãos na mesma fé EU creio que há um só batismo, o qual deve ser feito no nome do senhor Jesus como Paulo foi batizado e outros discípulos assim batizavam. É o primeiro passo e deve seguir as escrituras como foi deixado:

Colossenses 3:17 - E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

Atos 2:38 -E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;

Atos 8:16 - Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus.

Atos 10:48 - E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias.

Atos 19:5 - E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus.

Atos 22:16 -E agora por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor.

Analise-os em sua casa em oração.

Agora te digo Mário, como posso ignorar esses ensinamentos e deixar de pregar esse evangelho, pois prega-lo é um dever mas impor ou fazer que outros aceitem ja não está em mim, assim como não posso desmenti-lo ainda que ofenda outros.
A passagem acima Atos Capítulo 19 versículo 1 ao 7, ao você ler o contesto verá que paulo tinha dúvidas sobre o batismo dos discípulos de João Batista:
“...Disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados então? E eles disseram: No batismo de João...” ou seja eram batizados no batismo de João não no nome de Jesus.

“...Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas, e profetizavam. E estes eram, ao todo, uns doze homens...”
Ou seja irmão, foram batizados conforme a doutrina que Paulo foi batizado e os apostolos batizavam, pois o batismo de João não era feito no nome do senhor Jesus pois o mesmo ainda não tinha vencido o mundo com a sua ressureição, e assim sendo confirmado em Mateus 28:18, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Filipenses 2:9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;

OBS: O batismo do Espírito Santo foi a confirmação da doutrina do Batismo.

Para finalizar medite em Mateus 7:22 “...Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade...”
Fizeram obras em nome do senhor Jesus pois o seu nome tem poder no céu na terra e embaixo da terra, porém que adianta se não nascer pelo seu nome.
Crer e arrepender-se muitos ceitários o fazem mas não nascem segundo a doutrina apostólica, infelizmete não atendendo a isto perdem a salvação. “...Nunca vos conheci...”, como Jesus pode conhecer aquele que não nasceu no seu nome, se tudo é por ele e para ele?

MAS DE FORMA ALGUMA A MINHA INTENSÃO E CONTENDER, E SIM TRANSMITIR A MINHA CRENÇA SEGUNDO AQUILO QUE ABSORVI EM UNIDADE DE FÉ EM CRISTO.
A PAZ DE DEUS.

irmão flavio

Mario disse...

Caro irmão Flávio,

O erro está em acresitar que outras denominações por ostentarem outras placas são outras doutrinas, quando na verdade muitas delas creem exatamente como nós, e não por acaso, afinal, as denominações sérias também fundamentam seu credo doutrinário nas Sagradas Escrituras.

Jesus Cristo é a videira, e uma videira com muitos ramos, a Congregação Cristã é apenas um ramo desta videira, e na condição de ramo estamos ao lado de outros ramos (outras igreja).

Se pertencemos a mesma videira temos um só tronco (Jesus Cristo), e é ele que sacia a sede de todos o ramos, é ele quem faz "fotossintese" (alimenta) todos os ramos, enfim, é ele quem mantem TODOS os ramos vivos. Lógico, que há ramos enfermos e que precisam ser podados, mas a poda é a ultima instancia, e somente Deus é quem faz a poda.

Não podemos fazer acepção entre crentes e crentes, pois, o próprio Deus não faz acepção de pessoas.

Há de analisar se o evangelho que pregamos fala apenas de Jesus, ainda que a igreja seja a esposa de Cristo, não devemos jamais esquecer que a esposa deve ser submissa ao seu esposo, e ser submissa ao Esposo é submeter a governança aos designios de Deus e acatar a sua Palavra exatamente como ela está na Bíblia.

O Batismo é um passo importante na vida de qualquer cristão, simboliza o sepultamento do homem pecador, e o nascimento de uma nova criatura que aceita Jesus como seu salvador e a Palavra de Deus como regra de fé e conduta, mas se alguém por ventura crer mas não tiver tempo habil de ser batizado, este não será condenado, é o que diz em João 3:16.

Realmente, deve se batizar os crentes em nome de Jesus Cristo, porque esse nome tem poder, a ancião ou a igreja que batiza o crente é apenas um personagem secundário, ou seja, não tem poder algum. É exatamente como o cálice, é importante na santa ceia, mas não é o fundamental, pois, na ceia que celebramos em memória do Senhor, os elementos apontados por Jesus era apenas pão e o vinho, representando seu corpo e sangue, respectivamente.

Fique na paz e no amor de Deus!

Um abraço,

Mario

Anônimo disse...

eu acho que a Santa Ceia pode sim ser tomada em RECIPIENTES(copos descartaveis,tipo para café) individuais da seguinte forma;quando é feita a oração pelos irmãos o vinho ainda esta na jarra,apos a oração fica-se em pé e canta-se o hino 395,quando cantamos o verso que diz;quando o pão vos partirdes,recordai-vos de Mim,o irmão que orou pelo pão parte-o com as mãos e continua a parti-lo em pequenas porções,quando cantamos;quando o calix vos beberdes,recordai-vos de Mim o irmão que orou pelo calix transfere o vinho da jarra para o calix.ai esta o segredo;a PALAVRA diz;tomai DELE TODOS e não tomai NELE TODOS.então é só transferir do calix para os copos e servir a irmandade sem nenhum prejuizo de ordem cerimonial ou espiritual.essa é a minha opinião.A PAZ DE DEUS.

Anônimo disse...

Irmão mãrio,

Fico contente com a sua resposta que vem de forma elegante e gentil, como deve ser o diálogo entre seres racionais, sem incorporar e criticar outros que porém não compartilham da mesma idéia. Por isso A fé é subjetiva, individual e intransferível, por isso a tantas divergências, e principalmente neste caso acho que não chegaremos num mesmo entendimento.

Deus abençoe

irmão flávio (paraná)

Mario disse...

Irmão Flávio,

A discussão respeitosa e saudavel dos assuntos relacionados a fé promove o crescimento e a edificação espiritual daqueles que discutem.

Como digo já no inicio do texto, qualquer forma de distribuição do pão e do vinho na santa ceia, desde que seja feita com respeito, é valido... é uma questão de fé.

Sobre este assunto, tantos membros quanto ministros divergem entre si, dificilmente chegaremos a um consenso, mas o simples fato de refletir sobre ele já é um avanço.

Fique na paz de Deus!

Fraterno abraço,

Mario

CCB Respostas disse...

Faço um desafio à quem negaria beber do mesmo calice que bebeu Jesus Cristo e seus apóstolos por um simples sentimento de nojo!

Como irmãos que somos (pelo menos penso eu que somos), devemos relevar até mesmo este tipo de coisa, pois conforme o "irmão" Mario postou, em algumas denominações ocorrem apenas uma vez por ano (como na CCB).

Deus abençoe à todos que amam a Cristo em sinceridade!

Hélio disse...

Ao "CCB RESPOSTAS".

Não é questão de nojo, e sim de saúde pública.

O contexto naquela época era outro, pois o número de participantes da santa ceia estava reduzido e todos se conheciam por terem passado pelo menos três anos juntos, lado a lado.

Tem congregações que comportam mais de 800 membros e convenhamos, não existe NENHUM mandamento nas escrituras dando legalidade ao fato de que TODOS aqueles que participam da santa ceia em determinado dia devem em medida expressamente obrigatória compartilharem o mesmo cálice de boca em boca, literalmente falando.

Não há nada demais nisso, obviamente, como também não há nada demais partilhar a ceia em copos individuais que sendo orginados de um único cálice servirão de "canal" para evitar o contato "boca a boca".

Devemos estar preparados se porventura isso um dia vier acontecer e autoridades competentes em virtude de vigor de Lei aconselhar a CCB a proceder desta maneira, partilhar o vinho de um único cálice em copos descartáveis e individuais.

Mas enquanto isso não acontece (se acontecer!) creio que NENHUM membro da CCB deixará de participar da Santa Ceia por "nojo". Em questão de saúde pública o veredito para tal será dado por autoridades competentes cabendo ao membros da CCB e seu ministério a simples ação de se enquadrar na Lei.

DEUS te abençõe

Mario disse...

Caro "CCB Respostas" a paz e o amor de Deus, por Jesus Cristo, seja no teu coração!

Os ministros da Igreja de Deus (todas as denominações) são os pastores das ovelhas do Senhor, e como tal eles tem que cuidar das ovelhas afim de que elas não adoeçam e nem morram.

Tomemos como exemplo a parábola dos talentos, aqueles que granjearam os talentos foram considerados servos bons e prudentes e foram recompensados pelo seu trabalho (obrigação), cada um conforme seu esforço, mas aquele que não granjeou o talento foi repreendido pelo seu senhor.

Desta forma, afirmo com toda a certeza, que se o risco é real e a probabilidade de contaminação é alta, o minimo que se espera de um ministério que zela pela saúde e vida das ovelhas do Senhor é que eles reflitam sobre o assunto.

Peregrinos somos aqui, em terra estranha estamos e, por isso, temos que nos adequar as leis, é o tal de dar a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus.

Jesus é o filho do nosso Deus que encarnou para que se cumprisse a Palavra de Deus acerca da vinda do Messias, sendo de carne e osso Jesus experimentou todas as agruras da vida que nós míseros pecadores experimentamos, talvez, tenha sofrido até mais que nós, veja o tipo de morte que ele teve.

Mas o que quero dizer, é que Jesus em sua natureza humana, também adoeceu, e por certo, se tivesse uma doença contagiosa, sendo do seu conhecimento, tenho certeza que ele não submeteria as pessoas a sua volta ao perigo, como por exemplo o simples compartilhar de um cálice, se nosso pai carnal zela pela saúde dos seus filhos, imagine nosso Pai do Céu que tem por nós grande amor.

Jesus foi categórico, devemos partilhar (dividir)o pão e o vinho, corpo e sangue, respectivamente, o resto é alegoria, é tradição.

Eu é que te desafio, seja o ultimo a tomar a santa ceia numa igreja em que várias pessoas com doenças infecto contagiosas tomaram antes de você.

Me desculpa querido, de fato o sangue de Jesus tem poder, mas convenhamos que ele é muito precioso para ser usado como desinfetante (matar micróbios).

Fraterno abraço!

Mario

CCB Respostas disse...

Meu caro Mario, realmente os ministros da igreja (em especial os presbíteros) devem cuidar das ovelhas do Senhor Jesus, mas quando se entra em questão sobre doença e morte, apenas lhe digo que Aquele que pode controlar isto é Deus. Ou o senhor acha que Deus permitiria que Seus filhos adquirissem alguma doença contagiosa durante a celebração da Santa Ceia? Entra aqui uma questão de fé ao invés de preocupação com saúde publica.

Com certeza, a teologia deve ter argumentos "coerentes e explicativos" com relação à este assunto.

Curioso o fato de que muitos quando eram crianças, dividiam copos de refrigerante e até quando moços, dividiam copos de cerveja e outras bebidas com os demais amigos e não importava o numero de pessoas presentes, o que importava mesmo era beber (acredito que o senhor também tenha passado por isto), e quando crescem, num mandamento do Senhor Jesus, adquirem nojo.

Vale a pena postar as passagens bíblicas onde o uso COLETIVO de um mesmo cálice são citados:

'E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós'. (Luc. 22.19-20).
Curioso o fato de Jesus Cristo ter partido e repartido o pão e não ter repartido o vinho do cálice aos demais cálices.

Observamos claramente que o Senhor Jesus diz: 'Este cálice', e não "Estes cálices", entra até uma questão de entendimento gramatical, ou seja, a palavra 'Este' nos passa um sentido singular e não plural.

Vejamos mais:

'E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados'. (Mat. 26.26-28)

Esta passagem nos mostra claramente que todos os apóstolos beberam do mesmo cálice, pois está escrito: 'E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos'.

Jesus Cristo disse: "Despejem em vossos cálices e bebam"? NÃO! Mas disse: 'Bebei DELE TODOS'

CCB Respostas disse...

O texto bíblico mais esclarecedor sem dúvida é este:

'E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho; e todos beberam dele. E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado'. (Mar. 14.22-24).

Observem o que está escrito: 'e todos beberam dele', ou seja, do mesmo cálice.

Impossível clareza maior!

Com certeza a teologia "hermenêutica" arranjou diversos argumentos para contradizer o que esta escrito nas Sagradas Escrituras, como arrumam para as demais doutrinas e mandamentos bíblicos.

Hoje, observamos que algumas igrejas utilizam até mesmo suco de uva para simbolizar o vinho, o que está totalmente fora de uma interpretação coerente da bíblia.

Creio que não importa o número de pessoas que estivessem presentes naquele momento, sem dúvidas eles dividiriam o mesmo cálice, pois como irmãos que se consideravam, jamais ligariam pelo fato de outros já terem tomado no mesmo cálice.

Sobre o desafio pelo senhor proposto, eu até gostaria de mostrar ao senhor que posso ser o ultimo a tomar no cálice da Santa Ceia, mas (para o senhor) infelizmente, o ministério da igreja não nos permite filmar ou bater fotos durante celebração da Santa Ceia (o que eu particularmente apoio), visto que em muitas denominações os seus ministérios fazem questão de filmar, afim de realizarem um marketing denominacional.

O senhor mesmo me garante que o Sangue do Senhor Jesus tem poder, logo após o rebaixa. Um comentário um tanto infeliz!

O senhor diz que o resto é alegoria (ou, tradição), assim como os "estudiosos bíblicos" dizem, pois estes ignoram todas as doutrinas apostólicas, dizendo que tudo é questão de tradições e costumes e se esquecem de citar uma tão importante passagem bíblia:

'Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa'. (II Tes. 2.15).

Deus lhe abençoe!

Mario disse...

Caríssimo, a paz de Deus!

Vou fazer uma analogia ao um dos ensinamentos dos anciães, há um ensinamento que orienta a irmandade a viajar apenas se os veículos estiverem em boas condições, ou seja, se o pneu não estiver careca e a mecânica estar tudo em ordem, no momento em que se lê este ensinamento perante a congregação muitos anciães dizem "poderoso é Deus para nos guardar e livrar de de todo mal e acidente, mas aquilo que cabe a nós, devemos fazer", então, digo que é a mesma coisa, Deus pode nos livrar de todo tipo de enfermidade, mas devemos fazer aquilo que está em nosso alcance.

De fato, quando criança compartilhei utensílios, até mesmo hoje as vezes faço isso, mas eram e são pessoas conhecidas e da minha convivência, e não ultrapassava nem METADE de uma DEZENA, numa santa ceia, dependendo do porte dela, pode haver varias centenas de pessoas.

Muitos tem se atentado a falta de uma letra "s" para justificar o cálice único, mas esquecem do básico, que os símbolos da santa ceia estão contidos apenas no pão e no vinho, corpo e sangue, respectivamente.

Quanto ao suco de uva, não há erro de interpretação, pois, a uva é o que chamamos de matéria-prima diretamente fermentescível, ou seja, imediatamente após a uva ser transformada em suco, automaticamente, ela começa a se converter em vinho, a industrialização apenas acelera o processo de fermentação, logo podemos dizer que um suco de uva é um vinho de baixa graduação alcoólica, provavelmente, esse era o tipo de vinho produzido na época de Jesus, pois, era o processo natural, por isso, vale a máxima de quanto mais tempo o vinho é guardado melhor ele é.

Sim o Sangue de Jesus tem poder, e é precioso, pois, pagou nossos pecados, por isso, digo que não podemos desvalorizá-lo tanto a ponto de considerá-lo "desinfetante", que é algo simples e barato.

Enfim, as recomendações do ministério da saúde não são acatadas em nome da fé, seria interessante no mínimo o ministério tratar isso com maturidade, verificar quais os riscos, saber a opinião dos ministros e da própria irmandade, afinal, o que se sela na terra é selado no céu, independente da santa ceia ser feita em cálice individual, estaremos simbolicamente partilhando do seu sangue e o seu corpo, e a Igreja de Cristo estará demonstrando a comunhão entre os crentes em Cristo Jesus, conforme determinado pelo Mestre.

Fique na paz e no amor de Deus!

Fraterno abraço,

Mario

Eliana Vieira disse...

Apesar do assunto ter sido discutido a tanto tempo, como so encontrei esse site um mes atras, gostaria de deixar minha opiniao. Ofereco meu louvor na CCB mas nunca apreciei o fato de ser um calice pra todos, mas como nasci dentro da igreja, eu so seguia a multidao, a tradicao que infelizmente muitos da CCB seguem, tradicao essa que nao nos permite adentrar no Santuario. De uns cinco anos pra ca me dediquei um pouco as sagradas escrituras e pela misericordia de Deus comecei finalmente entender a Graca de Cristo.
Quanto ao calice da Santa Ceia,pra mim significa o calice do sofrimento de Cristo pois antes de sua morte Ele disse ao Pai " se possivel, passa de mim esse calice" portanto, como o pao , o vinho e o calice, representam fazermos parte de seu sofrimento e de sua morte.

Patrick S Paiva disse...

Amigo, há um grande equívoco quando se diz que o cálice não tem significado. Há dois motivos para que o clice único seja aceito pelos irmãos: 1° - Porque não vemos na Palavra de Deus nenhum tipo de separação do vinho, então devemos seguir fielmente o que está em Sua Palavra. 2° - Porque separando o "Sangue de Cristo" em vários cálices estaríamos destruindo uma figura presente na ceia: a comunhão entre os irmãos feita pelo precioso sangue de Cristo.

Devemos pesquisar mais... se procurarmos informações veremos que essa idéia de cálices individuais é "moderna", pois começou por volta de 1840... antes disso o que era feito?
O que está em Atos 2:42-44 deve ser nosso alvo: "perseveravam na doutrina dos apóstolos... em cada alma havia temor... E TODOS OS QUE CRIAM ESTAVAM UNIDOS E TINHAM TUDO EM COMUM".
Pensemos e estudemos... a Palavra de Deus é AUTORIDADE... mas o homem insiste mudá-la! O lema entre as igrejas hoje parece ser: CONVENIÊNCIA HUMANA EM DETRIMENTO À VERDADE.

Mario disse...

Patrick,

O pão representa a carne, o vinho representa o sangue, e o cálice representa o que?

O próprio Jesus repartiu o pão, porque o mesmo não pode ser feito com o vinho?

No inicio os cristãos não eram muitos, eles não tinham a mesma noção de higiene e saúde que temos hoje.

Conforme eu disse no artigo, qualquer maneira de se celebrar a santa ceia é válida, desde que se faça de maneira respeitosa, o que importa na santa ceia é o que ela representa e não como ela é executada.

Fique na paz de Deus!

Postar um comentário

Comente, elogie ou critique a postagem, mas se porte como cristão, não use "palavrões" e nem ofenda pessoas ou instituições.

Seguidores